Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

ULTRA MARATONA ATLÂNTICA MELIDES - TRÓIA 2018

running-races-in-Lisbon-2.jpg

Sabemos que gostas de te superar e temos o desafio perfeito para ti.

No dia 1 de julho de 2018 irá decorrer a Ultra Maratona Atlântica Melides-Tróia, uma prova organizada pela Câmara Municipal de Grândola nas praias do Concelho. Decorrerá num percurso com uma extensão de 43 km, todos eles percorridos em areia, com início na Praia de Melides e final na Praia do Bico das Lulas, em Tróia.

 

A Ultra Maratona Atlântica Melides – Tróia, será disputada individualmente e por Equipas em representação de Instituições, pontuando para efeitos de classificação da Equipa, os 3 melhores atletas que concluam a Prova antes das 17h00.

 

Esta prova tem algumas características únicas, o facto de ser toda percorrida em areia, decorrer no verão e ter só dois abastecimentos de 1l de água aos km 14,5 na Praia do Pinheiro de Cruz e ao km 28,5 na Praia da Comporta, cabendo a cada atleta transportar todo o restante abastecimento que achar necessário para finalizar a prova.

 

Correr 43 quilómetros na areia no calor do verão em regime de auto-suficiência fazem desta corrida uma prova única e um enorme desafio.

Foto-Melides-Troia.jpg

As inscrições estão disponíveis até ao final do dia 25 junho de 2018 com os seguintes custos: 

    • De       1 Janeiro a 31 Maio 2018: 30 € 
    • De       1 a 25 Junho 2018: 40 €

Em alternativa e com um percurso mais curto decorrerá a 5ª Corrida Atlântica Comporta - Tróia que terá um percurso de 15 km, todos eles percorridos em areia como a prova de 43 km. A prova terá partida às 9 horas, na Praia da Comporta e meta na Praia do Bico das Lulas, em Tróia.

 

Preparados?

Um Desejo Chamado 100kms – Resumo de um livro único

20161125_133501_HDR.jpg

Este livro é efetivamente único… Porquê? Bom! Primeiro porque é um poucos exemplares da única edição de 2004, segundo porque está autografado pelo autor e em terceiro e último lugar porque deve ser certamente o livro mais antigo, sobre ultramaratonas, escrito por um português (obrigado querida sogra por me teres desencantado este livro vá-se lá saber onde).

 

O livro é assim o relato da experiência de Manuel Martins, médico fisiatra de Lisboa, no derradeiro desafio de correr 100km. Se nos dias de hoje, 100km ainda é uma distância respeitada, há 12 anos, pensar corre-la era considerado simplesmente insano.

 

Review: New Balance Leadville 1210 V2

 

IMG_20160116_180734.jpg

Por Sara Dias e Tiago Portugal

 

Modelo: New Balance Leadville 1210 V2
Testado por: Sara Dias 
Características pessoais: Pronadora com 56Kg de peso
Condições de teste: Mais de 100km percorridos em trilhos por Monsanto, Serra de Sintra, Serra da Arrábida, Douro entre outros com grande variação de terreno e condições climatéricas.

 
Até há bem pouco tempo treinava apenas em estrada, os trilhos era algo que tinha curiosidade contudo sentia que não tinha aptidão física para tal modalidade, tal como muitos, adiamos até não haver mais hipóteses de fuga. Fui muito bombardeada para experimentar, no passado mês de Maio cedi á pressão e lá fui eu.

 

Problema número um: com que sapatilhas vou para os trilhos de Monsanto? Resposta imediata na minha cabeça: umas sapatilhas super baratas porque em breve desistes disto tudo!!! Mas como muita gente diz: "quem vai para os trilhos apaixona-se". Não fui excepção e apaixonei-me.

