Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Preview: Saucony Triumph ISO 4

29.01.18 | Bruno Tibério

saucony triumph ISO 4

Chega a hora de mais uma preview! Voltamos a ser brindados com a presença de uns Saucony Triumph ISO, desta feita na sua versão 4! Para mim as cores usadas neste modelo, Navi/Denim/Cooper, conferem um excelente aspecto visual.

 

Na primeira vez que as calcei, fiquei surpreendido pelo facto de existir bastante volume/acolchoamento na parte traseira da protecção do calcanhar. De igual modo a sua palmilha também é bastante acolchoada que deverá permitir um bom acomodamento do pé com o inevitalvel inchar no decorrer dos quilómetros. 

 

Outro aspecto positivo que destaco é o facto de a sua forma não ser afunilada para quem gosta mais de ter espaço na parte frontal do pé e mexer bem os dedos.

 

Quanto aos detalhes mais técnicos, a sapatilha é descrita como sendo indicada para uma passada neutra e para quem tenha um arco do pé de normal a mais acentuado. Volta a fazer uso da sua tecnologia ISOFIT redesenhada nesta versão para incluir mais elasticidade. Em relação ao seu anterior modelo, a sua sola intermédia desta vez acompanha toda a extensão da sapatilha, com a sua tecnologia EVERUN, ao passo que a versão anterior era apenas na zona de ataque ao solo. 

Na zona do calcanhar tem uma altura de 28mm e no antepé 20mm resultando num drop de 8mm. No entanto o peso, tendo em conta o que uso habitualmente, já é algo consideravel, 342g no número 43. Não deixa de estar na mesma gama de valores das suas concorrentes para a mesma gamma de quilómetros a que se destinam.

 

Fim de conversas chatas! Estas meninas vão andar comigo nos próximos "Happy Mondays" e outras rotinas minhas. Deixo-vos mais imagens e marcamos novo encontro daqui as mais uns KM para a review final!

Saucony Triumph ISO 4

 

IMG_20180128_165210.jpg

 

IMG_1828.JPG

IMG_1830.JPG

IMG_1832.JPG

Correr com uma perna às costas

24.01.18 | Tiago Portugal

IMG_5234.JPG

 

Vou ser sincero, não é bem às costas. Mas sim na cabeça. Passo a explicar mais à frente. Tudo isto para vos contar como tem sido o lento caminho que tenho percorrido desde que voltei a correr – as razões estão aqui.

 

A convite do Rui Pinto fiz a Corrida dos Campeões no passado dia 13 de janeiro. E fiz a minha primeira prova desde que sou corredor 2.0 – com titânio enfiado no fémur – em que fiz subidas. E foram logo três.

 

Claro que a performance é de envergonhar as pedras da calçada. Atrás de mim talvez mais 10 corredores todos com aquele ar que começaram a correr na véspera – lembram-se como foi? E eu ali a marcar passo, a pensar em desistir, a tentar usufruir a prova, a sentir-me culpado por atrasar o Rui que aquela hora já podia estar a acabar o seu duche em casa.

 

Estava com medo de me lesionar na perna, estava com medo de ouvir um “crack” algures. Tretas. Aquilo está mais consolidado. E o medo estava todo na cabeça. Fiz a prova com a perna na cabeça. Medo das subidas, medo das descidas, só nas retas descansava…a cabeça. Mesmo assim, apesar de ter ido a passo caracol, de ver as “tribos” da corrida a passaram a alta velocidade: os azuis, os amarelos, os cor de laranja, todos eles caras bem conhecidas do mundo da corrida, suei um pouco. A sério, acreditem.

 

Mas apesar de ter ficado classificado num lugar que nunca irei dizer nem ao meu melhor amigo (é favor não ir ao site da prova e ver a classificação), houve coisas muito boas. É que uma semana depois da prova, sem fazer grande exercício, meti-me a correr subidas, e não é que correu bem. Mesmo muito bem. Senti-me fresco e fofo e estava ali para as curvas. Dei uma “surra de coxo” a um amigo das corridas que não vou dizer o nome. E senti-me que estou pronto para correr com as duas pernas no sítio delas. Será que é desta?

 

Não faças isto se forres correr ao frio

11.01.18 | João Gonçalves
Frio, chuva, vento, escuro. É difícil, arranjar vontade e motivação para calçar as sapatilhas e sair correr, contudo manter a regularidade no inverno cria uma boa base de treino para quando o sol começar raiar outra vez e os dias começarem a ficar maiores, para além de que, treinar com o ar mais fresco fortalece o nosso sistema imunitário. Se ainda não conseguimos captar a tua atenção, vamos tentar mais uma vez e desta vez vamos com tudo, aqui vai: Há luz da ciência na luta contra o frio o nosso corpo aumenta a frequência cardíaca e o promove um treino mais eficiente e uma maior queima de gordura, o que é excelente, especialmente após teres enfardo à grande no Natal. 
 

winter.jpg

 

Contudo não queremos que faças disparates e por isso deixamos-te três acções que não, repetimos NÃO deves fazer nas tuas corridas com o tempo frio:
 
 
Não fazer um bom aquecimento.
Com o tempo frio o nosso corpo está mais exposto a sofrer lesões, uma vez que as temperaturas baixas promovem um maior stress muscular, daí ser importante efectuar um aquecimento adequado antes de atingir a velocidade normal de treino, comece por uma caminhada ou um trote ligeiro por volta de uns 10 minutos. O seu corpo irá agradecer.
 
Arrefecer à bruta após o treino.
Com a corrida a temperatura do nosso corpo aumenta, logo não é conveniente que ao terminarmos o treino fiquemos desprotegidos, é conveniente que corramos para a banheira e tomemos um banho quente ou vestirmos roupa quente para voltarmos à nossa temperatura corporal normal, limitando a oscilações térmicas.
 
Não hidratar.
É sabido que no Inverno sentimos menos sede e é normal que bebamos menos água, contudo não nos devemos esquecer de a beber, logo é importante andar como uma garrafa sempre à mão.
 
 
Boas corridas (frescas).

Este ano é que é? Guia mensal para te ajudar a ser mais fit em 2018

02.01.18 | João Gonçalves

“Este ano vou ser mais saudável e fazer mais desporto”

 

Onde é que já ouviste isto? Pois!

 

Talvez porque é uma das resoluções de ano novo mais usais, e todos sabemos onde que é isso vai dar:

Vais-te enfiar na loja de desporto mais perto de ti, vais comprar o material todo e mais algum, que conseguires encontrar, sapatilhas, toalhinhas, t-shirts, etc, vais-te inscrever no ginásio e começas a ir a todas aulas de grupo e voltar a correr junto ao rio e beber sumos Detox e o resultado disto?

Lá para Fevereiro já estás cansado e farto e voltas à mesma vida que tinhas e só te vais lembrar de fazer desporto novamente lá para Maio e não é pela tua saúde, é pela barriguinha e pelos dias de Verão que estão quase ai à porta nessa altura.

Por estas razões e mais algumas, deixamos aqui um atitude, só uma, que deves ter em cada mês do ano, para não te desmotivares e manteres a vida ativa ao longo de 2018.

CNC.png