Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Principio da reversibilidade. Truques para que saías desta espiral...

"Nada é impossível para aquele que persiste "
Alexandre, O Grande

 

Ontem falamos sobre o princípio da reversibilidade aplicado ao desporto e como este nos afecta no nosso desempenho desportivo após uma paragem num determinado período de tempo e como nós inconscientemente nos esquecemos disso, levando a que uma actividade lúdica, passe a ser uma fonte de stress e frustrações.

 

Homer2.png

 

Como não queremos que vivas nessa frustração e que ela te leve à desistência, deixamos-te seguidamente um conjunto de pequenos, passos ou dicas que podes seguir, caso estejas ou tenhas um amigo com esse problema.

 

1. Consciencializar. Ter a consciência que esta perda de performance é normal e que também é passageira com a continuação dos treinos.

 

2. Pensamento Positivo. Focar a nossa mente nas sensações boas que tínhamos quando corríamos e saber que mais cedo ou mais tarde elas vão aparecer de novo.

 

3. Começar devagar. Ir com calma no inicio, reduzir o volume e a intensidade dos treinos e ir progredindo sem pressas.

 

4. Esquecer as provas. Não pensar em provas no curto prazo. Manter o mesmo pensamento que todos tínhamos do começo da corrida - Um dia gostava de fazer uma prova de 10k.

 

5. O nosso corpo tem memória. É quase como andar de bicicleta, lembrar que no fundo não estamos a começar do zero, o nosso corpo sabe o que fazer, apenas está enferrujado.

 

6. Flat Ground. Escolher percursos com um grau de exigência baixo e com uma vista agradável.

 

7. Compare. Anote as distâncias e os tempos e compare os mesmos com os das semanas passadas, vai notar que evoluiu e isso lhe vai dar pica.

 

8. Escute o corpo. Treine com banda cardíaca, faça uma avaliação física para saber as suas zonas de treino e siga-as para não entrar em loucuras.

 

9. Reforço. Corrida não é só corrida, procure fazer um pouco de reforço muscular, vai fazer maravilhas pelas suas articulações.

 

10. Amigos. Procure treinar com um amigo, isso irá trazer uma motivação extra, se conseguir trazer uma amigo que nunca tenha corrido e queira começar melhor, vai trazer-lhe um propósito extra, um espírito de missão.

 

11. Desistir é morrer. Não desistir, não és fraco se corres a 8m/k, fracos são a aqueles que desistem e estúpidos aqueles que por algum motivo te gozam por isso.

 

12. Disciplina. Manter a disciplina nos treinos é fundamental, não só se cria rotina como também aumenta a percentagem de evolução.

 

13. Acreditar. Assim de tudo acreditar, acreditar no treino, acreditar em vocês próprios e ter a certeza que fizermos as coisas da maneira certa e na dose certa, logo, logo estás de regresso a onde queres estar.

 

Espero que tenhamos ajudado de alguma forma.

 

Bons treinos e bom regresso.

 

 

Principio da reversibilidade. Porque é que recomeçar é tão difícil...

O principio da reversibilidade aplicado à actividade física, afirma que interromper ou reduzir de maneira significativa o treino leva a uma perda parcial ou total do desempenho desportivo anteriormente demonstrado.

 

Homer.png

 

Fazendo uma analogia, o que isto quer dizer é o seguinte, sabem aquele vosso amigo falava muito bem inglês, porque devido a razões, pessoais, profissionais ou académicas era obrigado a utilizar este idioma muito frequentemente e depois porque modou de vida deixou deixou de falar inglês diariamente e um dia vocês os dois vão tomar uma café à baixa e  encontram um turista na rua que lhe faz uma pergunta e esse vosso amigo fica todo engasgado para responder e depois vos diz, que está enferrujado. Entendem o que quero dizer?

 

O principio aplicado ao desporto é exatamente o mesmo, o problema em todos estes casos somos nós, a nossa memória e também o nosso ego, porque projectamos no agora a imagem do que já fizemos no passado e não queremos admitir que já não estamos no mesmo estágio do passado.

