Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correr na Cidade

Um treino muito difícil

unnamed.jpg

Por Filipe Gil

Um blogue é também um espaço de confissão, de partilha, quer de sucessos ou de insucessos. E apesar de ter estado o dia todo a pensar se escreveria ou não este post, achei que pode ser interessante partilhar, porque isto de correr não é só calçar umas sapatilhas e sair para a rua  com um sorriso na cara. Não. A vida é um pouco mais complicada que isso.

 

Ontem fui um daqueles dias profissionais que nos levam quase ao desespero. Contratempos que não pude controlar, desilusões, dificuldades atrás de dificuldades. Enfim, quase o normal nos dias de hoje. Fico muito aborrecido quando tenho situações muito planeadas, controladas e que depois falham e ainda por cima não por culpa minha. Mas acontece! Sobretudo para quem tem cargos de responsabilidade. Custa, mas não há volta a dar.

 

Cheguei a casa de cabeça a fervilhar e desiludido e sem forças para ir correr. De qualquer forma como tinha uns ténis novos para estrear (os Puma Faas 600 v2 NightCat) lá me vesti, a custo. Pensei que me iria sentir melhor quando começasse a correr, que as ideias iriam começar a fervilhar mal desse as primeiras passadas...mas não. Ao fim de 100 metros tive que parar para adaptar os novos ténis, e aí pensei em desistir. Achei que devia caminhar um pouco e espairecer. Não estava para correr e qualquer conversa ou pensamento de "vá supera-te"; "vá tu consegues"; "saí da tua zona de conforto", dava-me vómitos.

 

Mas não parei. Reflecti que tenho experiência profissional para lidar com este tipo de situações, ou outras piores, e que entre aqueles que perante uma adversidade choram e os outros vendem lenços de papel, prefiro estar entre os últimos.

 

Custou muito correr, muito mesmo. Ao fim de 4 quilómetros só me apetecia ir para casa. Entretanto, abstraí-me, comecei a pensar na família maravilhosa que tenho, nos amigos da crew, no desafio que me auto propus para o Ultra de Piódão, no percurso profissional que me orgulho, e comecei, quase sem dar conta a correr mais rápido. A ter mais confiança. Com isso, comecei a ter ideias (das boas) para resolver o problema que me tinham colocado ao final da tarde. Quando deu por mim estava a correr a 5:15 ou 5:25/ ao quilómetro, e a sentir-me confortável. 

 

Com isto tudo, dou a volta ao 6km para regressar a casa. E, como já aconteceu várias vezes, tive ali um momento de trabalho. Reflecti, tive ideias criativas, resolvi problemas. Foi fantástico. No final foram 10,5Km corridos confortavelmente e muito produtivos, quer a nível profissional quer para mais ideias para este blog e crew. 

 

Resumo da história: não, a corrida não vos salva dos problemas, mas pode ajudar, e muito, a resolvê-los. E quando sentirem que estão a desistir, tentem levantar a cabeça e ir em frente, nem que seja de uma forma mecânica. No fundo, no fundo, somos animais e precisamos de exercício e de nos mexermos para resolvermos problemas. É assim que sobrevivemos e evoluímos à milhões de anos.

Boas corridas!

3 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D