Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Vou participar no Estrela Grande Trail e vou ter ajuda!

BEAPT Correr na Cidade.jpg

 

No final de Maio vou participar no Estrela Grande Trail. O ano passado também já tive a oportunidade de correr na bela Serra da Estrela, num evento de excelência organizado pelo Armando Teixeira, um dos meus ídolos do trail running nacional.

 

Sabiam que o Armando Teixeira foi treinado por alguém para chegar onde chegou? Sim, o Armando, e muitos outros atletas de trail running de referência em Portugal, foram treinados por um senhor chamado Paulo Pires.

 

Pessoalmente, como nunca ambicionei fazer pódios ou grandes tempos, nunca ponderei contratar um treinador. Entretanto, à minha volta, parece que cada vez mais pessoas que optam pelo treino acompanhado. O Tiago escreveu um excelente artigo sobre os benefícios de ter um treinador. Então pensei que a minha participação no Estrela Grande Trail deste ano merecia um apoiozinho, pois é uma prova muito desafiante em termos de tecnicidade e altimetria.

 

Foi pelo Pedro Luiz que conheci o Paulo Pires, um treinador de UltraDistâncias, UltraTrail, Triatlo, Maratonas. Paulo é licenciado em Desporto e Educação Física pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, FADEUP, na opção de Desporto de Alto Rendimento. Além disso, é mestre em Gestão Desportiva pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, FADEUP. Paulo é professor de Educação Física/Desporto e praticou várias modalidadescomo atleta, monitor, e/ou treinador: Atletismo, Natação, Polo-Aquático, Canoagem, Badminton, Montanhismo/Alpinismo.

13217600_962729590519892_2964406500126941013_o.jpg

Será que vamos apanhar neve no EGT deste ano? 

 

Vamos conhecer um pouco melhor que é o Paulo Pires e como será o meu programa de treinos?

 

Paulo, Há quanto tempo és treinador?
Eu sou treinador desde que terminei o curso da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto. Estive muito anos ligado à Natação de Competição e há 9 anos que segui o caminho de “TREINADOR” de ultradistâncias em montanha, desafiado pelo Carlos Sá e Carlos Peixoto. Depois Comecei também a trabalhar com o Armando Teixeira, Natércia Silvestre, Leonardo Diogo… e do nosso trabalho começaram a surgir muito bons desempenhos em provas internacionais de referência. Colocamos o ultratrailrunning português no mapa internacional. Com os nossos bons resultados comecei a ser solicitado para orientar para mais atletas portugueses e estrangeiros. Dessa procura surgiu a necessidade de criar plataforma de treino “beAPT”, sistematizando o trabalho que vínhamos fazendo com a Armada Portuguesa do Trail.

 

Quais as modalidades em que gostas mais de ser treinador?
Eu gosto do desafio das ultradistâncias pela planeamento estratégico que envolvem. Pelos riscos que temos que assumir. Mas realizo-me principalmente, a ajudar os meus ultrarunners a concretizar os seus desafios. Sejam eles sedentários que resolveram mudar de vida e começar a treinar ou atletas de referência mundial a participar nos desafios mais competitivos. Contudo, até ao momento, há um conjunto de desafios que me marcaram pelas dificuldades que implicaram e pelas emoções que vivemos juntos:

  • o 1º UTMB (2011) com o Armando Teixeira e Carlos Sá.
  • Colocar 2 portugueses na Ronda dels Cims no top10 (Armando Teixeira e Claudio Quelhas).
  • Record de ascensão do Aconcágua com o Carlos Sá.
  • Em 2015 em 11 ultratrailrunners dos nossos presentes no circuito do UTMB (occ, tds, ccc, utmb), todos foram finishers.
  • Haver um sentimento de identidade e de pertença à APT que nos orgulha. Porque primeiro que os treinos, há uma filosofia de vida que nos une.

