Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

CnC Brief #19 - Venha o bom tempo e as corridas alegres.

vongo3.jpg

Por Rui Pinto:

Com o bom tempo, - finalmente, diria eu! – à vista, e com a vontade de sair para correr a aumentar, o Correr na Cidade levantou o véu e deixou os nossos seguidores espreitar algumas das mais recentes inovações e lançamentos de sapatilhas, no mundo da corrida e no mercado nacional.

Sim, foi uma semana de muitas – e boas! – previews, capazes de deixar qualquer amante da corrida de água na boca e a pensar nas próximas aquisições de verão.

 

Iniciando este capítulo, o Filipe foi agraciado com uns fantásticos New balance Fresh Foam Vongo. Considera ele que é um sortudo por ter a oportunidade de experimentar este modelo, mas o que é certo é que nos deixou a salivar com a sua preview.

 

O Tiago teve acesso privilegiado aos novos Brooks Ghost 9, que apenas estarão disponíveis no mercado nacional, a partir do próximo mês de Julho. São umas sapatilhas fantásticas, para grandes distâncias e lindas de morrer! Vejam as impressões do Tiago.

 

Ainda no mundo das reviews de material,  o João teve a oportunidade de experimentar os novos Puma Ignite Disc, modelo a fazer lembrar algumas das invenções espaciais que ocorreram em alguns modelos de sapatilhas, na altura em que éramos ainda uns miúdos, e nos deixavam a babar para a montra da loja de desporto do nosso bairro.

 

E na semana de todas as reviews, mais uma, desta feita, em conjunto, na qual o João, o Tiago e a Bo, abordam as principais características dos novos Sketchers Gorun Ride 5. Curiosos? Vejam aqui.

 

Chega de reviews? Sim? Então, para quebrar a monotonia, a Ana Morais fez uma call to action a todas as meninas corredoras, para se juntarem a ela, na Corrida da Mulher, que teve lugar hoje. Arrisco-me a dizer que esta será a corrida mais bonita do ano! 

13254133_1013512728730058_8783717099627367775_n.jp

 

Finalmente, a fechar a semana – e este CnC Brief -, uma reflexão do Filipe, ontem, sobre o dilema individual sobre a (falta de) preparação de cada um de nós e a participação em provas. Sim ou não? Been there, done that. Muitos de nós já passámos por esta situação e será algo que nos deve ocupar a mente e fazer tomar decisões racionais.

 

Para a semana, mais CnC Brief. Boas corridas.

Review: Mochila Berg LYNX + CS2 Belt

BERG_3

Por Pedro Tomás Luiz :

Como já havia falado, a BERG deu-nos a fantástica oportunidade de testar a 1ª Mochila desta marca inteiramente dedicada ao Trail Running. Quero desde já fazer um disclaimer, porque há imensas variáveis no desenvolvimento de um produto que não são aqui tidas em conta (as quais não domino minimamente), bem como não tenho qualquer pretensão de me comparar ao grande Carlos Sá.Assim, em resumo fiz cerca de 250km com ela, 40 dos quais foram efetuados no Trail Serra de Montejunto sendo os restantes realizados em treinos longos na Lousã, Monsanto e na Serra de Sintra.Berg_1A BERG descreve, no seu site, a Lynx como uma mochila de 10+5 litros, com capacidade para duas garrafas e com três buckles que permitem acoplar o cinto.

