Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correr na Cidade

Trail Montes Saloios 2016: voluntariar em vez de correr

12697501_1672976286295334_867205679667545314_o.jpgFoto: Marco Borges

Já há algum tempo que, numa reunião do Correr na Cidade (sim, nós reunimo-nos para além das corridas e almoços / jantares), surgiu a ideia de nos apresentarmos como voluntários para uma prova. A ideia foi lançada mas ficou na gaveta. Foi em Janeiro, quando a organização do Trail dos Montes Saloios anunciou que precisariam de voluntários para dar assistência na prova de Fevereiro que a Liliana e eu não hesitamos e inscrevemo-nos logo.

 

A ocasião era perfeita: estamos as duas com a Maratona de Barcelona na cabeça e estamos a evitar trilhos para evitar possíveis lesões e a apostar mais em treinos e provas de estrada (entretanto já mudei de ideias com o Columbus Trail que surgiu entretanto). Outro fator que nos convenceu a ser voluntárias nesta prova é a prova em si e a sua organização. Já participei duas vezes no Trail dos Montes Saloios e o ambiente é realmente fantástico para não falar da extrema simpatia da organização.

IMG_20160214_105840.jpg

Foi assim que no passado Domingo acordamos bem cedo. Não para correr, mas sim para apoiar quem iria correr. Num dia marcado por alertas vermelhos, muita chuva, temperaturas baixas e vento, a Liliana apanhou-me em casa para nos aventurarmos nas Covas de Ferro. A zona das Covas de Ferro é caracterizada pela paisagem típica saloia, sendo que aí se juntam três concelhos: Loures, Sintra e Mafra. A apenas 30 minutos do centro de Lisboa, sentimo-nos no campo.

 IMG_20160214_105625.jpg

A Liliana e eu iriamos ficar num dos abastecimentos da prova. A prova teria dois abastecimentos de líquidos e sólidos e um terceiro, surpresa. Era nesse terceiro abastecimento que nós iriamos ficar. No cimo da chamada “subida da besta”, a última subida da prova, a cerca de 2km antes da meta. Neste abastecimento surpresa não havia água, mas sim ginjinha, servida por nós.

IMG_20160214_111221.jpg

Depois da partida da prova, ainda tivemos tempo de tomar um café no café local da zona onde fomos muito bem recebidas e comemos um bolo caseiro delicioso. Quando fomos chamadas ao pavilhão, fomos informadas que iriamos subir o monte de trator porque o caminho não era acessível de carro. Assim fomos nós, depois de montar o barril de ginjinha no trator, monte acima com o Nelson, que faz parte da organização. O Marco, também da organização, também nos acompanhou, de moto quatro.

IMG_20160214_112533.jpg

Quando chegámos ao topo da “subida da besta”, montamos o barril numa árvore e começamos a encher copinhos para servir ginjinha aos atletas. Foi até que um jeep ficou preso algures pela serra que tínhamos o trator como abrigo em caso de chuva. Ou seja, estivemos mais de quatro horas no cimo de um monte com altera vermelho sem abrigo. Não houve capa de chuva que resistisse! Apanhámos muito frio, já nem sentíamos as mãos mas cada vez que avistávamos um atleta, ganhávamos energia para uns gritos de força e servir a deliciosa ginjinha.

IMG_20160214_110848.jpg Foi uma experiência muito gratificante. Um trabalho em equipa onde uns enchiam copos e outros distribuíam-nos enquanto gritávamos aos atletas lá em baixo: “sorriam, é a última subida! Quem sorri tem direito a uma ginjinha!”. Foi muito giro mesmo. Adorei ver os sorrisos dos atletas que muito nos agradeciam. Esta experiência deu para valorizar aina mais o trabalho dos voluntários ao longo das provas, ainda mais nos trilhos com condições adversas.

IMG_20160214_111229.jpgPeço-vos que cumprimentem os voluntários e os agradeçam. A última coisa a fazer é criticá-los por falhas da organização, como a sinalização do percurso por exemplo, pois a culpa não é deles e eles apenas estão ali para vos proporcionar uma experiência melhor.

Conforme disse, adorei a experiência, embora tenha sido agridoce. Confesso que fiquei muito contente quando vi os três vassouras chegar. O nosso trabalho havia terminado. Foi nesse mesmo momento que apareceu um jeep para nos “salvar” e levar-nos a um fantástico almoço com toda a equipa Jobrinde.

 

Para o ano voltarei ao Trail dos Montes Saloios. Se será a correr ou a apoiar quem corre ainda não sei. Gosto dos dois : )

2 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D