Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Recordar a melhor prova de trail running do mundo!

Por Filipe Gil

E como é domingo publicamos um vídeo daquela que é a melhor prova de trail do mundo: a Western States 100, com já aqui o tinha afirmado. Este vídeo é da edição de 2015, que decorreu no passado sábado/domingo na Califórnia. Mesmo que discordem, vejam o vídeo são 5 minutos de puro prazer que nos faz desligar o computador e ir correr para os trilhos. Mas cuidado com o calor. Leiam ou releiam aquilo que escrevemos há uns tempos. 

Como chegar ao fim da época já com saudades de correr?

11401429_905880156118072_7039716352603570727_n.jpg

 Por Nuno Malcata

 

Quando chego ao final de Junho, para mim está a acabar a "época".

A minha época 2014/2015 foi até hoje aquela com mais km corridos.(+1750km).  Já tive outras com mais km feitos, acho, mas eram feitos mais na bicicleta que a correr.

 

Está assim na altura de tirar algumas conclusões acerca do trajeto que fiz desde Setembro de 2014 até agora, final de Junho.

 

Costumo fazer esta divagação comigo mesmo e com alguns poucos que me rodeiam e aturam, desta vez decidi partilhar com todos vocês, salientando desde já que o valor acrescentado sendo pouco ou nulo, é partilha.

 

Falar de corrida ou desporto são sinónimos para mim, se esta época corri mais do que fiz outro desporto qualquer, o correr como o andar de bicicleta, nadar, fazer snowboard, jogar ténis ou basket têm significados muito semelhantes.

Seja num treino ou numa prova, os objetivos são muito semelhantes, quero divertir-me e sentir que os que me rodeiam se estão a divertir e sorrir, muito.

 

E ser competitivo? Perguntam vocês, ou talvez não.

Respondo que comigo mesmo sim, mas não procuro ou preciso chegar numa corrida antes de ninguém, já se participo num jogo coletivo sou mais, ou mesmo jogando ténis, na corrida ou bike, nem por isso.

Sobretudo isto acontece mais quando estou nos trilhos e mergulho na natureza, lá se vai a competitividade :)

 

11206527_1110407678974621_4924623766855826582_o.jp

 

Mas o que a corrida/desporto realmente significam para mim e porque dou tanta importância a isto na minha vida?

Desporto para mim é concretização, realizar algo que me faz sentir realmente bem. Por isso corro, pedalo, salto, caio, rebolo, nado, etc... vivo.

 

Se hà 1 ano, antes da estreia no Triatlo de Oeiras, planeava evoluir na modalidade, uma grande asneira deu num rombo financeiro que impediu a compra do material para o fazer (fato e bike de estrada).

Assim decidi concentrar o foco apenas em corrida, e em trilho, além do retorno a Sevilha para fazer como deve de ser a Maratona.

 

Para esta época grande parte dos meus desafios foram concretizados com sucesso, desde o Trail da Lousã em Outubro, Maratona de Sevilha em Fevereiro, a 1ª Ultra no Piodão, o fascinante GTA em Abril e o Azores Trail Run em Maio.

 11044643_10152830417744958_4401695020080569286_o.j

Mas se melhorei muitos fatores que me fizeram ultrapassar estes desafios pessoais, nesta fase concluo também que fiz muita coisa de forma errada, e o corpo está a pagar por isso. A carga foi demais,  e as mazelas fazem-se sentir.

 

Se depois do GTA, hà 2 meses atrás, parar e descansar parecia ser a estratégia certa, o ter feito no meio desse descanso 1 Meia Maratona provou ser o ponto final numa integridade fisica já debilitada.

 

O Azores Trail Run já foi feito num modo que não me agradou, sempre a controlar problemas físicos, a parte de desfrutar realmente da prova como gosto já não foi feita a 100%.

 

O mês de Junho deveria ter sido o mês de desfrutar provas pontuais, mais pequenas, mas ao contrário disso foi um mês de quase paragem absoluta e o shift para um modo de treino sem corrida, e de tratamento dos problemas que me afligem.

 

Obviamente que a motivação não foi a mesma, a motivação e foco não tem sido um desafio ou uma prova, mas o apenas voltar a sentir-me bem, sem dores para em breve poder voltar a disfrutar de uma boa corrida. 

 

Que saudades que eu tenho de correr como deve de ser... foi hà 2 meses e parece que foi hà uma eternidade.

 

Também relacionado com este mundo da corrida na minha vida está o Correr na Cidade e a Crew ao qual pertenço, para os quais tenho dedicado uma boa parte do meu tempo livre, e aprendo e recebo tanto ou mais do que o dou de mim.

