Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

1ª Impressão: Saucony Triumph ISO

26.12.14 | Nuno Malcata

IMG_3750.JPG

Eu e a Liliana Moreira recebemos para testar os novissimos Saucony Triumph ISO, que já vos mostrámos aqui.

 

Este novo modelo dos Saucony Triumph, feito para passada neutra, introduz várias evoluções relativamente ao modelo anterior, sobretudo ao nível do conforto, com um aumento do amortecimento de cerca de 20%, e uma estrutura desenhada para que seja leve e com o máximo de conforto.

 

São os primeiro ténis da Salcony que testo, e já à bastante tempo que tinha vontade de o fazer, é uma das marcas de referência em termos de qualidade e as referências que tinha eram bastante boas, pelo que o entusiasmo foi muito.

 

Nesta fase, o meu foco está a ser o treino para a Maratona de Sevilha, em Fevereiro, a primeira impressão foi feita num treino urbano de 10Km, sempre em alcatrão e passeios.

IMG_3754.JPG

Ao calçar os ténis, percebi a noção de construção pensada para estes ténis, com a sua nova tecnologia ISOFIT, desde a componente onde se coloca o pé, aos “dedos” que abraçam o pé quando se apertam os cordões até à parte da frente numa malha respirável e muito confortável.

 

No arranque do treino, nos primeiro quilómetros, houve uma adaptação dos pés aos ténis, e vice versa, não foi imediata a sensação de conforto embora na componente de amortecimento se note imediatamente o grande nível de amortecimento deste modelo, com a tecnologia PWRGRID+.

 

A partir dos 5Km notei um equilibrio muito bom entre o amortecimento e leveza dos ténis, deu até para esquecer que eram ténis novos, gostei. Chegado a casa nada de contrariedades nos pés, bolhas ou assaduras.

 

A primeira impressão é assim bastante positiva, nas próximas semanas vou fazer alguns treinos mais longos com os ténis, e validar se são uma boa aposta para o dia da Maratona de Sevilha.

Amanhã há treino para queimar as calorias de Natal!

25.12.14 | Filipe Gil

10367794_734523553295645_9529265558154103_n.jpg

Feliz Natal, mais uma vez. Agora que já devem estar bem cheios de calorias, com doces, fritos e álcool, e a culpa começa a pesar, que tal começar a pensar em corrida para queimar um pouco do que acumularam nestes quase dois dias de comida e bebida?

 

E que tal um treino madrugador esta sexta-feira. Um treino pré-laboral, pelas 07h00m com ponto de encontro no Complexo das Piscinas do Jamor. O encontro é 15 minutos antes para se começar a horas? O convite fica feito!

Feliz Natal!!!!

24.12.14 | Filipe Gil

São os votos da crew do Correr na Cidade para todos os leitores e amigos. Hoje, dia 24 e amanhã, dia 25 é dia de celebrar o Natal, de estar em família e de comer doces e ingerir calorias.

E, por isso mesmo, voltamos às corridas já no dia 26 de dezembro, às 7:00 nas Piscinas do Jamor. Treino de 1hora dado pelo Nuno Malcata e Bruno Andrade. Mas até lá: celebrem. Feliz Natal!!!

boasfestas_cnc_encarnado.jpg

 

 

 

Race Report: Albufeira Night Trail

24.12.14 | Filipe Gil

InatelAlbufeira2014.jpg

Ainda o Albufeira Night Trail. Hoje publicamos a race report do Nuno Simões, nosso convidado na prova e que nos relata como lhe correu esta prova.

Por Nuno Simões

 

Antes do Trail

Correr na minha terra e p’ra mais à noite foi mote quanto baste para abraçar mais um desafio desportivo, aliado a uma excelente companhia! O meu companheiro João Dionísio revelou-se, como habitualmente, um bom companheiro de corrida. O facto de esta ser a minha primeira prova de trail parcialmente noturna e o percurso, que não conhecia na totalidade, foram atrativos suficientes para me levar de Lisboa a Paderne, para fazer os 20 quilómetros do INATEL Albufeira Night Trail (a viagem para Albufeira foi feita no próprio dia da corrida). Na semana que antecedeu a prova, os preparativos foram uma preocupação constante, desde os treinos, passando pela compra do material exigido para a prova. 

 

O Dia do Trail

Depois do almoço no dia 13, eu e o meu companheiro João, tratámos de todo o equipamento e zarpámos cheios de força em direção ao INATEL de Albufeira para aproveitar o transporte de autocarro para Paderne assegurado pela organização. Regressar a Paderne, vila onde já não ia há vários anos, fez-me voltar atrás na memória.


Ao chegarmos a Paderne, por volta das 15h00, dirigimo-nos à sede da Junta de Freguesia e de seguida fizémos um breve reconhecimento pela vila. Decorria naquela tarde no estádio do Padernense Clube, o jogo de futebol de seniores Pardenense – Culatrense. A povoação de Paderne integra o Concelho de Albufeira e, nos meus tempos de juventude, era palco de empolgantes dérbis concelhios – Padernense/Guia, terra de onde sou natural.

