Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Sobre o livro “Born to Run”

Ando para comprar este livro há meses. Contudo, cada vez que leio o prefácio acho o assunto ridículo, fecho o livro e não o compro.

Para mim, apesar de acreditar em algumas teorias da conspiração, não acredito que todos os seres humanos estão apetrechados para correr descalço. Há sim que treinar a passada, quando se correr regularmente, para “aterrar” com o meio do pé e não com o calcanhar.

Fica aqui um vídeo sobre o livro e o eterno debate de correr ou não descalço.

 

O início das Running Crews (vídeo)

Tal com as conhecemos hoje, as running crews talvez tenham nascido em Nova Iorque em 2005. Este vídeo testemunha a primeira corrida dos NYC Bridge Runners nesse ano. Talvez tenha sido esta corrida que despoletou aquilo que é hoje – e sobretudo foi em 2012 – o ano do boom das Running Crews em todo o mundo. Algo que sociologicamente se pode explicar pela necessidade das pessoas, sobretudo em tempos de crise, socializarem mais através de acções menos onerosas – como é o caso da corrida.

1º Treino de 2013

corrernacidade_1treino2013_1A manhã de hoje foi, finalmente, tempo para o 1º treino de 2013. Dos seis convocados, apenas três puderam comparecer em Monsanto às 9h para fazermos 10K – os meus primeiros de 2013 – do circuito da Corrida da Árvore.Notaram-se os quilos a mais “adquiridos” na época natalícia. E os 10K serviram para dar a primeira volta com os novos ténis que adquiri, tendo em vista as corridas/treinos mais longos, e as 3 meias maratona que me propus a fazer. São os Asics Gel DS Trainer 17 (mais tarde farei uma review sobre eles) que comprei em desconto. Poupei cerca quase 50€ do preço normal. Esta é, sem dúvida, uma altura fantástica para comprar equipamento de running.Há uns meses atrás tive uma péssima experiência com uns Gel Pulse 3 que me fizeram bolhas horríveis no…calcanhar.Espero não voltar a ter estes problemas com este modelo. Tenho grandes expetativas na Asics e só isso me faz abandonar a minha marca preferida: Nike.

Media Partner da Scalabis Night Race

Anunciamos, orgulhosamente, que este site é Media Partner da Scalabis Night Race que se irá realizar a 20 de Abril na cidade de Santarém. Esta iniciativa é organizada pela running crew Scalabis Night Runners.A partir de agora iremos ter amiúde artigos sobre esta prova, bem como as novidades mais importantes sobre esta iniciativa. Fiquem atentos.

S. Silvestre de Lisboa 2012: Race Report #2

Uma Corrida “ Santa”, por Bruno AndradeA minha ultima prova do ano, foi assim, uma corrida “ Santa” não só pela origem do nome da prova, São Silvestre, um Papa que comandou a Igreja Católica no período entre 31 de janeiro de 314 a 31 de dezembro de 335 d.C, ano em que morreu ( a sua festa é celebrada em 31 de Dezembro), mas também pela minha prestação.Pela segunda vez, a primeira foi em 2010, participei na São Silvestre de Lisboa, desta vez acompanhada pelo Filipe Gil e Nuno Espadinha.Um dos meus objetivos para esta prova era baixar o tempo de 2010 (53:37s), algo que de princípio não se adivinhava de tarefa fácil, uma vez que existia uma alteração ao último percurso que tinha feito: o facto de subirmos ate ao Saldanha, enquanto em 2010 ficávamos pela Rotunda do Marquês.No entanto, como em tudo na vida, tentei ver e procurar pelo positivo do trajecto, e como tudo o que sobe também desce, pensei que iria aproveitar bem essa descida do Saldanha até à meta final nos Restauradores. Além dessa descida, pensei logo em fazer mais kms abaixo dos 5 minutos, logo nos primeiros kms dos Restauradores ate ao Terreiro do Paço. Antes da prova tinha dito ao Filipe que esperava fazer cerca de uns 4 kms (intercalados) abaixo dos 5 minutos – acabei no final por fazer 5 kms abaixo dos 5 minutos.Nesse dia, e como manda a tradição, comi como ultima refeição principal uma boa pratada de massa e carne de forma a ter uma boa fonte de hidratos e proteína.O problema é que apesar de ter comido com cerca de 4 horas e meia antes da prova, parece que a digestão não foi tão rápida como o desejado.Ainda por cima, cometi o erro de comer metade de uma sandes uns 40minutos antes da prova. Fiquei com bastante receio que a meio da prova o estômago se virasse contra mim. Mais uma vez, e apesar de planearmos muitas vezes não arrancar em força para não nos desgastarmos rapidamente, a motivação, a adrenalina e o ambiente das provas levaram-nos a arrancar rápido e a começamos os primeiros kms abaixo dos 5 minutos.Surpreendeu-me bastante o número de atletas que participaram, pensei que ao km 4 já pudesse estar a correr sem problemas de tropeçar em ninguém, mas o fato foi que estive sempre acompanhado de muitos atletas ao longo de toda a prova. Muitos atletas e algum trajecto não muito regular (linhas de eléctrico, etc), fizeram com não déssemos ainda mais.602741_10151340479319819_449730882_nAte á Estação de Santa Apolónia fui sempre acompanhado pelo Filipe, o que é sempre uma vantagem, por já conhecermos o ritmo de cada um. A partir desse ponto, adiantei-me um pouco, mas sempre com a sensação que o Filipe nunca me perderia de vista.A corrida, apesar de algum trajecto irregular, correu-me bem ate ao início da Avenida da Liberdade, aí preparei-me para o início da subida, mas sensivelmente a meio, ao 7º km, fui-me muito abaixo, e apesar de nunca parar, fiz o meu pior km com 6:06s. Contudo, ao passar a Rotunda ganhei novo fôlego, porque sabia que o Saldanha estava mesmo ali, e depois seria descida ate ao final.E assim foi, mal dei a volta no Saldanha, fui buscar forças onde não pensei ter, e tentei acelerar o máximo que pude…apesar de já sentir uma ligeira “ dor de burro” ( o pior dos meus receios). Um pouco depois de passar o Marquês, o dispositivo que uso para correr ( Endomondo) indicava que talvez pudesse chegar ao final dentro da casa do minuto 50, e ao ver ao longe o balão da Asics fiquei com a sensação que era capaz mesmo de atingir essa meta, no entanto, esse balão não indicava a Meta Final e só mesmo uns metros lá à frente consegui finalizar, vendo que já não consegui o minuto 50, tentei de tudo para entrar no minuto 51…e lá consegui.Tempo Oficial : 00:51:45.  Melhor Marca Pessoal do Ano, e 4ª Melhor desde que tenho registo dos tempos ( 2010)Pontos Positivos:Grande afluência de atletas e público, apesar destes últimos como é habitual, grande parte ser muito tímida na participação.Publicidade da prova e a organização da mesma.Pontos Negativos:Algumas partes do Percurso mal tratadas (mas isso não é da responsabilidade da organização, mas sim da Câmara de Lisboa)Afunilamento no final. Quando se acabava a prova demorou-se demasiado tempo a sair do “funil”. 

Pág. 5/5