Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Treino de hoje: City Green Trail

28.10.14 | Filipe Gil

1959527_711347462279921_7078068014604445854_n.jpg

É hoje, às 19h30m!

Mais um treino original pelos trilhos da cidade e da serra de Monsanto, um City Green Trail. O ponto de encontro é Praça Marquês de Pombal, junto ao Parque Eduardo VII, no local onde param os autocarros turísticos.

 

Depois o Tiago Portugal, mentor deste treino, e os restantes membros da crew do Correr na Cidade vão levar-vos a um percurso misto de city trail e....trail, pelos trilhos de Mosanto e irá trazer-vos de volta ao local de partida. Aceitam o desafio?

 

Confirmem a vossa presença no evento do facebook aqui

 

CITY GREEN TRAIL
Hora: 19h30m
Local: Marquês de Pombal (Parque Eduardo VII - junto ao estacionamento dos BUS turísticos)
Distância: 10 a 12Km
Observações: aconselha-se o uso de frontal e de sapatilhas de trail (ou hibridos)
E como sempre: ninguém fica para trás!

 

Esperamos por vocês!

Finalmente, um desafio: 50KM

27.10.14 | Filipe Gil

10477917_10152692461314050_2538107974087246212_n.j

Por Filipe Gil:

Já foram vários os desafios que os outros tantos membros do Correr na Cidade se propuseram a ultrapassar. Desde a 1ª Maratona do Nuno Ferreira e do Stefan, no ano passado e maratona do  Nuno Malcata em Sevilha. À passagem para as marcas de ultra trail do Pedro Luiz e da Carmo, aos 87Km do Tiago, aos 100K do Luís Moura e do Stefan Pequito, às marcas das meias maratonas da Natália, da Ana e da Joana e Liliana e, mais recentemente, a passagem para ultras em trail da Bo e do Nuno Malcata, entre outros.

 

Todos eles propuseram-se a desafiar o desconhecido, com melhor ou menor preparação, a sair da sua área de conforto, a ultrapassar os seus limites mentais e físicos e a servirem de exemplo para outros. A seguir a curiosidade de enfrentar o desconhecido.

No meio disto tudo, eu, que comecei este blogue há cerca de dois anos e meio, fui ficando como espectador.

A fascite plantar no final de 2013 assustou-me, estava a entrar num pico de forma e, de um momento para o outro, o tapete saiu de debaixo dos pés. Apenas fiz os 33Km da Lousã, distância record para mim, mas que não me deu azo a grandes emoções – comparado com os exemplos acima, da minha crew, sou dos corredores com menos km’s nas pernas.

OK, tenho filhos pequenos, viajo frequentemente, tenho um tipo de trabalho que tanto me permite escrever este tipo de post a meio do expediente como me tira sextas-feiras e sábados de manhã para escrever em paz e pensar criativamente. São tudo desculpas sinceras mas que não podem ser mais fortes do que a minha vontade de correr e de aceitar desafios.
AltimetriaUltraPiodão2.png

A altimetria dos 50Km do Piódão - parece fácil, não?

 

Por isso, assim, sem pensar muito, decidi propor-me um desafio: os 50Km do Piódão no próximo 28 de Março. E, se tudo correr bem, passar a dizer que sou ultra maratonista.

Medo? Não pensei muito nisso, ainda faltam uns meses largos. Se estou preparado, agora não, mas espero estar na altura. Se vou ter um plano de treinos? Com certeza que sim, dentro do possível de um profissional dedicado à minha profissão e à minha família. Mas vou confiar e pedir ajuda aos meus amigos de crew, mais experientes que eu, que me vão ajudar a fazer os 50K. Sigam as cenas dos próximos capítulos aqui no blogue.

Boas corridas.