 

À exceção do relvado, tudo o resto permanecia inalterado no Estádio, onde há cerca de 25 anos eu tinha ali disputado um jogo de futebol. Apesar dos anos passados, foi ainda assim possível reconhecer algumas das caras dos responsáveis do clube local.


Assistir a um jogo de futebol nos distritais é sempre uma experiência vibrante. A forma desgarrada e a fraca contenção verbal com que os locais defendem a sua equipa das decisões do árbitro é algo único! Próximo do bar assiste-se sempre a ricos e interessantes diálogos ao sabor de umas “jolas”. O João e eu saímos do Estádio para o aquecimento, decorria o intervalo do jogo, em que a equipa da casa perdia por 0-1, na sequência de uma grande penalidade. 

O Trail

Pouco passava das quarto da tarde, quando chegava o último autocarro com mais participantes. Antes da partida, houve tempo ainda para cumprimentar alguns amigos e conhecidos da zona de Albufeira. “Nunca corri tão pesado e com tanto material” ouvia-se entre os participantes antes da partida e durante o controlo 0 … 

 

Como previsto, a partida teve lugar por volta das 16h30 e lá fomos nós! O tempo estava fresco e a chuva fazia-se anunciar. Ao passar o Estádio do Padernense, entrámos logo no trilho deparando-nos com o primeiro e o mais difícil obstáculo de toda a prova, uma íngreme ladeira de mais de 1 quilómetro de extensão e que, no meu caso em particular, veio por um travão firme às sãs expetativas de um bom início de prova.


A descida que se seguiu, permitiu recuperar o folego e reequilibrar as energias, colocadas de novo em causa com a subida para o Castelo de Paderne e, onde, para aliviar a carga, deitei por terra todos os líquidos que levava.


O declive da encosta do Castelo e a subida até ao Mato do Escarpão, local mítico da região algarvia, foi de resto a parte mais bonita de todo o percurso, tendo a descida para a Ribeira de Quarteira, um vale de veredas torneando perfumadas moitas (expressão algarvia para arbustos de vários tipos!), proporcionado agradáveis momentos desportivos… Em alguns aspetos a organização primou pela excelência, pedindo aos habitantes locais para prenderem os cães à hora do trail e impedindo males maiores! Há, no entanto, a apontar a grave falha de total ausência de abastecimento ao longo dos 20 quilómetros … espero que não se repita!  

Concluída aquela inclinação, durante a qual o companheiro João deu-me o necessário apoio, a reta do Escarpão foi precisamente a parte da corrida em que melhor me senti, tendo acelerado um pouco o ritmo, numa altura em que caía a noite e o vento e a chuva se faziam sentir com maior intensidade. Das Ferreiras até Albufeira foi um pulo, passando pelos Cortezões e pelos Brejos, embora a falta de líquidos se começasse a fazer sentir!…


À chegada a Albufeira e por locais que na ocasião não reconhecia, prosseguiu-se a bom ritmo, até nos perdermos a uns escassos 800 metros da meta. Todavia, o conhecimento da cidade fez com que não nos enervássemos, seguindo pelo nosso próprio caminho, ainda que mais longo, facilmente chegando à rotunda do conhecido restaurante “Três Palmeiras” e descendo a Avenida Infante Dom Henrique em direção à INATEL. A brisa marítima e o cheiro a maresia que se faziam sentir à saída do túnel da INATEL contribuíram de forma decisiva para um agradável final de corrida, duas horas e cinco minutos após a partida.

 

Nuno Simões:

image004.jpg

 

João Dionísio:
image003.jpg

 

 

Passatempo: quanto te superaste em 2014?

23.12.14 | Bo Irik

ASICS1.jpg

O ano de 2014 foi, para muitos elementos da Crew do Correr na Cidade, um ano de mudança, de desafios e superação. Quer seja individualmente ou em grupo, conseguimos ir mais além e ultrapassar as nossas próprias dificuldades e dúvidas. Mas ao longo deste caminho não estivemos sozinhos, foram muitos os que nos acompanharam e terminaram o ano com os seus objetivos alcançados.


O Correr na Cidade e a ASICS querem presentear a mulher e o homem que ao longo deste ano mais se superaram. Achas que foste tu? Então envia nos um texto (basta um parágrafo) e uma ou duas fotos que evidenciam o que alcancaste em 2014 para run@corrernacidade.com. Sê criativo, cada um conseguiu grandes feitos!

 

Passaste de sedentário/a para fazer os 10km, correste a tua primeira maratona, iniciaste-te mundo dos trilhos ou perdeste 5kg...


Podem enviar a vossa candidatura até domingo dia 28 e dia 31, quarta feira, anunciaremos os vencedores, que serão votados pelo Correr na Cidade e ASICS Portugal.


A ASICS Portugal gentilmente nos cedeu os seguintes produtos para vos premiar:

ASICS.jpg

Os prémios são em tamanho M e L, para Mulher e Homem, respetivamente.

Férias e descanso

23.12.14 | Luis Moura

image.jpg

Por : Luis Moura

 

Férias !!!!

