Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correr na Cidade

UTDP - Paulo Tavares um atleta do Norte! pois claro...

UTDP.png

 

O Ultra Trail Douro e Paiva decorre este fim-de-semana e com mais de 1000 atletas inscritos promete ser mais um grande evento de trail.

 

Desta vez fomos conhecer o Paulo Tavares, 5º classificado na edição do ano passado e padrinho da prova deste ano. Dotado de um afinado humor, de um grande companheirismo e treinado pelo Paulo Pires (treinador da Armada Portuguesa do Trail) é sem dúvida um atleta do Norte!! 

 10472169_723378667699961_1933086263289419346_o.jpg

Quem é o Paulo Tavares?

Sou natural de Matosinhos mas actualmente a viver em Braga, tenho 38 anos, casado com a Ana e neste momento sou supervisor na empresa de elevadores, tendo como hobbies o BTT, ciclismo e o ócio preferencialmente em frente ao mar. Sendo no Trail Runnig que está a minha paixão é onde realmente vou buscar a minha paz e equilíbrio.

 

Como começaste a correr? 

O meu interesse pelo desporto começou a + ou - há 8 anos comecei por brincadeira com um grupo de amigos que praticavam BTT na altura ainda não tinha bicicleta e todos os fins-de-semana alugava uma para poder ir com eles, até que no natal desse ano a Patrícia, a minha esposa, ofereceu-me um cheque bicicleta... pouco tempo depois comecei a participar em provas ganhando o gosto pela modalidade e nesse mesmo ano abri uma associação, criei uma equipa e federei-me, nessa altura decidi também deixar de fumar que foi uma das melhores decisões que tomei até hoje. Andei neste desporto durante 4 anos em que a prova que mais me marcou foi o Brasil Raid por ser uma prova em duplas, por etapas e rodeado de magnificas paisagens da Chapada Diamantina, um dia vou lá voltar mas desta vez não levo a bicicleta mas sim as sapatilhas

A corrida apareceu após uma lesão que me impedia de andar de bicicleta, foi ai que comecei a dar umas corridas para não perder a forma e quando alguns amigos me convidaram para ir fazer uma prova de Trail Runnig fiquei completamente apaixonado pela modalidade, fez-me lembrar os tempos de miúdo em que brincava na mata perto de casa, relembrando-me da sensação de correr pelo meio da vegetação transpondo os obstáculos que vão aparecendo voltando a despertando a criança que tenho em mim. Estes sentimentos que muitas vezes nem sei explicar, são o que me faz calçar as sapatilhas e sair mesmo quando a vontade não é nenhuma.

 

10805682_796783510379200_8983757653078289755_n.jpg

 

Desde que corres qual foi até hoje o ponto mais alto?

Ao longo do meu percurso nesta modalidade já tive a oportunidade de percorrer trilhos de vários pontos de Portugal e também de outros países, sendo que a experiencia que mais me marcou foi a ida a Chamonix onde participei no TDS uma prova que tem tanto de dura como de magnifica vivida num ambiente extraordinário.

 

O que representa para ti o Trail Running?

O Trail para mim representa uma superação constante dos meus limites, encaro as provas sempre como uma competição pessoal, onde tento superar sempre as minhas capacidades físicas e mentais, sou bastante exigente comigo próprio, pois só assim é que consigo evoluir. Esta forma de encarar a modalidade fez que ao fim de pouco tempo arrisca-se em provas de três dígitos

 

Quem são os seus atletas de referência?

Os meus atletas de referência são Armando Teixeira, a quem deixo um especial agradecimento pelo apoio e motivação que me tem dado, o Carlos Sá, Nuno Silva, Ester Alves e a Lucinda ..... todos eles com percursos respeitáveis e a acima de tudo têm sido responsáveis pela divulgação e crescimento da modalidade em Portugal.

 

1513864_897139736976812_4919876839703039009_n.jpg

 

Como vês o movimento do Trail em Portugal, com o número de provas a aumentar exponencialmente? o que podemos esperar do futuro? Diferenças em Relação ao passado?

O Trail em Portugal está numa fase de crescimento com o número de atletas a aumentar de dia para dia é importante passar a mensagem e o espírito desta modalidade, não deixando que a competição e o negócio se sobreponham.

 

Lesões, já passaste por esse calvário?

Infelizmente já sofri algumas lesões sendo a mais grave uma entorse com rotura parcial dos ligamentos que me obrigou a uma longa paragem de 4 meses, as lesões são o maior inimigo do atleta é preciso muita capacidade para lidar com a frustração de não puder treinar e aceitar que não se vão atingir os objectivos a que se propõem, a impotência e frustração são os piores sentimentos que se podem sentir.

 

O que podem os atletas esperar desta prova?

O UTDP vai ser uma prova com um grau de dificuldade elevado, que percorrerá os lindíssimos trilhos de Cinfães do Douro, Sugiro que tenham em atenção a hidratação, beber muita água, levar protector solar e o equipamento adequado. Nunca esquecendo a velha máxima beber antes de sentir sede e comer antes de sentir a fome, para mim são os cuidados mais importantes a ter.


Estudar a prova é fundamental, saber os pontos de abastecimento, saber onde estão concentradas as maiores dificuldades da prova, bem como as características do terreno, com este conhecimento é possível efectuar um planeamento mais exacto da prova de forma atingir o nosso objectivo

 

Uma dica rápida?

A minha mensagem para quem está a começar a modalidade é que respeitem a Natureza sejam companheiros e altruístas com os outros atletas, mantendo assim o espírito do Trail.

 

11012357_893733567349848_305017317165523_o.jpg

 




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D