Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Review Skechers GoRun Ultra

skechers-ultra.png

Por Stefan Pequito:

 

Há uns meses atras a Skechers deu-me as sapatilhas “GoRun Ultra” para testar. Sim, já fizemos reviews sobre este modelo (aqui) mas quis experimentá-los e deixar-vos a minha opinião.

 

Confesso que não estava a espera destas sapatilhas. Já as tinha visto nas lojas e já tinham sido testados pela nossa crew e, tinha, de alguma maneira uma impressão negativa. Eu queria era testar o antigos “GoRun Trail”, mas tive azar, a marca norte-americana descontinuou o modelo e não os consegui experimentar.

 

No dia em que os recebi e os fui levantar perguntei se são sapatilhas para trails mais técnicos e foi-me dito que sim, mas desconfiei. Para ser sincero, não têm aspeto disso, mas já lá iremos. Mal cheguei a casa, saí para o testar.

 

A leveza, mesmo muito leves, para o seu tamanho foi logo das características que me despertaram a atenção. Gostei muito de poder retirar as palmilhas, reduzindo o drop para 4 mm, em vez dos 8 mm que têm com as palmilhas de origem. Não gostei da sensação de estar “nas alturas” com as palmilhas. No final do primeiro treino com elas fiquei a pensar “não sei bem o que é tipo de sapatilhas são estas…”

 3.jpg

Mas lá foi treinando com elas todos os dias até que me habituei e comecei a gostar deles, sobretudo no local onde treino perto de casa que tem terro soft e nada técnico. E a dúvida, na altura, de os os experimentar em trails mais técnicos  ainda persistia.

 

1.jpg

Antes de os levar para as alturas, corri com eles à chuva e aí surgiu o primeiro ponto negativo destas sapatilhas: demoram muito a fazer a drenagem da água que entra. E o corredor passa ainda algum tempo com as pontas dos pés molhadas. Não gostei disso, sobretudo porque é mais que normal que nos trails se molhem os pés, ou devido à chuva ou por pisar/passar por poças ou riachos.

 

Mas lá as levei para as testar em terrenos mais técnicos e levei-as para a Arrábida, numa zona com partes mais técnicas – nada de outro mundo, mas muita pedra solta. No início fiquei surpreendido como aderiram bastante bem à lama, mas depois, com as pedras, surgiu aquilo que eu temia, a instabilidade nas pedras. Talvez de serem muito altos, criam muitos desequilíbrios e até escorregam. Fiquei algo receoso e quase que torci os pés uma ou duas vezes – nada de grave, claro.  Mas percebi logo que não são sapatilhas para trails com partes técnicas, infelizmente.

 

Resumindo, são boas sapatilhas sem dúvida mas não para trails mais exigentes. São para provas mais longas ao estilo norte-americano ou até para um Ultra de São Mamede. Provas Ultra mas pouco técnicas.Achei-as bastantes confortáveis gostei dos atacadores elásticos e em termos estéticos são bastantes engraçadas mesmo sendo grandes. 

2.jpg

São sem duvidas umas boas sapatilhas para treinar todos os dias, como eu faço, mas para aqueles dias com percursos mais técnicos, não. Infelizmente.

 

O preço  anda pela casa dos 85€ nas lojas da Skeckers e também a na Sport Zone.

 

Categoria: Neutros
Drop:  8-4mm

 

Avaliação (de 0 a 20):

DESIGN : 15
CONFORTO : 20
PREÇO:  20
ESTABILIDADE:13
AMORTECIMENTO: 19

 

Avaliação Total (de 0 a 100): 87

 
Deixamos aqui uma review do Ginger Runner que comprava aquilo que acabei de dizer:

Entrevista à UNICEF sobre os 10K de Lisboa

 

Como sabem, no próximo domingo realiza-se a 1ª edição dos 10K da UNICEF pelas ruas de Lisboa. Uma corrida de cariz solidário e do qual este blog é media partner (e apesar do nosso logo ter surgido como organizadores nos primeiras comunicações do evento, apenas somos media partners, ou seja divulgadores do evento).

 

Por isso, e porque queremos sempre trazer mais valia e diferenciação, quer a quem nos lê ou a quem corre connosco (ou faz ambas as coisas), entrevistámos Margarida Cordeiro - Diretora de recolha de fundos para a UNICEF sobre a envolvência de tão prestigiada instituição no mundo das corridas.

