Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

O meu top 3 de corridas em Lisboa

13173667_1013512748730056_6760577425683283951_n.jp

 

No domingo passado descobri uma corrida que claramente faria parte do meu top 3 de provas em Lisboa. Foi a Corrida dos Pupilos do Exército que adorei pelo seu percurso e ambiente. Foi então e também porque algumas pessoas me têm vindo a perguntar, que decidi partilhar aqui as minhas três provas preferidas em Lisboa. São provas de cerca de 10km que se realizam na área da Grande Lisboa. Relembro que esta é o meu Top 3 pessoal e pode não ir ao encontro das preferências dos restantes elementos do Correr na Cidade.

 

Este é o meu top 3 de provas em Lisboa (a ordem é irrelevante):

 

13173094_1286138938081946_6278773409183481254_o.jp

 

Corrida Pupilos do Exército e Corrida Avenidas Novas

(esta prova foi a junção de duas, a primeira este ano na sua IV edição e a segunda na III)

Site: http://www.corridapean.pt/

Distância: 3, 5 ou 10 km

Ganho de elevação: 174m

Ponto de partida: Parque Eduardo VII, Lisboa

Custo da Inscrição na primeira fase: 8€ para as provas dos 5 e 10 Kms e de 5€ para a prova dos 3 Kms

Número de participantes: 600

Mês de realização: Maio

Edição: IV

Opinião: Fui convidada a participar nesta prova pela Multiopticas, um dos patrocinadores desta corrida. Já tinha ouvido falar com a corrida mas sinceramente nunca pesquisei sobre o seu percurso. Aceitei o convite de bom grado e no domingo de manhã dirigi-me ao cimo do Parque Eduardo VII, junto à bandeira. Adorei a prova pelo seu ambiente acolhedor. Como tem poucos participantes, gerou-se um ambiente muito familiar e intimista. O que mais gostei foi o percurso (vejam no meu Strava), não circular, pois terminou na 1ª seção dos Pupilos do Exército na Radial de Benfica. O percurso passa pelo Corredor Verde e Monsanto, tornando-se muito diversificado. No Parque Florestal Monsanto, passamos por trilhos e estradões, algumas subidas e partes planas. Os últimos dois kms são mais duros psicologicamente, pois saímos da floresta e corremos pela ciclovia “Lisboa Cidade” junto a estrada. A prova tinha 3 abastecimentos de água e águas e maças no final. A prova apoia a Associação Jorge Pina e Escola de Atletismo Adaptado. Esta Escola foi pensada por Jorge Pina para dar formação desportiva gratuita na área do Atletismo a qualquer criança ou jovem com necessidades de saúde especiais.

 

PS. Nesta prova fiz segundo lugar no meu escalão. Infelizmente não fui ao pódio porque estava inscrita como homem e nem sabia que tinha ficado em segundo. Só descobri depois e a organização tratou de corrigir os resultados e enviar a medalha :) Realmente é chato ter um nome holandês em Portugal eheheh.

 

MUT Lx.jpeg

 

Urban Trail Lisboa

Site: http://www.urbantrail.pt/

Distância: 10km e caminhda

Ganho de elevação: 330m

Ponto de Partida: Praça do Comércio

Custo da Inscrição na primeira fase: 13€ equipa s/frontal, 14,90€ individual s/frontal, 15€ equipa c/frontal, 17€ individual c/frontal

Número de participantes: 8000

Mês de realização: Setembro

Edição: IV

Opinião: Embora só tivesse participado na edição de 2014 nesta prova, é uma das minhas preferidas de Lisboa. A prova também decorre em Sintra, Leiria, Porto e Coimbra, sendo que em Sintra já participei duas vezes. Esta prova é perfeita para quem gosta de trilhos. Trilhos urbanos, neste caso, tal como o nome da prova indica. A prova decorre à noite e os participantes, com uma luz frontal na cabeça, sobem e descem por alguns dos bairros mais emblemáticos de Lisboa: Mouraria, Alfama, Bica e Bairro Alto. É uma prova dura, muito divertida e bem diferente das muitas provas planas que a Cidade acolhe a cada fim-de-semana.

 

Corrida do Tejo.jpeg

 

Corrida do Tejo

Site: http://www.corridadotejo.com

Distância: 10km

Ganho de elevação: 82m

Ponto de partida: Algés

Custo da Inscrição na primeira fase: 10€ para as 1000 primeiras inscrições

Número de participantes: 10 000

Mês de realização: Setembro

Edição: 36ª

Opinião: Esta corrida tem um lugar especial no meu coração, pois foi a minha primeira prova em Portugal. O percurso começa em Algés e termina em Carcavelos, ao longo da marginal (afirma-se que gosto de provas que não sejam circulares). A Corrida do Tejo é uma prova muito bem organizada tendo em conta o enorme número de participantes que tem. Normalmente gosto de provas mais pequeninas, mais caseiras e menos comerciais, mas esta prova tem algo especial. Tanta gente a correr junto ao rio é mágico. A prova conta com muita animação ao longo do percurso e também graças à paisagem envolvente, esta prova não é nada monótona e muito agradável.

 

E vocês? Quais são as vossas provas preferidas em Lisboa?

Azores Trail Run - Entrevista com o Diretor da Prova

17000127_43TzL.jpeg

 

Como alguns de vós já sabem, a Bo vai participar no Azores Trail Run em Maio do próximo ano. Até lá, é possível que alguns elementos da crew se juntem a ela. Segue uma entrevista ao Diretor desta prova emblemática, Mário Leal, para vos abrir o apetite.

 

O Azores Trail Run é organizado pelo Clube Independente de Atletismo Ilha Azul (CIAIA). Quem é o CIAIA?

