Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correr na Cidade

A segunda prova das "quatro em linha"

12.05.14 | Filipe Gil

Por Bo Irik: 

 

Em 1999, os meus pais, holandeses, tiveram a excelente ideia de emigrar. Assim, mudámos, juntamente com a minha irmã, da Holanda para, para mim, das cidades mais lindas de Portugal:  Lagos.

 

Tendo estudado e crescido em Lagos dos dez aos dezoito anos de idade, esta cidade é a minha casa, apesar de residir, com muito gosto, em Lisboa.

 

Foi por isso, que, quando ouvi falar da Meia Maratona de Lagos e vi que não tinha provas no fim-de-semana do dia 4 de maio, não hesitei e inscrevi-me logo. Na altura, aproveitei uma campanha e paguei apenas 4€, valor da inscrição que incluía tshirt, lembrança e as tradicionais águas, fruta e barras de cereais no final da prova.

 

Segundo a organização, “Para a edição de 2014 o Olímpico Clube de Lagos criou uma parceria com a Marina de Lagos de modo a relançar esta competição no panorama Nacional. Pela primeira vez em Portugal uma corrida vai ser disputada em cima de água, pois o percurso contempla a passagem por um dos pontões de amarração da Marina de Lagos!”

 

Estava ansiosa; iria ter os meus pais a apoiar-me pela primeira vez numa prova de corrida e nunca tinha participado numa prova tão pequena, com apenas 628 atletas inscritos. Após ter obrigado os meus pais a comer massa durante os dias antes da prova (estava a ficar na casa deles), no domingo de manhã sentia-me bem e dirigi-me à partida, na Marina de Lagos.

 

Na Marina, rapidamente encontrei alguns amigos do Correr Lisboa, o João Rodrigues, Pedro Carvalho, o Bruno Dias e Heitor Santos Cardoso, bem como a Carla Pereira que os acompanhava enquanto cheerleader e fotógrafa (destas fotos - obrigada!).

 

Perante o calor que se fazia sentir (e ainda por cima não conseguia ligar o meu Sony Walkman MP3 que usaria pela 2ª vez), adaptei o meu objetivo inicial dos 1 hora e 50 minutos para: disfrutar da viagem e correr confortavelmente sem andar. Pois, não fui feita para o calor, e foi um verdadeiro desafio, um teste à minha resiliência. Com estes objetivos em mente, a prova correu lindamente; após umas boas subidas na cidade, tivemos a oportunidade de correr dentro da Marina, junto aos barcos e houve uma passagem na ponte levadiça.

 

O novo mindset e apoio do João Rodrigues fizeram com que conseguisse adiar a chegada do diabinho mau que me manda parar (ver artigo – http://corrernacidade.com/race-report-meia-maratona-rock-n-302278) para o km 20. Este km parecia não ter fim, pois havia muitas curvas e meias voltas em vez de uma meta à vista, mas lá consegui acelerar na reta final, apoiada pelos meus pais e amigos. Gostei muito da prova e também gostei muito da estreia em prova dos Salming Distance, que se comportaram muito bem – review em breve.

 

Esta foi a segunda do meu "Quatro em Linha" – 4 provas de cerca de 21km em quatro fins-de-semana seguidos: Meia Maratona de Madrid, a de Lagos, o Trail de São João das Lampas e ainda a Meia Maratona do Douro Vinhateiro. O Trail das Lampas também já fiz; agora que venha a Meia Maratona do Douro Vinhateiro!

 

Também vais?