 

Como funcionam os teus programas de treinos?
Os nossos treinos são desenvolvidos de acordo com uma metodologia própria, resultante de e investigação científica e de anos de uma saber de experiência feito como treinador e montanhista.

 

A quem se destinam os teus programas de treinos?
A nossa metodologia pode ser aplicada a um sedentário que resolve fazer actividade física para melhorar a sáude e perder peso ou a para atletas que buscam rendimentos e desempenhos superiores.

 

Como se diferenciam os teus programas de treinos dos outros que existem no mercado?
A nossa plataforma de treinos (www.beapt.pt) permite prescrever treinos individualizados de acordo com o perfil biométricos do atleta em função do seu objectivo/desafio e nível de rendimento. Os treinos de base aeróbia são acompanhados com um plano de trabalho de reforço muscular (força) e flexibilidade.
Para trabalhar connosco é necessário realiazar/aprensentar um conjunto de exames médicos que atestam da capacidade funcional da pessoa para o nível de treino a que se propõe. Temos também uma preocupação constante na longevidade e saúde dos nossos atletas. Disponibilizamos também um conjunto de serviços complementares na área da medicina desportiva, nutrição e avaliação fisiológica.

 

Nas próximas semanas irei partilhar convosco, uma vez por semana, como está a ser a minha experiência rumo ao Estrela Grande Trail com o programa beAPT Se tiverem alguma dúvida em relação aos programas de treino do Paulo, não hesitem em contactá-lo a ele ou a mim :)

Treinador de corrida?

Por: Tiago Portugal

coach.jpg

(Foto retirada de www.runurban.com)

 

Alguns não percebem, outros acham um desperdício de dinheiro e existem aqueles que simplesmente se riem, não à minha frente mas certamente que pensam para que raio servirá isso, mas afinal para que quer ele um treinador de corrida? 

 

É verdade. Decidi que a partir de 1 de junho de 2015 vou voltar a ter apoio diferenciado, leia-se um treinador de corrida. Depois da ajuda que tive para me preparar para a ultra da Serra Nevada em setembro de 2014, do impulso que isso me deu e de como me permitiu melhorar na altura, acho que para os novos desafios e para as metas que quero alcançar eu sozinho não chego lá.  Bem, talvez se calhar chegava mas demorava mais e seguramente o caminho não seria tão bem trilhado.

 

Não se afligem que o meu objetivo não é ganhar nenhuma prova, sei que essa tarefa é herculeana e a única possibilidade de isso acontecer seria que a prova tivesse 3 participantes e 2 deles não comparecessem, só assim poderei aspirar a uma vitória. Não é isso que me move. Claro que gostava de subir uns lugares nas classificações, por norma fico sempre entre os primeiros 20-25%, numa prova com 400 atletas fico em centésimo, ou lá perto, se começar a terminar as provas nos 10-15% já fico satisfeito.

 

Mas então por que razão ou razões preciso eu ou quero eu ter um treinador de corrida? A resposta óbvia é para treinar claro, mas é muito mais do que isso. 

 

Esta decisão é tomada de acordo com aquilo que eu pretendo da corrida, da minha forma de estar, objetivos pessoais e desafios futuros. Faz sentido para mim neste momento contar com esta ajuda. Já o fiz antes, parei durante 8 meses e agora senti a necessidade de voltar. Mas porque?  

 

Acima de tudo quero que correr se torne mais fácil. Quero correr 2,3 4 ou 5 horas e que isso me custe menos. Quero conseguir correr mais, mais longe e mais depressa. Esse é o motivo principal mas existem outros e cada um de nós terá os seus. Os que escrevo a seguir são pessoais e são válidos para mim.