 

Iniciar a correr é difícil, mas recomeçar ainda é pior, porque aquele Eu que no início não sabia nada de corrida, passou entender, passou a levar os amigos para o desporto, a inspirar outros, passou a ter mais qualidade de vida, participou em provas e conseguiu superar-se, mas por razões de trabalho, vida pessoal, lesão oi qualquer outras foi obrigado a parar por um bom período de tempo.

 

Mas um dia tudo volta ao normal e esse Eu volta a calcar as sapatilhas para correr de novo. E o que é que vai acontecer? Começamos exatamente no ponto em que paramos, apagamos ou queremos apagar da nossa memória o tempo que estivemos parados e tentamos correr ao mesmo ritmo que corríamos, tentamos fazer as mesmas distâncias, os mesmos treinos, é aqui que entra o principio da reversibilidade, o que foi já não o é agora, já não conseguimos desempenhar da mesma maneira que no passado.

 

Mas nesta tentativa vã de tentar sermos o que éramos, esta actividade que era um momento de divertimento, um momento de anti stress, torna-se o nosso pior inimigo e torna-se exatemente naquilo que não devida ser, uma fonte de stress, de frustração e problemas e no meio deste turbilhão de emoções, a desistência geralmente acontece.

 

Conhecem alguém assim? Mostrem-lhe este texto então, numa tentativa de dar aquela chapada na cara, aquele abanão que às vezes é preciso levar e não percam amanhã aqui no sitio do costume um canivete suíço de dicas para voltar a recuperar esse power de novo.

 

Bons treinos

Review: Bastões Salomon MTN Outdoor

Já há muito que andava para comprar um conjunto de bastões para usar em provas de maior distância, pois cada vez que planeava em usar bastões numa prova tinha de pedir emprestado, com o risco de poder estragar material que não é meu ficando sempre com esse peso na consciência.

 

unnamed.jpg

 

Depois de muito ponderar o que comprar, uma vez que o investimento é de certa forma elevado, a minha escolha recaiu pelos bastões MTN Outdoor Pole da casa Salomon, uns bastões muito bem conseguidos na minha opinião.

 

Trata-se uns bastões tripartidos, ou seja dobram-se em três, com um eixo em carbono que lhe confere toda a resistência, reconhecida neste tipo de fibra, bem como a leveza - 240 gramas pelo par é um rácio excelente, tornado-os uns dos bastões mais leves do mercado.

 

IMG_20160702_170555.jpg

 

A abertura e o fecho, são super fáceis, para abrir basta esticar o bastão até ouvir um click e para fechar, bastar destrancar um botão por debaixo da pega e dobrar o bastão. As três partes não se separam mesmo com o bastão aberto, pois são ligados por um cabo que percorre o interior das secções na vertical.

 

A pega, é fabricada num material esponjoso, é muito confortável e firme, mesmo como as mãos suadas, esta possui um tamanho mais prolongado que a maioria dos bastões, permitindo várias opções e de agarre consoante o declive do terreno que estamos a querer vencer.

 

IMG_20160702_170310.jpg

 

É vendido numa única só cor e em três tamanhos: 115, 125 e 135cm consoante as necessidades do utilizador, bem com vêm com duas ponteiras, uma para terreno mais rijo e outra mais adaptada para progressões em neve ou terrenos moles.

 

O preço de venda ronda os 100€, contudo com paciência e sorte encontram-se algumas promoções em lojas online que podem este valor parar número muito mais interessantes.

 

Existe outras opções excelentes, mas caso estejam a pensar em adquirir uns bastões para as vossas actividades, juntem estes à vossa lista de comparações.

 

Bons Treinos

Que calor dos infernos... Dicas para a correr com tempo quente

Está calor não está? Cada vez mais se torna mais difícil ir treinar devido às temperaturas altas, o ser humano é um animal de hábitos e passamos as estações mais frias do ano e mesmo este mesmo até na Primavera a treinar em horários, que com as temperaturas actuais se torna insuportável treinar devido à temperatura que se faz sentir.

Picture2.png

 Sim, vamos lá desmistificar uma coisa antes de começarmos, com muito calor o nosso rendimento não é o mesmo e não à nada de mal com isso, portanto é normal que o nosso pace caia alguns segundos face ao normal, tenham paciência e não entrem em desespero o importante é manter a cadencia de treinos para não perder muito a forma.