 

Ah, é verdade, este sábado, dia 05 de julho ainda é possível fazer a inscrição para esta prova na loja Sport Zone do Centro Colombo, em Lisboa.

 

PERGUNTAS & RESPOSTAS A MARGARIDA CORDEIRO (UNICEF):

 

Porque razão a UNICEF se junta ao “mundo das corridas” e co-organiza um evento desportivo deste género?

Para a UNICEF o desporto é muito importante. É uma das fórmulas que usamos nas mais diversas situações, desde crises humanitárias, em situações de emergência ou na reintegração de crianças soldado. Ajuda a estabilizar as crianças e os adolescentes e quando estes estão estabilizados, toda a família estabiliza. Por outro lado dá-lhes valores como trabalhar em equipa, saber partilhar, responsabilidade, regras, que são fundamentais para o seu crescimento enquanto pessoas.

 

Já o fizeram noutros países, porquê agora em Portugal, e nomeadamente em Lisboa? Tencionam organizar esta prova anualmente? Se sim, será sempre em Lisboa?

Sim, é verdade, existem várias corridas UNICEF pelo mundo e existem maratonas famosas onde correm atletas e pessoas comuns em equipas UNICEF. Decidimos criar uma corrida UNICEF em Portugal porque queremos fazer algo que dá prazer a muitas pessoas e ao mesmo tempo podem apoiar uma causa. O ano passado foi em Vilamoura e este ano é em Lisboa. Para o ano ainda é muito cedo para falar, veremos...

 

As provas de solidariedade geram muito interesse por parte dos participantes  mas também alguma curiosidade em saber para onde vão os donativos. Será que nos podem indicar o que acontece com os fundos conseguidos com esta prova de 10K em Lisboa?

Os fundos provenientes das inscrições revertem 100% para a UNICEF.

 

Como vêm o surgir, cada vez mais, de corridas e treinos solidários? É algo positivo e como um despertar dos portugueses para a solidariedade, ou é algo que banaliza os eventos de solidariedade?

Não creio que banalize os eventos de solidariedade. As pessoas gostam de correr e de caminhar, e fazem-no cada vez mais, se poderem juntar uma coisa de que gostam com a solidariedade, ficam muito satisfeitas, porque sabem que a sua inscrição vai fazer a diferença na vida de outras pessoas.

 

O que podem esperar, em termos de corrida, os participantes da Corrida de 10K da UNICEF, organizada por vós?

Espero que os participantes da Corrida 10 K se divirtam, têm a possibilidade de correr ou caminhar numa zona emblemática de Lisboa, passar pelos túneis da Avenida da República, descer a Fontes Pereira de Melo e a Avenida da Liberdade e ainda correr para uma causa. Também não é todos os dias que podem correr ou caminhar ao lado de uma das maiores maratonistas de todos os tempos – a Rosa Mota. 

 

Correr na cidade e ajudar

Realiza-se no próximo dia 6 de julho os 10K da Unicef Sport Zone, uma corrida nova de 10K (e caminhada de 3K) que se irá realizar em Lisboa e em que todo o valor angariado será revertido para a Unicef. 

A prova é organizada pela Sport Zone, pela Unicef, pela UpPartner com o apoio da Puma.
Os dorsais custam 14€ para os 10K e 9€ para os 3K. 

Para mais informações, por favor consultar o site da prova.

Experimentar as palmilhas Footbalance

Há umas semanas atrás a marca Footbalance convidou-nos para fazer um modelo de palmilhas à medida para um dos corredores do Correr na Cidade. Falamos entre nós e decidimos "oferecer" essa oportunidade a um dos nossos leitores, o João Figueiredo, que simpaticamente nos segue e frequentemente corre connosco. É uma das formas que escolhemos de agradecer a que nos lê e raramente falha a um dos nossos treinos (já o tínhamos feito antes e iremos continuar a fazer).

Estas imagens (pedimos desculpa pela fraca qualidade de algumas) são da experiência do João que foi recebido na loja da Sport Zone do CC. Colombo para fazer as suas palmilhas personalizadas. O João ficou de nos escrever sobre as suas novas palmilhas Footbalance. Na próxima semana teremos o seu relato. 

Sport Zone lança portal e app de running

 

"Everyzone" é o nome do novo projeto da Sport Zone para corredores, e não só. É um portal que pretende agregar tudo o que seja relacionado com a corrida. Treinos, conselho, dicas e planos de treino (em parceria com o Plano Nacional de Marcha e Corrida), nutrição, curiosidades, etc. 

