Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Correr pode ajudar-vos a serem melhor no emprego!

12191999_10153875689209050_3442948018252233408_n.j

Vivemos numa sociedade ainda pouco virada para o desporto. Se não é moda é mania! Principalmente isto de correr na rua ou nos trilhos.
 
Se alguém no escritório diz que acorda às 6h da manhã para ir correr e só então começa o seu dia é visto como “maluco”. Ou se outros dizem que chegam a casa depois de um dia de trabalho, dão o jantar aos filhos e partem para o frio da noite para correr uns quilómetros é porque certamente “têm problemas em casa”. Vivemos assim de juízos de valor. É mais fácil criticar do que acordar de manhã e ir correr. É mais fácil apontar o dedo desde o sofá e arranjar mil desculpas do que vestir o equipamento e fazermo-nos à estrada.

 

Mas as coisas estão a mudar e quem faz desporto, principalmente na vida adulta, começa a ser visto normalmente. Já não é tanto “o maluco” da corrida ou do CrossFit ou, como uma vez me disseram antes de uma reunião: “um homem de 40 anos que esteja magro é porque se divorciou ou porque está doente”. Lentamente começamos  a mudar este pensamento. Mas este post é sobretudo sobre trabalho e como correr pode ser um grande aliado na nossa performance profissional. Escrevo por experiência própria, a corrida não faz apenas que outros fiquem invejosos nas reuniões (por estarmos em forma numa idade em que a barriga devia estar proeminente), faz-nos ser mais focados, mais organizados. Confesso que ainda sou desorganizado e pouco metódico, mas a melhoria na minha organização profissional deu-se devido à corrida. E todos nós, aqueles que correm ou que vão começar a correr o podem fazer. Eis alguns exemplos:

12745547_10154116157309050_3999515240439377819_n.j

Treinar de manhã. O dia fica planeado logo cedo. Enquanto corremos e tentamos ultrapassar aqueles 15 minutos iniciais - que custam um pedaço – podemos definir as prioridades do dia de trabalho e mentalmente organizarmos as prioridades. Para além de ganharmos um boost de energia logo pela manhã.Custa muito e nem todos conseguem, mas quem o faz tem ganhos de organização fantásticos. O único problema é não esquecer de deitar cedo à noite porque senão chegarão ao final de semana de rastos…e não estou a falar fisicamente.

Treinar à hora de almoço. Consigo planear o meu trabalho da parte da manhã para conseguir correr nos 60 minutos que tenho de pausa para almoço. Despachando as tarefas mais chatas logo de manhã fazem-me correr menos stressado.O mesmo treino à hora de almoço serve-me para planear a tarde ou mesmo o dia seguinte. Penso nos telefonemas e tarefas que tenho de fazer, preparo reuniões na cabeça – algo que era impossível de fazer se naquele momento estivesse a almoçar com um colega e a falar das coscuvilhices do escritório ou da última jornada de futebol.

10277576_10152654928824050_5487465596686119269_n.j

Se só conseguir treinar ao final do dia, o resumo do dia de trabalho fica feito na cabeça e preparo as etapas seguintes. Acontece-se muitas vezes ter boas ideias enquanto corro. Infelizmente, nem sempre me consigo lembrar de todas elas no final, mas que a corrida espevita a minha criatividade é provado e comprovado. O nascimento deste blogue e a criação da crew do Correr na Cidade nasceram numa treino desses.


Planear.
É algo que já aqui escrevi no blogue: existe uma dificuldade quase cultural para os portugueses fazerem planeamento.  Quem é que nunca pensou que fazer um cronograma de um evento é uma completa perda de tempo? Acho aliás, que o planeamento devia ser algo instruído nos primeiros anos de escola.
A minha geração  - agora nos 40 – tem uma grande dificuldade em planear, noto, no entanto, que pessoas que incluem desporto no seu dia-a-dia o fazem mais facilmente. Estas pessoas tentam correr 3 a 4 vezes por semana. Ou seja têm de planear/meter cerca de 1h30m (contando já com a troca de vestuário, os alongamentos e às selfies…) em quatro dias da sua vida já de si tão ocupada e stressante. Mas conseguem, e com frutos.


Lidar com stress.
Comigo funciona! Quando ando mais stressado em termos laborais, tento correr mais. Por sorte tenho superiores hierárquicos que percebem que funciono melhor e sou mais produtivo assim. É normal antes de uma grande entrevista ou reportagem ir afinar o trabalho numa corrida de 1 hora. Nesse espaço de tempo, sozinho, sem interrupções, sem telefonemas consigo preparar-me muito bem. E tudo se torna mais fácil, muito mais fácil.


Resiliência.
Nunca mais me esqueço das palavras de um grande corredor que me disse que quando começa a atingir algum cansaço nas suas ultra maratonas pensa na sorte de estar no meio da natureza ao invés de estar a “sofrer” fechado numa sala de reunião no trabalho. Apesar de apenas ter feito uma ultra maratona, utilizo essa ideia para aqueles treinos mais chatos. Mas também faço o contrário. Às vezes naquelas reuniões mais chatas em que já não sabemos se devemos de discutir mais alto ou continuar a fazer aqueles círculos infinitos no caderno, penso que já fiz treinos chatos, que já corri 50 kms e não vai ser aquela situação que me irá tornar mais fraco. Quem aguenta correr tanto tempo, aguenta umas breves horas de reunião. E aí volto a ganhar energia. 


E por último, e não menos importante, praticando desporto regularmente, no caso a corrida, ficamos mais fortes e raramente estamos constipados ou com outro tipo de questões de saúde que nos fazem faltar ao trabalho.Apesar de me divertir muito a correr utilizo a corrida, principalmente em treinos sozinho, em prol da minha profissão. E, sinceramente, sinto que tem sido muito profícuo. Querem experimentar?

Mais vale poucos kms que nenhuns

algésFoi com poucos minutos disponíveis que saí ontem para correr. Aos habituais 10/11k que costumo fazer pela zona do Restelo, Belém e Alcântara, fiquei-me por 40 minutos de corrida. Mas não me arrependo nada.Podia ter ficado no sofá, aliás pensei nisso mais do que uma vez. Ainda a caminho de casa, depois do trabalho, tinha mesmo decidido agarrar-me novamente ao computador e despachar o trabalho que tinha para fazer.sauconyMas talvez por isso mesmo decidi que precisava de ar fresco para pensar, de suar para poder ser mais criativo no trabalho que me acompanhou noite dentro. É decididamente um dos meus truques para pensar e ganhar criatividade: correr!Assim, fiz-me à estrada com muita vontade de aproveitar o máximo possível os 40 minutos disponíveis, para depois chegar a casa e ajudar a mulher nos afazeres com as crianças.garminDeu para fazer cerca de 6,5K, com um quilómetro mais interessante com média de 5:04 - parece que, aos poucos a forma começa a regressar. Ou seja, valeu mesmo a pena fazer alguns kms, mesmo poucos, do que nenhuns e ficar em casa sentado no sofá. E, senhores e senhoras, como adoro correr com frio...E vocês pensam e planeiam o vosso trabalho enquanto correm?

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D