 

 

Seguidamente enumeramos um conjunto de dicas para correr em dias quentes que podem e devem usar, muitas delas são senso comum mas nunca é demais lembrar.

 

 

1. Protector Solar, quando corremos a nossa pele fica exposta ao sol e aos raios UV, não estou a falar apenas da cara mas todas as zonas que tiverem descobertas. Este deve ser de factor de protecção elevado e ser ser resistente ao suor para que não saia quando transpiramos e não deve tapar os poros, hoje em dia existem muitas e boas opções neste sentido.

 

2. Usar chapéu e óculos escuros enquanto corremos, vai proteger também a nossa cabeça e principalmente a nossa face e os nossos olhos em relação aos raios solares. Para além disto, o chapéu vai prevenir também que a transpiração não escorra pela nossa cara e se o encharcarmos em água e o colocaramos na cabeça temos um mini ar condicionado na cabeça.

 

3. Procurem as sombras. Correr directamente "à chapa" do sol é uma sensação muito incomoda, desta forma procurem percursos de treino mais arborizados e com mais sombras, para além de serem mais frescos, correr junto de árvores é sempre mais agradável. Em provas isto também se aplica, procurem sempre a sombra quando possível isto vai baixar a vossa temperatura corporal e diminuir o desgaste.

 

4. Usar roupas frescas e transpiráveis. Roupa de algodão não é aconselhável de todo, usem roupas de material técnico, hoje encontram-se facilmente em qualquer superfície comercial. Existem também a questão das cores, está provado que cores mais escuras absorvem mais o calor, contudo na minha opinião com o nível de tecnologia que as marcas colocam hoje nos têxteis, essa questão não se põe assim tanto.

 

5. Treinar mais cedo ou mais tarde, excepto se... O que quero dizer com isto, procurem treinar bem ao início do dia ou bem ao final do dia, procurando as horas em que as temperaturas estão mais baixas, excepto, repito excepto se estiverem a treinar para uma prova específica, uma seja uma prova que decorre à hora de maior calor e neste caso este ambientação à temperatura também faz parte do treino.

 

6. Comece de devagar, mais devagar que o habitual, com o calor o nosso ritmo cardíaco é maior, por isso vá com calma e vá aumentando a intensidade à medida que se vá sentido bem, não estiver confortável com um ritmo mais acima, relaxe e reduza um pouco.

 

7. Leve dinheiro. Isto aplica-se seja Verão ou Inverno, levar algum dinheiro com connosco para fazer face a algum imprevisto é sempre importante, como por exemplo apanhar um táxi, caso queria abortar o treino ou no Verão para comprar uma garrafa de água de emergência, ou melhor ainda comprar um gelado no final do treino como recompensa.

 

8. Sal e Alimentação. Caso seja um treino acima dos 45/60m convém levar algo sólido para comer, de forma a repor os nível de glicose no sangue.Quando corremos transpiramos e pelo suor são expelidos sais minerais fundamentais ao bom funcionamento do nosso organismo, logo é fundamental que os vamos repondo, podem uma bebidas isotónicas ou outro tipo de electrólitos para fazer este trabalho, eu pessoalmente como enjoo bastante o sabor de muitos destes produtos uso cápsulas de sal que se tomam como um comprimido.

 

9. Hidratação, estavam a pensar que me esquecia deste, pois este é essencial é FUNDAMENTAL manter o corpo hidratado durante o exercício, mas não só durante, o antes e o depois também são essenciais, o nosso corpo é formado essencialmente por água e convém que esta renovada com este bom hábito de nos mantermos diariamente hidratados. Durante a corrida, deve beber água em pequenas porções e de forma pausada, a regra de um gole de água de 10m em 10m funciona muito bem.

 

10. Cansou... Parou... Regra número um é ouvir o nosso corpo, se sentir sinais fortes de exaustão, tonturas, por favor parem imediatamente, procurem ajuda caso seja caso disso, bebam muita agua, procurem a sombra ou refresquem-se para baixar a temperatura corporal, uma tolha encharcada na testa ou sobre os ombros, ajuda muito neste processo.

 

Cuidado com o calor e bons treinos.