Faz hoje uma semana deste o ultimo treino. Desde essa altura e até ao final desta semana vou passar por um período de descanso absoluto.

 

Planeamento da época é super importante. Esta que acabei na semana passada começou.... faz esta semana 1 ano! por isso é importante o descanso.

Tenho +3000km este ano feito em algumas provas grandes e muitas meias-maratonas. É altura de parar as pernas por uns dias. E a cabeça. Deixar relaxar o corpo durante um tempo é tão importante como a alimentação ou um plano de treinos mais correto.

 

E este é um dos detalhes que normalmente nos esquecemos. Este ano de 2014 que está quase a acabar, alterei alguns dos meus pressupostos de treinos.

Reduzi o numero de treinos, onde em 2013 era normal treinar 5 ou 6x por semana e comecei a treinar entre 3 a 5x por semana, fazendo mais ou menos os mesmos km com vista ás ultras.

Reduzi a carga em alguns treinos e passei a treinar mais devagar em alguns casos. E nas 2 ultimas semanas antes de provas grandes, reduzir aos poucos a carga e deixar o corpo descansar.

Parecem pormenores pequenos mas o que fez é que o corpo foi descansando mais ao longo do ano e permitiu puxar mais quando era preciso, porque o estado era mais leve.

 

Tenho visto nos últimos meses muitos e grandes amigos dos últimos 3 anos a dar mostras de cansaço ou de pequenas maleitas devido a excesso de treino.

E muitos deles quando dizemos isso, "refilam" connosco e dizem que está tudo bem, que é coisa pequena e na corrida da semana seguinte já passa. Se calhar um descanso um pouco maior ia curar rapidamente esses problemas. é bom colocar carga no corpo, mas com planeamento e a saber quando e aonde o devemos fazer. Fazer 4x treinos por semana em carga e depois ao fim-de-semana ir fazer provas fisicamente puxadas, é meio caminho andado para ao fim de largos meses o corpo começar a ressentir e a demonstrar o seu cansaço.

Isso é nível para os profissionais. Esses sim, com objetivos, treinadores, fisioterapeutas, nutricionistas, etc. Isso é para outro nível.

Descansem mais que o corpo agradece ao fim de alguns anos.

 

Nos últimos 3 meses tive alguns bons resultados em algumas provas não por um ou outro detalhe que tenha mudado radicalmente, mas porque mudei um pouco vários detalhes.

Treinos com mais qualidade, mais focalizados nos objetivos, melhor alimentação, melhor planeamento da carga ao longo de 2/5 semanas antes das provas, melhor planeamento das provas.

 

O conselho que deixo para 2015

Se querem melhorar os tempos nas provas ou se querem aumentar progressivamente os km's que pretendem fazer, treinem muito para cada objetivo que tenham para 2015. Mas treinem bem e em qualidade. Esqueçam os treinos de quantidade e os treinos sociais onde quase que temos pressão para ir. Os treinos sociais tem o seu espaço na nossa vida mas não deve ser a maioria dos treinos. Podemos planear os treinos sociais no meio dos nossos treinos mas não podem ser o grosso dos treinos. Treinar a ritmos muito abaixo da nossa meta é mau para o nosso ritmo a longo prazo. E muito acima também é mau. O equilíbrio é a base de tudo e na corrida também. No meio de 3 ou 4 treinos mais puxados, um treino mais ligeiro na companhia dos nossos amigos é sempre bom.

Aproveitem se querem melhorar. E descansem. Descansem q.b. e deixem o corpo assimilar os treinos e as cargas que lhes metem em cima. Se estiverem parados por longos períodos de tempo ou sem resultados bons, reduzam na distancia das provas. Se custa fazer uma meia-maratona na próxima semana, desçam para os 10km e façam. Daqui a 1 mês ou quando se sentirem melhor, regressam ás meias. Demorar 3h para fazer uma meia-maratona é contraproducente na nossa preparação a longo prazo e estão a stressar a cabeça e o corpo. Retornem ao básico, tornem-se fortes novamente e regressem em grande depois.

 

Acima de tudo, aproveitem tudo o que fazem, porque só com muito gosto e paixão é que é possível fazer muitos km ‘s durante muitos anos sem nos aborrecermos ou chatear com alguma coisa. Se começa a ser uma obrigação ir aos treinos ou fazer X prova, começa a perder a piada e a base disto tudo.

 

Um Bom 2015 para todos e divirtam-se muito

Video do Albufeira Night Trail

22.12.14 | Nuno Malcata

Na semana passada, 4 dos nossos elementos da Running Crew participaram no primeiro Albufeira Night Trail, o Luís Moura no Ultra Trail de 47Km e a Liliana Moreira, a Joana Malcata e eu no Trail de 20Km.

 

Juntamos algumas das imagens que reuni no fim de semana em Albufeira e aqui vos trazemos para relembrarem ou conhecerem um pouco de como foi esta prova.

 

Esperamos que fiquem com vontade de em 2015 participar, nós lá estaremos de certeza!