E aqui fica o vídeo promocional do Ultra de Piódão:

Unboxing: Puma Faas 600v2

27.10.14 | Filipe Gil

IMG_6238.JPG

Por Natália Costa

 

Às vezes é assim, recebemos novo material para testar e nem esperamos para sair para a rua e correr com as novas sapatilhas. Foi o meu caso com estes novos Puma Faas 600v2, mal os tirei da caixa e vi o quão bonitos são, não resisti e fui  logo correr com eles (aqui a minha 1ª impressão). Só mais tarde fiz o Unboxing, que aqui vos deixo, para perceber os pormenores destes Faas 600.

Boa semana e boas corridas.

IMG_6236.JPG

IMG_6237.JPG

IMG_6230.JPG

IMG_6232.JPG

 

 

MUT Sintra - uma viagem encantadora

26.10.14 | Bo Irik

Fiquei tão feliz quando se confirmou que a crew iria marcar presença no Meo Urban Trail (MUT) de Sintra em grande! O MUT de Lisboa foi uma festa onde a crew do Correr na Cidade esteve presente com grande parte da crew. Para Sintra fomos seis: a Ana, a Liliana, o Luís, o João, o Nuno, o Tiago e eu, e claro os nossos amigos :)

0.jpg

 A equipa pronta para a aventura

 

O tempo estava ótimo e como adoramos Sintra optámos por ir para lá mais cedinho para viver o ambiente da prova. Eu própria não estava nos meus dias mais fortes; depois dos 44km na Serra da Lousã a semana passada, só tinha treinado uma vez, no Treino pelo dia Municipal para a Igualdade (organizado em cooperação com o João Campos e a CML), onde corri 10km. Assim sendo, fui sem expetativas de tempos e sim, com elevadas expetativas de diversão que foram, sem dúvida, satisfeitas!

 

O espaço para o levantamento dos dorsais estava muito bem organizado, num dos largos mais emblemáticos da vila, o Largo Rainha Dona Amélia (Palácio Nacional de Sintra), onde também se iriam realizar a partida e chegada da prova. Tudo muito bem organizado, nada de filas e um ambiente encantador. Após pôr a conversa em dia com os amigos, lá avançamos para a partida onde se realizou um aquecimento.

1.jpg

Ready!?

 

Sabendo que me iria facilmente abaixo nas subidas, decidi acelerar bem nas descidas e partes planas. Assim, com o tiro da partida, voei a um bom ritmo, abaixo dos 5:00, até encontrar a primeira parede, sendo que levei 10 minutos e meio a fazer o terceiro km. Ufa, as minhas pernas só gritavam que ainda não tinham recuperado dos 44km sete dias antes… Sofri mas nas descidas o sofrimento desaparecia e fosse em calçada ou trilhos, rolava para baixo.

 

O percurso foi magnífico, fez jus à beleza e encanto da vila, com trilhos por becos estreitos, trilhos em terra no cimo da colina junto ao palácio, escadinhas simpáticas (ou outras menos simpáticas), e vistas deslumbrantes. O facto de a prova ser a noite faz com que a viagem seja ainda mais misteriosa. Foi indo! Ah, e os cheiros? Foram 10km de prazer para o nariz também ahaha eucalipto, flor citrinos e jasmim. Foi uma prova que despertou os 5 sentidos, particularmente com a bela da queijada no fim!

 

A prova em números:

Distância: 10,1km

Desnível acumulado: 536

Tempo de prova: 1h11min

Tempo em movimento: 1h09min

Pace: 6:54/km

Km mais rápido: 4:47/km, o primeiro

Km menos rápido: 10:33/km, o terceiro

Alimentação: água, pera, travesseiros e queijadas!

3.jpg

 The boys...

2.jpg

 And the girls...

 

Em poucas palavras, gostei muito da prova. Excelente organização com muitos voluntários simpáticos, ótima sinalização e abastecimentos. Tenho apenas dois pontos menos positivos a apontar: o primeiro foi o congestionamento na subida ao palácio, embora compreenda que seja quase inevitável em percursos com passagens estreitas. Outro ponto é o preço. Para a corrida dos 10km, os preços variam entre os 17€ e 23€ consoante os prazos, que é um valor considerável para uma prova de 10km, se bem que não é uma prova “normal” :)  Para o ano, lá estarei!