Review: Puma Ignite Disc

Modelo: Puma Ignite Disc

Testado por: João Gonçalves

Características pessoais: Neutro com arco plantar proeminente e 76Kg de peso

Condições de teste: Cerca de 90km percorridos em percursos citadinos em Lisboa e Norte de Espanha e algumas provas.

 

Início este review pela conclusão, estes Puma Ignite Disc, são actualmente das minhas sapatilhas favoritas de estrada, confortáveis, rápidas e leves, sim concordo são diferentes, alguns de vós até as podem considerar não muito bonitas, eu chamo-lhe personalidade, são diferentes e trazem consigo uma história de quarto do século.

Como já tinha referido no preview em 1991 a Puma abanou a indústria do calçado quando pela primeira vez lançou umas sapatilhas com um sistema de aperto Disc, um sistema de quebra com os tradicionais atacadores e ao invés disso possui uma rede interna de ligações que são activadas pela "roda" ou o Disc que faz o aperto na medida certa e de maneira uniforme no peito do pé e em 2016 a Puma volta a relançar esta inovação melhorada para comemorar os 25 anos da tecnologia Disc no universo Puma.

 

Design e Construção

 

Estas Puma Ignite Disc, são basicamente umas pantufas com 12mm de drop e a tecnologia Ignite na sola, o que quero dizer com isto, elas são realmente confortáveis e calcam-se como umas pantufas, todo o upper é ligado numa peça, o sistema de aperto funciona dentro de uma camada interna de tecido em poliester e um mesh externo e embora tenham um drop elevado a sensação que transmitem não é essa. Os materiais usados são de excelente qualidade e comodidade para os pés mesmo quando descalços. Este modelo está disponível em várias cores, a versão testada foi a mais exótica e que garante vários olhares de curiosidade quando passamos a correr.

 

IMG_20160606_194407.jpg

 

Estabilidade e Aderência

 

Em termos de estabilidade nota muito positiva, o sistema Disc "abraça" o pé de uma maneira uniforme e super confortável, impedido que este se movimente no interior da sapatilha, para além disso o encaixe do calcanhar é suberbo. Relativamente a aderência testei estas sapatilhas em vários tipo de terreno urbanos, calçada portuguesa, alcatrão, cimento e pista e a sola mostrou-se segura, mesmo no molhado.

 

IMG_20160627_200057.jpg

 

 

Conforto

 

É das sapatilhas mais confortáveis que já calcei, de facto este sistema bizarro de aperto transmite conforto e segurança num só devido à uniformidade do aperto e graças ao Disc, elas não se despertam enquanto corremos.
Os materiais usando são da melhor qualidade e resistência, mais uma vez uniforme em todo o upper, dando uma sensação e continuidade. O conforto também é garantido pela sola Ignite que absorve o impacto e devolve alguma dessa energia para a próxima passada promovendo também o conforto.

 

IMG_20160627_200134.jpg

 

 

Amortecimento

 

Já disse que estas Puma Disc são construídas em cima de uma sola Ignite, não disse? Pois já então não é preciso dizer mais nada.
De facto a tecnologia Ignite é a obra prima da Puma e com toda a razão, deste o retorno de energia de passada, passando pelo conforto e amortecimento, ela sente-se que funciona e mesmo não sendo umas sapatilhas maximalistas o amortecimento é confortável e suficente para fazer pelo menos uma distância de meia maratona de forma rápida e confortável.

 

IMG_20160627_200152.jpg

 

 

Preço

 

Actualmente com um PVP de 79.90€ em algumas lojas é um excelente preço para uma sapatilhas desta de qualidade (ponto final).

 

 

Em suma e em jeito de conclusão, adoro estas Puma Ignite Disc, são de facto na minha lista de favoritas e seu sistema de aperto não é apenas um shoe gadjet bizarro, não de facto é uma "inovação" com 25 anos que de facto funciona.
Foram também a minha escolha a segmento de corrida no Triatlo de Oeiras, devido à facilidade com que se calçam e leveza.

 

 

Design/Construção 17/20

Estabilidade e Aderência 18/20

Conforto 19/20

Amortecimento 17/20

Preço 17/20

Total 88/100

Pág. 4/4

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D