Na parte da frente podemos encontrar dois locais para colocar bidões de água ou em alternativa comida ,telemóvel, etc... dado que possui um sistema de aperto que permite fechar os bolsos quase por completo. Por baixo destes, encontramos dois pequenos bolsos (que usei sempre para as chaves do carro) com fecho, que achei de pouca utilidade, dado que são tão pequenos que nem sequer permitem colocar um gel (mesmo dos mais pequenos). Ainda na parte da frente podemos encontrar um velcro, que funciona como sistema de ajuste da mochila, que possui um bolso, que ai sim permite transportar barras energéticas ou géis (na prática usei para quase tudo, desde para levar o telemóvel (iphone), barras energéticas, geles ou até mesmo nozes).

berg_2Na parte de trás, encontramos o compartimento central da mochila e um bolso tipo mesh. O primeiro serviu perfeitamente para levar todo o material obrigatório (frontal, manta térmica e um telemóvel), bem como a carteira, comida e ainda o corta-vento., sobrando  imenso espaço. Neste compartimento há ainda um local para a bolsa hidratação de que falarei mais à frente.No bolso tipo mesh cabe perfeitamente um corta-vento, luvas ou gorro.BERG_7O modelo de testes vinha ainda com uma bolsa de hidratação de 1,5 litros que genericamente considero estar bem construída. A sua concepção assenta num sistema que permite esvaziar e secar a bolsa por completo, impedindo desta forma que se crie “bicharada” e maus cheiros. Já o tubo, vem completamente revestido por um tecido isolante tipo neoprene,sendo facilmente desacoplável da bolsa, e tem uma boqueira (não faço a mínima ideia de qual é a palavra portuguesa) em angulo recto.O cinto permite uma acoplação fácil e confortável à mochila. Confesso que só o usei por duas vezes em duas corridas longas, tendo optado por não o levar para  Montejunto por considerar excessivo. Este cinto tem uma bolsa central espaçosa, dois locais para bidões e dois bolsos mesh bem generosos. Na parte da frente tem uma bolsa que pode ou não ser acoplada ao cinto.

Pontos fortes:

  • Conforto;

  • Ajustes;

  • Maleabilidade;

  • Versatilidade;

  • Capacidade de Transporte quando acoplada com o cinto;

  • Preço.

Pontos fracos:

  • Bolsos (Na mochila existe muito espaço que não foi aproveitado, sendo que a situação só é resolvida quando se acopla o cinto);

  • Bolso com fecho à prova de água (simplesmente não existe, todos os fechos são normais);

  • Bastões (não tem nenhum local especifico para levar os bastões);

  • Bolsa hidratação (a bolsa não tem blades internas para dividir a água, o que faz com que quando se enche esta fique completamente concentrada no fundo);

  • Isolamento (As costas da mochila não tem qualquer tipo de isolamento, à semelhança de outras marcas, o que faz com aconteça duas coisas: 1) o calor produzido pelo corredor, produz um aquecimento rápido da água; 2) tudo o que vai dentro da mochila tem de ir em sacos plásticos, dado que fica imensa condensação dentro de toda a mochila;

Em resumo, se procuram uma mochila leve, muito confortável, versátil (tanto dá para trails, curtos, longos ou ultras) com uma boa capacidade de transporte e a um preço mais acessível que as mais diretas concorrentes, espreitem esta mochila que está à venda nas lojas Sportzone.BERG_5 BERG_6

Novidades da ASICS para a Primavera/Verão 2014

asicsamarelo

A ASICS acaba de lançar a nova  tecnologia Motion Muscle Support para a sua gama de vestuário de corrida. Esta tecnologia, segundo comunicado da marca "proporciona suporte aos músculos dos corredores que estes possam ter um maior rendimento muscular". Esta é uma das novidades da colecção Primavera/Verão da ASICS.Segundo a marca, a nova colecção apresenta painéis de compressão incorporados e estrategicamente posicionados em áreas chave, incluindo as costas, os quadrícipes, os gémeos e o centro para apoiar os músculos e melhorar a postura enquanto corre.Os painéis de compressão locais ajudam a reduzir os impactos dos movimentos no corpo através da estabilização muscular. Também melhoram o rendimento ao proporcionarem um estilo de corrida mais eficaz, graças a uma melhor postura.A tecnologia de compressão ajuda a conseguir uma melhor circulação sanguínea permitindo aos corredores recuperarem-se com maior facilidade.Introduzir a nova tecnologia Motion Muscle Support no treino tornará possível que os desportistas possam treinar de forma correcta e com máxima intensidade, aumentando o rendimento no dia da corrida.O sistema Motion Muscle Support inclui a camisola de manga curta com reforço muscular interno, camisola de manga comprida com reforço muscular interno, as calças Leg Balance e as meias de compressão.
Novos Produtos:
A nova camisola de manga curta IM HALF ZIP TOP (imagem no topo) com fecho superior inclui um painel elástico de compressão em forma de diamante entre as omoplatas, projectado para melhorar a postura e o consumo de oxigénio.  PVP: 65€Para um maior suporte, a ASICS incorporou a tecnologia de suporte muscular - Motion Muscle Support - nas suas icónicas LEG BALANCEOs seus painéis localizados estrategicamente sobre os quadrícepes, gémeos e em torno dos joelhos ajudam a minimizar a vibração dos músculos e o impacto que estes sofrem quando se pisa o solo.  PVP: 83€asicscalças  