 

Fui aumentando a distância nos trilhos e a minha primeira opção de sapatilhas deixou rapidamente de cumprir as funções que eu pretendia. Começo à procura de outras opções, chateei muita gente, ouvi diversas sugestões e ficava cada vez mais baralhada. Afinal o que pode ser uma excelente escolha para mim, pode não ser para o outro. Decidi ouvir o que o Tiago Portugal pensava sobre esta saga na escolha de sapatilhas, temos gostos parecidos no que toca a calçado e eis que surgem os New Balance Leadville 1210 v2.

Assim que os calcei não tive dúvidas, era mesmo aquilo que eu queria, senti de imediato um conforto brutal, tinham sido desenhados à minha medida.

 

DESIGN E CONSTRUÇÃO 

Relativamente ao design, posso dizer que as acho bonitas mas podiam ter mais opções de cores, este esquema de cores pode até ser bonito para alguns, mas para mim há outras conjugações mais atrativas.Este modelo tem na sua construção Fantom Fit, uma tecnologia exclusiva da New Balance que permite que as sapatilhas sejam mais arejadas, com um maior suporte nas áreas mais importantes dos pés sem que haja costuras, para além de conseguirem manter a leveza dos mesmos devido ao seu peso muito reduzido..

 

O tecido sintético utilizado na parte do peito do pé está preparado para se adaptar ao inchaço dos pés. Outro pormenor que me agradou imenso foi a língua ser nesga evitando a entrada corpos estranhos existentes nos trilhos. Para além de ter um almofadado generoso que protege muito o peito do pé. A marca promete ainda que todos o materiais são resistentes a todos os odores -  posso confirmar a veracidade desta informação.

IMG_20160116_180642.jpg

ESTABILIDADE E ADERÊNCIA

Este modelo só podia ter sola Vibram, conhecida pela sua aderência a todo tipo de solos incluindo aqueles bem impregnados de água. As transições de solo ao longo dos trilhos é bem conseguida sem que tenhamos medo de escorregar. Posso dizer que já percorri mais de 150km com eles e até hoje não caí. Na última experiencia, em solo enxarcado, voltaram a passar com distinção no teste. Possui ainda uma intersola com tecnologia Innovative REVlite, o que permite uma maior resposta e durabilidade diminuindo cerca de 30% em comparação a outras espumas com igual desempenho.

IMG_20160116_173905.jpg

CONFORTO

Como já referi anteriormente, é uma sapatilha super confortável, pessoalmente não as uso muito justas ao pé e mesmo assim não tenho necessidade de as ajustar mais. Saliento ainda a compensação da palmilha no arco plantar, um ponto bastante importante para a nossa biomecânica.O conforto mantém-se, e mesmo em trilhos com muita pedra solta não se sente aquele impacto doloroso nos joelhos e lombar.

 

Em suma, quem procura uma sapatilha confortável com um excelente amortecimento e adaptabilidade a todo o tipo de solos, para fazer poucos km ou ultras, New Balance Leadville 1210 é a opção!

 

IMG_20160116_173849.jpg

PREÇO

O PVP ronda os 120€, o que tendo em conta a qualidade dos materiais e de construção é um preço justo.

Avaliação Final

Design/Construção 18/20
Estabilidade e Aderência 19/20
Conforto 19/20
Amortecimento 19/20
Preço 18/20

Total 93/100


E agora veja o vídeo da review do Tiago Portugal deste mesmo modelo:

 



PT 281+, a Ultramaratona Portuguesa

foto_capa.jpg

Por: Tiago Portugal

 

O tiro de partida de uma das maiores ultra distâncias do mundo de corrida pedestre, o PT281+,  é dado às 00h00 do dia 21 de agosto.

 

Decorre nos dias 21 a 23 de Agosto de 2015, entre Belmonte e Proença-a-Nova, com passagens por Sabugal, Penamacor, Idanha-a-Nova, Castelo Branco e Vila Velha de Ródão, o PT281+, 281km para ligar estes concelhos num máximo de 66 horas.

 

A organização prevê que o primeiro classificado passe a linha de meta, no Parque Comendador João Martins em Proença-a-Nova, 36 horas após as 00.00 horas do dia 21 de Agosto.