Unboxing: Reebok All Terrain Trail

25.10.14 | Filipe Gil

20141015_19.JPG

Por Nuno Espadinha:

Vou ter a oportunidade de testar os Reebok All Terain Trail, as sapatilhas para homem da Reebok para trilhos e provas de obstáculos.

 
No Unboxing a primeira sensação é de robustez e qualidade de construção, para além das cores vivas que me agradam particularmente.Estou desejoso de os sujar e pôr à prova! Darei conta dessa experiência noutra altura, na 1ª impressão e mais tarde na review final.
 

20141015_4.JPG

20141015_12.JPG

20141015_15.JPG

20141015_16.JPG

 

 

Meo Urban Trail em Sintra

24.10.14 | Nuno Malcata

mutsintra.jpg

Por Nuno Malcata:

É já este sábado, dia 25 de outubro, que se realiza mais uma edição do Meo Urban Trail, desta vez a estreia da prova na fascinante Vila de Sintra.

 

Nas palavras da organização, na corrida de 10km "o percurso vai passar por alguns locais “Desafiantes”", parte do Largo Rainha Dona Amélia (Palácio Nacional de Sintra) e passa por vários locais emblematicos como a , Câmara Municipal, Fonte Sabuga, Subida escadas Muralha exterior Mouros, Estrada da Pena, Monte Sereno, Escadinhas Amarais, etc... com cerca de 500m D+, um desnível positivo considerável para uma prova de 10Km.

 

Na caminhada vâo ser percorridos cerca de 5 kms pela Quinta da Regaleira, num percurso cheio de locais fantásticos e muita animação.

 

Não se esqueçam das máquinas fotográficas, vai existir um passatempo/Concurso fotografia aberto a todos os participantes, onde 10 fotografias vão ser premiadas.

 

A Crew do Correr na Cidade adora estes percursos mistos de Trail Urbano e não vai faltar!

 

E vocês, vão estar presentes? Esperamos que sim, divirtam-se!

 

Sesamóidite... Diga lá outra vez...

24.10.14 | Pedro Tomás Luiz

Por Pedro Tomás Luiz:

Estava eu a sair de uma lesão e eis que, pela porta a dentro, surge outra... desta vez uma sesamóidite.

Este nome pomposo obteve da parte do pai o "sesamoi" (ossos do pé chamados desesamoides) e da parte da mãe o mundialmente famoso “dite” que penso dispensar apresentações.

sesamoids.jpg

 

Apesar de não muito conhecida, é uma lesão relativamente comum e muito associada a todos os desportos que envolvam corrida. As sua origem  provem essencialmente do impacto repetitivo sobre os pés, se bem que no meu caso, proveio de um trauma directo, o que traduzido em miúdos, significa um pontapé “à cristiano reinaldo” num belo menir.

 

O tratamento, na fase aguda, foi o clássico RICE (repouso, elevação gelo e compressão), coadjuvado por 7 dias de canadianas (continuamente repeti "mas que belo treino de bastões") e como o raça do pé teimava em não “desinchar” optei por realizar uma infiltração.

 

O resultado disto tudo foi um fim de época atribulado e antecipado, no qual vi escapar um dos meus objectivos para este ano a "Ultra de Gredos". Mas como alguém um dia me disse “Pedro as montanhas estão sempre lá e para o ano haverá certamente mais".

 

Ainda assim, só posso estar feliz porque no primeiro ano em que me aventurei na longa distância consegui completar 3 ultramaratonas (Abutres, Piodão e Arga), no Douro e Paiva passei a barreira da ultra mas não terminei (fiquei nos 45km ou nos 52km ) e tive a oportunidade fantástica de correr a maratona de Londres.

 

Agora é tempo de sarar as feridas, fortalecer o corpo e a mente e preparar os desafios do ano que aí  vem.

 

Moral: “as lesões fazem parte do pacote” e acontecem a todos. Verdade que acontecem mais a uns que a outros, mas para mim é mais uma etapa de aprendizagem na fantástica analogia entre a vida e a corrida.