Review - TomTom Runner: para corredores descontraídos.

IMG_9151Por Filipe Gil:Levou algum tempo até “acertar” com o funcionamento deste relógio GPS da TomTom, o Runner. Foi um processo de aprendizagem que demorou umas três a quatro corridas. Não porque o Runner seja complicado  - até porque existem algumas semelhanças no software do Nike Sportwatch (também equipado pela TomTom) - mas sobretudo porque tem características únicas que demoram algum tempo a conhecer. Após esse “namoro” é uma questão de gosto. Ou se gosta…ou não.Mas vamos por partes.A quem se destina este relógio? Na minha opinião destina-se a corredores que não se preocupam muito com treinos de séries ou com treinos personalizados e que não necessitem de muito tempo de bateria (isto exclui logo os ultra runners). Destina-se aos corredores (e corredoras) que gostam de treinar sem grande preocupações quer na rua ou na passadeira, e que não anda à procura de grande metodologias de treinos ou de bater, incessantemente, recordes pessoais. Serve para quem quer saber ao ritmo a que vai, a distância e tempo da sua corrida, e pouco mais. Ou seja, para um corredor mais descontraído”.IMG_9142O mau:O design do TomTom é diferente do que existe no resto do mercado (pessoalmente gostei mais de ver no papel do que no pulso), e a leveza do relógio leva-nos, por vezes, a esquecer que o estamos a utilizar. A estranheza começa pelos comandos que não são feitos nem no ecrã (a não ser para ligar a luz) nem em botões laterais, mas sim num quadrado táctil que fica logo abaixo do ecrã. É estranho e requer algum hábito, mas depois de nos habituarmos a coisa funciona, sobretudo em corrida. Contudo, não gostei da forma como se navega pelo ecrã. O voltar para trás ou o andar para a frente é algo confuso no início - nas tais 3 a 4 corridas. O pior: este relógio não tem a língua portuguesa como uma das opções. Escolhi, naturalmente, o inglês. Não foi por aí que não percebi o que quer que seja, mas a holandesa TomTom devia perceber que o português é a sétima língua mais falada no mundo e isso, provavelmente, vai aborrecer uns quantos milhões de possíveis clientes.IMG_9149O bom:Mas este novo modelo tem coisas boas. A principal é a velocidade fantástica com que encontra sinal de GPS. Isto mesmo rodeado de prédios altos. Ou seja, uma vantagem face à concorrência que certamente agrada os corredores urbanos. O software e a forma  como nos permite aceitar certos desafios que a máquina nos propõe - como fazer 10K em 50 minutos  - indica, no ecrã largo do TomTom um interface visual interessante: uma estrada com uma seta a indicar o ritmo/distância a que vamos e se estamos à frente ou atrás do ritmo pretendido para fazer a tal dezena de quilómetros abaixo dos 50 minutos. Outro dos vários itens que me agradam neste relógio GPS é as alertas  (km’s, de ritmo, de distância) poderem ser em vibração. Por vezes não se aguenta com a frequência e quantidade de bips que ouvimos durante as corridas…IMG_9150O portal:Em relação ao portal onde se “descarrega” as corridas tive, inicialmente, algumas dificuldades em ligar o TomTom Runner ao meu computador, um MacBook de 2008. Tentei variadíssimas soluções até que pedi ajuda à assistência técnica da TomTom e em muito pouco tempo já me tinham disponibilizado a drive necessária a instalar (apesar de nas instruções dizer que o modelo é compatível). Nota máxima para a assistência pós venda. Uma vez dentro do portal encontra-se um agradável interface, em termos de design, mas ainda com muitas falhas. Não me recordo se dizia “Beta” em algum canto, mas devia dizer porque ficamos com a sessão que o produto ainda não está madura para uma utilização funcional. Poucas alternativas de visualização e informação se compararmos com a concorrência. Só o fato de não se puder nomear as corridas, irritou-me.IMG_9152Em resumo:Para quem não quer gastar mais de 170€ este modelo é uma opção interessante. Penso que a TomTom tem muito trabalho a fazer ainda com o software - tanto dentro do relógio como no portal, mas se continuar a apostar nestes aparelhos, como o fez na altura do lançamento, poderá ver as suas máquinas evoluírem para quem se preocupa com o físico mas não leva a corrida demasiado a sério. Nota final: achei o modelo muito feminino. Não porque o modelo que experimentei ser em cor de rosa (porque é possível “costumizar” as capas e assim mudar a cor, de acordo com o que vestimos), mas porque o design nos remete mais para um relógio fino, mais feminino, do que para as “cebolas” que vemos no pulso dos corredores de barba rija. E, como todos sabemos, as barbas estão na moda…IMG_9146+Tempo de encontrar GPSMonitor com excelente leituraOriginalidade dos comandos-DesignPersonalizacão de treinosA língua portuguesa não faz parte das opçõesMarca: TomTomModelo: RunnerPreço: 169€ (aqui)Avaliação (de 1 a 5): 3,5