 

Entre os verdadeiros aventureiros que irão desafiar esta prova o português João Oliveira destaca-se como principal candidato à vitória. Este atleta já venceu algumas das mais conceituadas ultramaratonas mundiais, Spartathlon, San Remo e a do deserto da Jordânia. Além dos portugueses presentes esta distância que não é para massas,  conseguiu na sua primeira edição chegar ao continente Americano, com as presenças confirmadas de quatro Brasileiros, um Americano e um Argentino.

 

A partida desta enorme epopeia, a PT281+, será dada em Belmonte, terra de Pedro Alvares Cabral, e o primeiro porto de abrigo de todos os participantes. Concelho com longa tradição histórica em Portugal e com marcas indeléveis no mundo tal como hoje o conhecemos.

 

O PT281+ tem nos descobrimentos portugueses muita da sua inspiração enquanto desenho de prova. Como Pedro Álvares Cabral, também os atletas partirão de Belmonte em busca de aventura e superação, numa epopeia única feita na medida dos tempos modernos.

 

É nessas viagens, no desenvolvimento e invenção de novos caminhos e ferramentas, na coragem, espirito de conquista e capacidade de superação que fundamentam os princípios do projeto Portugal 281+.

PT281.png Gráfico da prova

 

O "mais", sinal gráfico que pode ser associado às cruzadas Portuguesas, significa também a união entre os povos. Neste caso a interligação à BR135+ Ultramarathon. Este sinal é também o elo entre as duas organizações.

 

Com uma forte influência dos resultados do Carlos Sá na Badwater, o PT281+ inspirou-se nesse enorme desafio americano para desenvolver uma prova em condições climatéricas idênticas.

foto_capa_02 (1).jpg

 Podem seguir os corredores através do livetrack disponível em  http://lt.flymaster.net/bs.php?grp=647

 

Uma prova que não esta ao alcance de todos mas que promete dar que falar nos próximos anos.

 

Boa sorte a todos os participantes!

UTDP - Paulo Tavares um atleta do Norte! pois claro...

UTDP.png

 

O Ultra Trail Douro e Paiva decorre este fim-de-semana e com mais de 1000 atletas inscritos promete ser mais um grande evento de trail.

 

Desta vez fomos conhecer o Paulo Tavares, 5º classificado na edição do ano passado e padrinho da prova deste ano. Dotado de um afinado humor, de um grande companheirismo e treinado pelo Paulo Pires (treinador da Armada Portuguesa do Trail) é sem dúvida um atleta do Norte!! 

 10472169_723378667699961_1933086263289419346_o.jpg

Quem é o Paulo Tavares?

Sou natural de Matosinhos mas actualmente a viver em Braga, tenho 38 anos, casado com a Ana e neste momento sou supervisor na empresa de elevadores, tendo como hobbies o BTT, ciclismo e o ócio preferencialmente em frente ao mar. Sendo no Trail Runnig que está a minha paixão é onde realmente vou buscar a minha paz e equilíbrio.

 

Como começaste a correr? 

O meu interesse pelo desporto começou a + ou - há 8 anos comecei por brincadeira com um grupo de amigos que praticavam BTT na altura ainda não tinha bicicleta e todos os fins-de-semana alugava uma para poder ir com eles, até que no natal desse ano a Patrícia, a minha esposa, ofereceu-me um cheque bicicleta... pouco tempo depois comecei a participar em provas ganhando o gosto pela modalidade e nesse mesmo ano abri uma associação, criei uma equipa e federei-me, nessa altura decidi também deixar de fumar que foi uma das melhores decisões que tomei até hoje. Andei neste desporto durante 4 anos em que a prova que mais me marcou foi o Brasil Raid por ser uma prova em duplas, por etapas e rodeado de magnificas paisagens da Chapada Diamantina, um dia vou lá voltar mas desta vez não levo a bicicleta mas sim as sapatilhas

A corrida apareceu após uma lesão que me impedia de andar de bicicleta, foi ai que comecei a dar umas corridas para não perder a forma e quando alguns amigos me convidaram para ir fazer uma prova de Trail Runnig fiquei completamente apaixonado pela modalidade, fez-me lembrar os tempos de miúdo em que brincava na mata perto de casa, relembrando-me da sensação de correr pelo meio da vegetação transpondo os obstáculos que vão aparecendo voltando a despertando a criança que tenho em mim. Estes sentimentos que muitas vezes nem sei explicar, são o que me faz calçar as sapatilhas e sair mesmo quando a vontade não é nenhuma.