 

1523112_807873275960672_988061007689595042_o.jpg

O Correr na Cidade tem sido sobretudo importante para mim ao nível que coloquei este post, o da partilha, partilha do que gosto e me faz sentir bem com todos os que connosco treinam, nos seguem, nos leêm.

Sentir que também todos eles se sentem realizados, felizes, me faz sentir realizado, FELIZ!

 

Adicionando a esta partilha, a amizade que tenho encontrado nesta família das corridas e em tanta gente boa que se tem cruzado comigo neste gosto comum, é algo, que como gosto de dizer, enche o coração.

 

Não interessa o que somos fora da corrida, não interessa o que fazemos, a cor, o credo, o que seja, no treino, na corrida, na prova somos todos iguais, corredores/desportistas/atletas, mais amadores ou menos, não interessa.

Correr para mim também é um factor importantíssmo nas fases menos boas que passo, esteja triste, ansioso, stressado, frustrado, deprimido, "whatever"...

... e nesta fase menos boa, por várias razões, não poder correr, não ajuda, mas posso andar de bike, nadar e fazer tudo para dar a volta a tudo o que anda menos bem.

 

Para isso, e já em modo de conclusão, o melhor para mim é colocar o foco no futuro, melhorar, evoluir e voltar a ter um objetivo, um GRANDE desafio.

 

Esse GRANDE desafio já está marcado, para a próxima época, a 28 de Novembro, o DESAFIO LURBEL, uma prova de 82Km com 4500D+.

 

altDL.jpg

 

E para melhorar e fazer as coisas da melhor forma conto com o apoio de quem me rodeia, Crew, amigos, família, e a partir de agora com a palavra sábia de alguém que hà algum tempo muito admiro, muito sabe de corrida e corrida em trilhos e a quem pedi para me orientar e treinar, e que para minha grande alegria aceitou.

 

Acompanhem-me neste caminho aqui no Blog e nos treinos do Correr na Cidade muito em breve, espero eu :)

 

Boas férias, boas corridas!

11080443_886777131385017_6741845934054844440_o.jpg

Sapatilhas de corrida, novas marcas disponíveis

Brands 1.jpg

 Por: Tiago Portugal

 

Pouco mais de 1 mês depois de ter escrito sobre a diversidade de marcas presentes no mercado português, vejo com satisfação que neste curto espaço de tempo alguma coisa mudou.  Os corredores nacionais têm, finalmente, uma maior liberdade de escolha relativamente às sapatilhas de corrida, e o mesmo se poderá dizer no que respeita ao têxtil especializado.

 

Os meses de maio e junho foram prolíferos em termos de novas marcas a entrarem no mercado ou pelo menos com uma mudança estratégica de maior aposta em solo nacional.

 

Mas o que terá mudado para de repente o mercado português se ter tornado mais apelativo para algumas dessas marcas? 

 

Correr está na moda? Claramente que sim.

 

Vê-se cada vez mais portugueses a correr? Também é verdade e ainda existe muito espaço para crescer.

 

Portugal tem condições idílicas para a prática da corrida? Claro, sendo que o trail em particular pode tornar o nosso país num destino para corredores de todo o mundo. A recente notícia da criação do 1.º centro de trail em Penacova, by Carlos Sá, é mais um sinal de que o turismo desportivo pode e deve ser uma aposta em Portugal.

 

Mas não nos iludamos, acima de tudo é uma oportunidade de negócio que as marcas estão a ver e não querem deixar passar. Fazendo umas contas de “sapateiro”, segundo um recente estudo do IPAM, 2014, existem 1,45 milhões de praticantes de corrida em Portugal. Vou ser mais cauteloso e reduzir esse número para 1 milhão. De acordo com esse mesmo estudo, que está disponível na internet para consulta, cada 1 desses corredores gasta cerca de 118 euros em calçado desportivo por ano.

 

Já fizeram as contas? São 118 milhões de euros gastos em sapatilhas. Se desse bolo conseguir uma fatia de 5% a 10% de cota de mercado são entre 6 a 12 milhões de euros. Temos que retirar a estes valores os custos operacionais da operação e a margem dos revendedores, mas acredito que ainda se ganhe algum dinheiro com isto da “corrida”.

 

Não é portanto de admirar que recentemente algumas marcas tenham decidido apostar no nosso país, com isso ganhamos nós todos que gostamos de correr.

 

11.png

 Ainda temos muito caminho para percorrer, nomeadamente em termos de lojas ou espaços dedicados ou especializados em corrida. Ver, tocar, sentir e experimentar são essenciais na escolha de novas sapatilhas. É importante experimentar. A biomecânica de corrida é muito pessoal, assim como a nossa forma do pé e aquilo que pretendemos/objetivos que temos com a corrida. Tudo isto em conjunto dita as nossas necessidades e influencia na hora de escolher a melhor opção para nós.