 

coach 2.jpg(Foto retirada de http://minneapolisrunning.com/)

 

1. Mais disciplina - Planos de treinos existem muitos na internet e não custa nada arranjar um desses e tentar segui-lo. Mas ter um plano de treinos personalizado e feito à medida para nós e para os nossos objetivos é completamente diferente. Ter alguém do outro lado que nos diz exatamente o que fazer e quando fazer é muito importante para mim, além de que elimina a tarefa de termos que ser nós a pensar no que temos que fazer em determinado dia. Um treinador manda o plano e nós simplesmente cumprimos com o que é para fazer. Eu sofro mesmo com treinos de séries e treinos de velocidade. Mas tem que ser, tenho que os fazer. Desta vez não posso escapar. Tenho mesmo que penar e depois registar os resultados para serem vistos e analisados. O facto de registar tudo, quilómetros, altimetria, ritmo cardíaco também é imprescindível e torna-me mais disciplinado e rigoroso;

 

2. Compromisso - Para mim isto é um dos motivos que me faz seguir o plano quase religiosamente. Não gosto de falhar compromissos e se assumi 1 com quem me vai ajudar tenho que me aplicar para não falhar. Se por algum motivo não fizer o que me é pedido fico em dívida para comigo e para com outra pessoa, e isso não gosto. Esta é uma razão para me aplicar e me esforçar ainda mais;

 

 3. Ensina como treinar de forma apropriada e saudável - elimina os riscos - Por mim corro todos os dias e de vez em quando lá faço uns treinos diferentes, séries, rampas, etc. Mas é tudo ao sabor do vento e sem saber ao certo se estou a fazer bem ou mal. Um treinador ajuda a eliminar alguns erros comuns, como começar a correr muito, não descansar, correr provas à bruta. Diz-me quando devo fazer treinos mais lentos, qual a duração dos treinos longos e se for preciso corrige a postura e a forma de correr. Durante o período de treinos coloca o volume e a intensidade necessários para nos motivar e atingir os objetivos. É preciso respeitar o nosso corpo para minimizar o risco de lesões;

 

4. Dá motivação e suporte - Alturas más todas temos. Dias em que não apetece mesmo correr, semanas em que a motivação anda cá em baixo e começamos a duvidar de nós. Também servem para isto. Nos apoiar e ajudar nestes momentos. Um simples telefonema, umas breves palavras são o suficiente para nos por de pé e de volta ao caminho. Mais que um treinador torna-se um amigo e alguém a quem podemos recorrer;

 

5. Voz da razão e da ponderação - Já o disse anteriormente se pudesse corria todos os dias e aos fins-de-semana era sempre prova. Ultras? Todos os meses 1 ou mais. O treinador diz quando é preciso resfriar o ímpeto. Na corrida demais é mau. Temos que saber parar e descansar. Dizer quando devemos repousar, se for preciso "dar nas orelhas" por termos ido fazer aquela prova sem lhe dizer. Pedir a opinião sobre se devemos ou não ir aquela prova. Quero sempre desafiar-me e se pudesse ia já no próximo sábado a uma prova de 100k, mas o treinador é ponderado e relembra que ainda não estamos preparados, ainda é cedo, precisamos de descansar da última prova. Quantos de nós não ficam surdos e cegos perante um desafio? Acima de tudo ele é a voz da razão; 

 

6. Partilha de experiências e conhecimentos - As histórias, as dicas que melhoram a nossa performance, os pequenos truques que nos podem ajudar em determinado momento. As experiências de quem já passou pelo mesmo ou pelo menos sabe o que acontece a seguir e aconselha. 

 

Tudo isto fará, espero eu, com que possa crescer e melhorar enquanto corredor e subir mais um degrau na minha performace. Mas acima de tudo tornar um pouco mais fácil algo que adoro fazer

 

Estão explicadas as minhas razões para ter decidi voltar a ter alguém que me ajude, se calhar a palavra treinador é um pouco presunçosa. E vocês estão a pensar em ter um treinador?  E se já têm quais as razões que os levaram a isso? 

 

Boas corridas a todos e espero encontrá-los a correr, na estrada ou nos trilhos.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D