Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correr na Cidade

"Wannabe Triatleta" - Triatlo de Cascais

Imagem2.png

 

Por Pedro Tomás Luiz


Quando em março do ano passado, o Pedro Gomes (para quem não conhece ver aqui) escreveu dois posts para o nosso blog (post 1 e post 2) intitulados "o que deve saber para o seu primeiro triatlo" confesso, apesar de achar fantático o que ele fazia, os meus pensamentos estavam bem longe de pensar que tão cedo iria ariscar um triatlo.

 

Quem me conhece e lida comigo de perto,  sabe que incessantemente procuro novos desafios (com tudo o de bom e de mau que este tipo de forma de estar da vida tem) procuro experimentar coisas que me tirem o tapete, ou seja que me retirem da minha zona de conforto. Para mim a beleza da vida está na diversidade e na nossa capacidade de nos expormos a uma multiplicidade de experiências.

 

Assim, depois de ter feito os 115km do MIUT, os tempos que se seguiram foram sentidos com algum vazio e pautados com algum burnout à corrida.

 

A cabeça andava mergulhada em outros projetos e reflexo disso foi a minha prestação na ultra da Lousã (a cabeça fora, o corpo a não querer e um dia de calor infernal ditaram o desfecho da prova... uma desistência) é curioso que foi mais ou menos um ano depois do UTDP, embora aí tenha desistido por lesão. Depois disto acontecer, prometi a mim mesmo que me iria concentrar no grande projeto pessoal que tinha em mãos e tirar um período sabático de corrida.

 

Os treinos foram ajustados e a corrida passou ser mais um elemento e não o elemento. Neste período de comçei à procura das novas metas para o 2º semestre, tentando ajustar os calendários a um verão que me só iria permitir começar a treinar quase no fim de agosto.

 

Assim, quase sem querer deparei-em com o Triatlo de Cascais, telefonema para o coach, bênção dele e SIGA! Inscrição feita para o Triatlo de Cascais na versão World (1,1km natação, 46km de bicicleta e com 10,5km a correr).

Imagem1.png

Se para mim a bicicleta já era  bastante familiar, dado que há muito que faz parte da minha rotina de treinos, nadar era outra história completamente diferente. Na adolescência tinha nadado durante uns  anos, nada de sério nem nada nunca competitivo, juntando-se a isto o facto de desde essa altura que não punha os pés numa piscina para treinar. O mais perto de nadar que estava eram as braçadas na praia e na piscina durante o verão.

 

O plano foi começar na piscina, para relembrar, ganhar confiança e acima de tudo ganhar o ritmo que me permitisse nadar no mar sem grande perigo. Os primeiros treinos foram bastante difíceis e mesmo com um corpo  habituado ao esforço continuo, a diferença de ritmos e movimentos fazia-me ficar de tal forma ofegante que descontrolava por completo as respirações (muitos pirolitos bebi eu).

 

Tecnicamente não estava brilhante, mas poderia dizer que até estava bastante bem para quem não entrava numa piscina para nadar há mais de 10 anos. Como em tudo, a evolução fez-se notar de treino para treino, tendo conseguido baixar de uns míseros  2:30/100m para uns simpáticos 1:50/100m.

 

IMG-20150919-WA0001.jpg

 (Aula de natação em águas aberta com Filipe Silva, nadador "a sério", na praia dos pescadores - Ericeira)

 

A transição para o mar foi bem mais fácil do que pensava, tive claro está de investir num fato isotérmico para natação (nadar com água a 16º não é fácil), escolhi uma praia com pouca ondulação e fui passando de voltas em que parava todas as vezes na praia descansar, para voltas mais constantes onde me aventurava mais longe e com períodos de descanso mais curtos.

 

Em relação à bicicleta os treinos consistiram em aumentar a intensidade e o tempo que passava em cima dela. O maior investimento que fiz, com resultados imediatos na performance, foi um bike fit. No meu caso valeu mesmo todos euros, pois a diferença fez-se notar, passei a conseguir colocar mais velocidade com muito menos esforço. 

bike fit.jpg

 

 

Na corrida com 3 treinos por semana, foi basicamente andar sempre a treinar naqueles "ritmos de  estrada" onde o coração de se muda para a cabeça e os pulmões parece que vão saltar pela boca...

 

Desta forma 6 semanas depois, amanhã será o dia da estreia. Sem qualquer ambição, com um nervosinho miudinho (a logística de uma prova destas é muito diferente), mas com um grande sorriso nos lábios, vou focar-me em divertir-me e viver todo aquele ambiente ao máximo. É claro que se me perguntarem onde estás mais apreensivo, digo claramente que será na água, não só porque é onde sou claramente mais fraco mas porque todos os relatos que tenho de triatletas afirmam que o contacto físico dentro de agua é inevitável, bem como algumas manigâncias praticadas debaixo de água.

 

20150924_181401.jpg

 (Meta no Passeio D. Luís I em Cascais)

 

Fica o convite para amanhã apoiar os atletas numa das 3 provas:

  • 08:00 - CASCAISLONGDISTANCETRIATHLON
    • 1,9 Km de natação;
    • 90 Km de ciclismo;
    • 21,1 Km de corrida;
  • 07:45 - CASCAISWORLD
    • 1,1 Km de natação;
    • 46 Km de ciclismo;
    • 10,5 Km de corrida;
  • 13:00 -ADECCOSUPER-SPRINT
    • 300 m de natação;
    • 8 Km de ciclismo;
    • 2 Km de corrida;

 

 Até amanhã! 

5 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D