 

Um modelo que seja o mais correto para mim não é necessariamente o mais indicado para todos.

 

Escolher em função do “este é o mais bonito” ou "ouvi dizer que estes eram bons" é um erro e pode ter consequências a médio/longo prazo, tais como o surgimento de lesões.

 

Para ajudar na tomada de decisão é importante ir com alguma informação, leitura de reviews, características técnicas dos modelos, saber o que queremos e os nossos objetivos e puder contar com apoio ou ajuda especializada na hora de escolher.

 

Existem em Portugal, pelo que sei, 2 lojas especializadas em corrida, uma em Lisboa e outra no Porto. Nestes espaços encontramos pessoas habilitadas para nos ajudar na escolha acertada.

Além destas existam ainda algumas lojas de desporto, próprias de marcas tais como Adidas, ASICS,Nike, New Balance, Salming, Merrell e Skechers, onde podemos ser orientados para uma escolha mais acertada, dentro dos vários modelos de cada uma das marcas. 

 

No entanto, a grande maioria, na qual me encontro, utiliza maioritariamente os grandes espaços dedicados ao desporto, estou a referir-me a 3 grandes lojas, para comprar o material de que precisa. E aqui, e isto é uma opinião puramente pessoal, já ouvi algumas barbaridades a serem ditas aos clientes, propondo modelos sem nenhum tipo de critério técnico ou atenção para com o consumidor final.

 

Acredito que exista falta de informação e formação a quem trabalhe nestas lojas.

 

Encontrar o equilíbrio correto entre amortecimento, suporte, ajuste e comodidade consegue-se através da experimentação, sensações e aconselhamento especializado.

 

Resumindo, o mercado nacional está cada vez mais diversificado e o consumidor tem cada vez mais liberdade na hora de escolher a sua próxima sapatilha. Temos agora que começar a apostar em dar mais informação e ajuda especializada quando chegar essa altura. 

 

Boas corridas a todos.

 

Julho é para pôr o músculo a arder!

Treinos CnC - Julho15

Se para uns o objectivo resume-se a desaparecer do ginásio para ir  passear o six-pack ou bumbum definido pelos areais nacionais, aqui a malta do CnC continua a semear... práticas para um estilo de vida mais saudável ou formas simples de combater o sedentarismo, tudo isto com uns pózinhos (ou uma poeirada valente) de convivio e muita animação.

Marca já as seguintes datas na tua agenda, confirma a tua presença no Facebook e não te esqueças que estes treinos são guiados por elementos do Correr na Cidade, sendo corridas livres, não organizados, não têm dorsal, não têm seguro colectivo e são gratuitos!


Geralmente, o ritmo é marcado pelo participante menos rápido, sendo que NINGUÉM fica para trás e pedimos aos mais velozes que se adaptem e “façam piscinas” sempre que se justifique.

 

KICKASS WOW
Data: 9 de Julho, quinta-feira
Ponto de Encontro: Parque Eduardo VII junto aos autocarros turísticos
Hora de encontro / partida: 19h30 / 19H45
Distância / Duração (aprox.): 1h30
Tipologia de treino: funcional - condicionamento físico e reforço muscular
Não esquecer: hidratação
Guias do Correr na Cidade: João Gonçalves e Bo Irik
Confirma a tua presença no Facebook!

 

--


SUBIDAS NO RESTELO
Data: 14 de Julho, terça-feira
Ponto de Encontro: Estação CP Algés (lado terra)
Hora de encontro / partida: 20:30 / 20:45
Distância / Duração (aprox.): 7km / 1h de treino
Tipologia de treino: treino de subidas em modo city trail
Não esquecer: hidratação
Guias do Correr na Cidade: Natália Costa
Confirma a tua presença no Facebook!


--


LET’S MEET AT THE PARK
Data: 23 de Julho, quinta-feira
Ponto de Encontro: Parque Eduardo VII, junto aos autocarros turísticos
Hora de encontro / partida: 19h45 / 20h00;
Distância / Duração (aprox.): 10Km
Tipo de treino: misto - estrada e trilhos
Não esquecer: hidratação
Guias do Correr na Cidade: Bo Irik e Tiago Portugal
Confirma a tua presença no Facebook!

--



SEXY SLOW TRAIL
Data: 26 de Julho, domingo
Ponto de Encontro: Jamor, em frente ao Café da canoagem
Hora de encontro / partida: 08h00 / 08h30;
Distância / Duração (aprox.): 8Km;
Tipo de treino: iniciação ao trail
Não esquecer: hidratação e sapatilhas de trail
Guias do Correr na Cidade: Ana Morais
Confirma a tua presença no Facebook!

 

 

O desafio está lançado... venham treinar connosco!

 

Pág. 5/5

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D