Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correr na Cidade

Uma lesão estranha

20131112-111939.jpgAs horas depois do trail de Casainhos foram normais. Algumas dores musculares nos gémeos, aliás, muitas dores, mas nada de especial. O pior veio depois na manhã de 2ª feira, ao levantar-me da cama e ao colocar os pés no chão senti uma dor forte no pé direito. Uma dor que vem de cima do pé para o lado, na parte lateral, numa espécie de osso que tenho por ali. Estranhei, nunca tive destas dores, mas tentei fazer a minha vida normalmente.Contudo, quando calcei os sapatos, e com a forma destes, o pé começou a doer ainda mais. Consegui andar, mas sempre com dores. E quando parado sentia uma ligeira dor, mas que os afazeres profissionais fizeram esquecer. À noite continuava a doer. Optei por colocar calor em vez de gelo e apesar de saber bem, as coisas não melhoraram. Hoje quando acordei doía ainda mais. Mas nada de inchaço ou lesão visível. Pedi informação aos meus amigos corredores que aconselharam a colocar gelo (só o posso fazer à noite, em casa) pomada Voltaren e a colocar algo a fazer compressão – optei por uma ligadura elástica. Os pés são muito complicados, só espero que esta estranha lesão, no sentido que nunca tinha sentido nada assim, passe depressa.Como possíveis causas desta lesão aponto o mau aquecimento que fiz no início da prova e o fato de ter usado ténis minimalistas no meu primeiro trail, (ténis com 4mm de drop para corredores neutros). Não o devia ter feito. Não estou habituado a esta alternância de pisos (lama, pedras, relva, subidas e descidas) e o corpo, sobretudo os pés, nesta primeira adaptação ao trail pediam um drop de 8mm. Erro meu!Os ténis portaram-se muito bem em tudo o resto, sobretudo a secarem depois de molhados, mas de facto, lá para o km 13/14 o meu corpo estava a precisar de mais suporte. Lembro-me que fiz uma das últimas descidas de lado, colocando o peso todo no lado esquerdo, estando, nessa altura, o corpo a tentar corrigir uma possível lesão (a que estou a sentir) no pé direito. Lembro-me que na altura estranhei estar assim, mas associei ao cansaço.Na net descobri este excelente texto que, na minha opinião, diz muito sobre o uso de minimalistas no trail. E, convém relembrar, que o Trail de Casainhos não é um qualquer. Apesar de curto é exigente. E, hoje, não tenho dúvidas, exigiam outro tipo de ténis e uma abordagem menos minimalistas. Deixo os minimalismos para a estrada e aconselho o uso em trail apenas a corredores mais experientes. Agora é descansar e esperar que no sábado já possa voltar às corridas com um treino ligeiro.

5 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D