 

10805682_796783510379200_8983757653078289755_n.jpg

 

Desde que corres qual foi até hoje o ponto mais alto?

Ao longo do meu percurso nesta modalidade já tive a oportunidade de percorrer trilhos de vários pontos de Portugal e também de outros países, sendo que a experiencia que mais me marcou foi a ida a Chamonix onde participei no TDS uma prova que tem tanto de dura como de magnifica vivida num ambiente extraordinário.

 

O que representa para ti o Trail Running?

O Trail para mim representa uma superação constante dos meus limites, encaro as provas sempre como uma competição pessoal, onde tento superar sempre as minhas capacidades físicas e mentais, sou bastante exigente comigo próprio, pois só assim é que consigo evoluir. Esta forma de encarar a modalidade fez que ao fim de pouco tempo arrisca-se em provas de três dígitos

 

Quem são os seus atletas de referência?

Os meus atletas de referência são Armando Teixeira, a quem deixo um especial agradecimento pelo apoio e motivação que me tem dado, o Carlos Sá, Nuno Silva, Ester Alves e a Lucinda ..... todos eles com percursos respeitáveis e a acima de tudo têm sido responsáveis pela divulgação e crescimento da modalidade em Portugal.

 

1513864_897139736976812_4919876839703039009_n.jpg

 

Como vês o movimento do Trail em Portugal, com o número de provas a aumentar exponencialmente? o que podemos esperar do futuro? Diferenças em Relação ao passado?

O Trail em Portugal está numa fase de crescimento com o número de atletas a aumentar de dia para dia é importante passar a mensagem e o espírito desta modalidade, não deixando que a competição e o negócio se sobreponham.

 

Lesões, já passaste por esse calvário?

Infelizmente já sofri algumas lesões sendo a mais grave uma entorse com rotura parcial dos ligamentos que me obrigou a uma longa paragem de 4 meses, as lesões são o maior inimigo do atleta é preciso muita capacidade para lidar com a frustração de não puder treinar e aceitar que não se vão atingir os objectivos a que se propõem, a impotência e frustração são os piores sentimentos que se podem sentir.

 

O que podem os atletas esperar desta prova?

O UTDP vai ser uma prova com um grau de dificuldade elevado, que percorrerá os lindíssimos trilhos de Cinfães do Douro, Sugiro que tenham em atenção a hidratação, beber muita água, levar protector solar e o equipamento adequado. Nunca esquecendo a velha máxima beber antes de sentir sede e comer antes de sentir a fome, para mim são os cuidados mais importantes a ter.


Estudar a prova é fundamental, saber os pontos de abastecimento, saber onde estão concentradas as maiores dificuldades da prova, bem como as características do terreno, com este conhecimento é possível efectuar um planeamento mais exacto da prova de forma atingir o nosso objectivo

 

Uma dica rápida?

A minha mensagem para quem está a começar a modalidade é que respeitem a Natureza sejam companheiros e altruístas com os outros atletas, mantendo assim o espírito do Trail.

 

11012357_893733567349848_305017317165523_o.jpg

 




Louzan Trail - Edição de 2015

10338418_1435459783418569_2835128638567473255_o.jp

Por Pedro Tomás Luiz

 

O Louzan Trail representa para muito do que deve ser uma prova de trail, excelente organização, companheirismo e trilhos de cortar a respiração embutidos numa paisagem fantástica. Nesta 3ª edição fui falar com Nuno Braga, organizador da prova e levantar um pouco do "véu" deste ícone da corrida de montanha.