1ª impressão - Berg Lynx & CS2 Belt

fotografia 1 (1)Por Pedro Luiz Tomás:Ando a testar esta mochila a Lynx + CS2 Belt, gentilmente cedida pela BERG, exclusivamente para testes, acerca de duas semanas e embora este não seja o review final (esse só será feito em dezembro, com um teste duro numa prova), senti que era tempo de falar um pouco sobre ela.Dos vários treinos que tenho feito com esta mochila, o último foi sem dúvida o mais longo (cerca de 02:30, não sei os km porque o meu Garmin decidiu que era tempo de partir para um mundo melhor) e o primeiro em que decidi levar o CS2 Belt acoplado.Genericamente a mochila é muito bem construída, com excelentes acabamentos e muito, muito leve. Ao meu corpo tem uma boa adaptação, sendo que a correr tem um ligeiro baloiçar, perfeitamente suportável e que rapidamente deixamos de dar conta.A parte da frente possui, dois suportes para bidões ou para comida graças aos cordões que permitem fechar por completo estes suportes, dois bolsos com fecho, um apito e uma bolsa junto ao velcro de aperto. A parte de trás tem uma bolsa elástica, que pode servir perfeitamente para levar um corta-vento ou algum objeto que seja necessário aceder rapidamente.O cinto é composto por dois suportes para bidões, uma bolsa central, dois bolsos para géis e ainda uma bolsa de velcro que permite ser ajustada. O cinto acopla-se facilmente à mochila e é extremamente confortável no uso. Tudo está muito bem pensado, não tenha esta mochila sido desenvolvida por um atleta (Carlos Sá). Os materiais são de extrema qualidade e aparentem ter uma boa durabilidade.Uma reserva: esta mochila traz uma bolsa de hidratação cujo o tubo é comprido que se farta e ao qual eu não sei o que fazer nem sequer onde prender… por enquanto vai andar aqui aguardo sugestões.fotografia 3fotografia 4fotografia 2 (1)  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D