Para além disso, o "Everyzone" disponibiliza uma app gratuíta para smartphone (para Android e iOS) onde podemos registar os nossos treinos, e partilhar com os amigos, no portal Everyzone ou nas redes sociais.

 

Atualmente, os conteúdos estão direccionados para a corrida, mas ciclismo, futebol e ginástica serão outras áreas a explorar por este novo portal da Sport Zone. É um misto de rede social, com portal de informações e dicas para desportistas amadores pela chancela do grupo Sonae.

 

 

 

Nem corredor, nem ciclista

20131222-221334.jpgPor Filipe GilHoje foi dia de voltar a vestir as calças de corrida, os ténis e fazer-me à estrada. Não, ainda não voltei a correr, e como se pode ver na imagem, fui andar de bicicleta. Minto! Corri um pouco, mas só um pouco. Passo a explicar:Mal me coloquei em cima da bicicleta (que comprei há uns cinco anos na Sport Zone por cerca de 70€, só para verem a qualidade da coisa...) percebi que tenha os pneus vazios. Como não sou ciclista, não tenho bomba, nem capacete (nem o resto da parafernália que quem anda de bicicleta regularmente usa) e percebi que a bomba de gasolina mais próxima com ar para encher os pneus ficava a mais ou menos 1,5 km. Decidi ir a pé até lá. Mas às tantas decidi correr um pouco...com a bicicleta na mão.Quem passou por mim certamente pensou: "ou teve um furo ou tem a mania que é triatleta". Corri cerca de 1k e para além de uma pequena pontada numa parte do pé não senti dores - o que é bom. Contudo, não quis abusar e lá voltei ao ritmo do passo apressado...com a bicicleta pela mão.Chegado à estação da Galp de Pedrouços a bomba de ar estava "indisponível". Não desarmei, há mais de três semanas que não calçava ténis e nada me ia privar daquele  momento de "educação física". A próxima estação ficava a mais 1km de distância. E lá fomos, agarrados um ao outro, eu e a minha bicicleta de 70€.Chegados à bomba de gasolina, também da Galp, Ali depois do Padrão de Descobrimentos, quando me preparava para meter ar nos pneus sou avisado pela empregada da estação que não há ar disponível.... Fiquei fulo. De Algés até Belém não há uma única bomba de ar disponível? Curiosamente passam por lá, especialmente ao fim-de-semana, centenas de ciclistas, será por isso? Será que não fecham as bombas nestes dias? Achei vergonhoso.Continuei a pensar que, certamente, no quiosque da Belém Bike me iriam ajudar. E assim foi. Muita simpatia dos senhores e emprestaram-me uma bomba para encher os dois pneus. O senhor do quiosque, que estava a arranjar bicicletas, ainda me perguntou se o pipo da roda era grosso ou fino e fiquei a olhar para ele com uma vontade de lhe dizer: "desculpe, eu sou corredor, não ando frequentemente de bicicleta", mas simplesmente disse: "não faço a mínima ideia)". Depois enchi vigorosamente os pneus (com o ar mais "biker" que consegui fazer) e lá montei - 4 km depois - a bicicleta.20131223-002227.jpgDaí fui até à Ponte 25 de abril e regressei a Algés. Tentei perceber se o pé me doía, mas não, nada de especial. Antes de regressar a casa  fui dar umas voltas mais rápidas para a zona de alcatrão onde o Optimus Alive costuma montar arraias. Quando saí da bicicleta descobri novos músculos nas pernas, e durante segundos parecia o Elvis Presley a dançar. Apesar da figura, fiquei a refletir se um treino destes, quinzenalmente, não me fará bem à condição física em prol da corrida.O resto da tarde passou-se bem, sem grandes dores no pé. Apenas uma impressão nas partes laterais da planta do pé, mas nada parecido com as dores anteriores. Amanhã é dia de mais uma sessão com a Dr.ª Sara Dias e de tentar perceber como evoluiu o pé desde a passada quarta-feira. Eu vou fazer figas e tentar perceber se será mesmo possível já saber se posso fazer os 10K da São Silvestre de Lisboa, mesmo que a um ritmo lento, afinal pelo resultado da Ressonância Magnética, não tenho nada....Wish me luck!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D