 

Uma ultra? o que vos fez subir a distância e criar mais uma prova?

O objectivo principal da criação de uma Ultra, deve-se ao facto de querermos mostrar a todos os presentes novos locais e de ter um novo desafio nesta 3ª edição do Louzantrail. O percurso torna-se assim mais exigente e com passagem nos locais que consideramos de maior importantes da fantástica Serra da Lousã. 

 

É uma prova para se quem queira estrear numa ultra?

O Louzantrail é uma das provas em Portugal de puro Trail, 90% de trilhos, quase na sua totalidade corríeis, uma altimetria acima da média e paisagens fantásticas. Quem procurar estes elementos, de certo será uma excelente escolha para se estrear numa ultra, tendo apenas de ter atenção á sua preparação física, pois trata-se de uma ultra bastante exigente. 

 

O Montanha Clube habituou-nos a descobrir em cada prova novos caminhos, o que estão a preparar este ano?

18513_812480065467241_5375559999837456236_n.jpg

 

Este ano, novos caminhos estão a ser preparados por nós.Podemos desvendar que ambas as provas irão passar por duas aldeias abandonadas e pelas já conhecidas aldeias de xisto. Teremos novos single tracks de cortar a respiração. 

 

Que locais de passagem destacam?

Destacamos a chegada à aldeia do Candal, que será completamente diferente e com uma vista fantástica sobre a aldeia . O famoso trilho do Cuco, está ainda mais duro com a criação de um novo trilho, e a criação de single tracks desde a zona do Porto espinho até à catraia, onde encontrarão uma diversidade de trilhos.

 

Quantas pessoas já estão inscritas na vossa prova? quais as vossas expectativas? 

Até ao momento temos cerca de 400 inscritos, sem contar com a caminhada. As nossas expectativas será chegar aos 600 atletas nas duas provas.

 

O que podem os corredores esperar dos diferentes percursos?

11038117_802059076509340_6728986154249798631_n.jpg

 

Podem acima de tudo esperar muitos trilhos, quase todos corríeis. Teremos alguns (poucos) estradões, que serão compensados com uma paisagem envolvente fantástica. Iremos uma vez mais primar pela segurança de todos e ter muitos elementos no terreno. Podem esperar uma dureza acima da média, mas a Serra da Lousã é assim mesmo.

 

Que recomendações faria aos atletas?

Acima de tudo, que se preparem bem para qualquer uma das provas. Tenho atenção a todos os pormenores, mas acima de tudo desfrutem de cada km percorrido, pois a magnitude da Serra da Lousã assim o pede.  

 

Que para estadia podem os corredores encontrar?

Desde logo a grande novidade, é a criação de solo duro, onde os atletas poderão pernoitar num dos nossos pavilhões a custo zero. Depois teremos várias parcerias, com preços para todos os gostos. De salientar a Cerdeira Village, uma aldeia de xisto por onde passará também a prova, e onde os atletas poderão pernoitar. As restantes unidades nossas parceiras são elas a Pousada da Juventude, o Quintal do Alem do Ribeiro, Residencial Martinho e Pensão Bem Estar.

 

Como estão organizadas as marcações, abastecimentos e  a segurança da prova?

As marcações serão feitas através de fita de marcação e teremos também setas de mudança de direcção e sempre que se justificar, teremos elementos da organização a indicar o percurso. Ao nível da segurança da prova, este ano teremos um centro de controlo de operações que estará em contacto com todos os elementos espalhados pela serra. A equipa de bombeiros foi reforçada e teremos uma equipa de resgate presente nos pontos mais sensíveis. Quanto aos abastecimentos, esses serão em tudo muito idênticos ao que já habituamos os atletas nas edições anteriores, em que nada, lhes falta, desde o primeiro ao último atleta. 

 

Uma frase de incentivo aos Atletas

O caminho faz-se caminhando, 

 

Fiquem atentos porque em breve iremos ter um passatempo que vos vai dar dorsais para este evento.

11080543_1443591299272084_4200920076982716649_o.jp

 

 

 

 

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D