O CIAIA é um clube de atletismo da ilha do Faial, com 24 anos de existência e que veio preencher uma lacuna existente há data, que era a falta da prática de atletismo na ilha. Ao longo da sua história o CIAIA tem formado muitos atletas que se tem destacado no atletismo regional e nacional.

 

É a segunda edição deste evento. Como correu a primeira edição e o que esperam da segunda?

Este evento de Trail, na realidade, já vai na sua 4ª edição embora as duas primeiras edições tenham tido apenas um caráter local, com a realização do Trail dos 10 Vulcões, no âmbito das comemorações dos 40 anos da Reserva Natural da Caldeira e do dia Europeu dos Parques Naturais, com cerca de 35 participantes e não se chamava Azores Trail Run. A edição de 2014 foi a primeira a incluir uma prova na distância ultra e em que se apostou em atrair atletas do exterior, nomeadamente de Portugal continental e internacionais. A 1ª edição do Azores Trail Run (ATR) foi um sucesso, contou com 215 atletas inscritos de 14 nacionalidades, nomeadamente de Portugal, Espanha. França, Itália, Grécia, Holanda, Bélgica, Dinamarca, Noruega, Alemanha, Brasil, Estados Unidos da América, Africa do Sul e Nova Zelândia. Todos os participantes foram unanimes em considerar que a prova é fantástica, que os trilhos estão em muito boas condições, que o envolvimento da população local e dos voluntários foi excelente e que os dias antes e depois da prova foram muito bem passados desfrutando do que a ilha tem para oferecer aos visitantes.

 

Que recomendações pode dar aos atletas que irão participar no Trail dos 10 Vulcões e no Ultra Trail Faial Costa a Costa?

Não há recomendações em especial a dar, que não sejam as normais para uma prova de trail, a não ser que aproveitem as paisagens e os trilhos e se divirtam ao longo dos dias que vão estar no Faial.

 

O que podem os atletas esperar desta prova? Como é o percurso (altimetria, locais emblemáticos, etc.) e quais são os abastecimentos?

A 2ª edição do evento Azores Trail Run, será constituída por duas provas competitivas:

 

Faial Costa a Costa – Trail Ultra (48 km)

cac.jpg

O Faial Costa a Costa – Trail Ultra inicia-se no centro da freguesia da Ribeirinha, próximo de um antigo porto – o Porto da Boca da Ribeira. Nos seus 48 km de extensão, somos transportados para outros tempos, em que os Faialenses usavam as chamadas “canadas” para transportar bens, quer pelo seu próprio meio quer puxados por carros de bois, e que faziam a ligação entre as freguesias. Passando por um farol destruído por uma intensa crise sísmica em 1998 que não nos deixa esquecer a formação telúrica destas ilhas e das suas gentes, grande parte do trilho decorre no maior e mais espetacular “Graben” do arquipélago, uma grande porção de terreno que abateu entre duas falhas tectónicas. Passando pela escarpa de uma dessas falhas, a “Lomba Grande”, o trilho termina na Caldeira central da ilha, o maior e mais importante vulcão do Faial, onde se faz a ligação ao Trail dos 10 Vulcões.

 

Em pleno Parque Natural do Faial, considerado Destino Europeu de Excelência (EDEN) pela Comissão Europeia, e único no Pais, somos transportados para uma viagem no tempo histórico e geológico, percorrendo a ilha costa a costa na forma da sua criação, de Este para Oeste. Começa em terrenos com cerca de 800 mil anos, percorre uma zona central com 450 mil anos e os seus 48 km de extensão terminam num dos locais mais importantes do Globo, o adormecido vulcão dos Capelinhos.

 

A prova terá um desnível positivo de 2000 metros, sendo o ponto mais elevado atingido à cota de 1000 metros, e o ponto de cota mais baixa situado à cota zero.

 

A prova é categorizada pela Associação Nacional de Trail Running como Trail Ultra Médio Grau 2.

 

Trail dos 10 Vulcões (22 km)

10v.jpg

O Trail dos 10 Vulcões, como o próprio nome indica, tem início numa das maiores e mais espetaculares caldeiras vulcânicas que existem no planeta e percorre, ao longo dos cerca de 22 km, os 10 principais vulcões existentes no alinhamento fissural da península do Capelo. A biodiversidade e a geodiversidade são uma constante neste percurso, destacando-se as paisagens arrebatadoras desta península onde se pode descobrir uma grande parte da flora endémica dos Açores no seu estado natural. Este trilho, atravessa os mais recentes cones vulcânicos da ilha do Faial, terminando no território mais jovem de Portugal, o vulcão dos Capelinhos, autêntico cenário lunar onde é possível pisar terreno formado por cinzas, tufo e bombas vulcânicas com apenas 57 anos de idade, terminando no Porto do Comprido à cota zero, naquela que foi a principal e maior estação baleeira dos Açores entre 1940 e 1957.

 

A prova terá um desnível positivo de 550 metros, sendo o ponto mais elevado atingido à cota de 900 metros, e o ponto de cota mais baixa situado à cota zero.

 

Em relação ao equipamento o que considera essencial para esta prova?

O equipamento essencial é o que está no regulamento da prova nomeadamente, mochila tipo camelbak ou cinto com recipiente, copo ou caneca (nos abastecimentos não haverá copos de plástico ou garrafas fechadas), manta de sobrevivência, apito, telemóvel, corta-vento. “Devem” também levar uma máquina fotográfica para captarem alguns momentos da prova.

 

Que conselhos podem dar a quem esta agora a iniciar-se no mundo do trail?

Que aproveitem esta modalidade para se superarem e para se sentirem melhor no dia-a-dia, porque é uma atividade fantástica e que está a pôr as pessoas em contato com a natureza e com a atividade física de uma forma nunca vista. Não se devem esquecer que há alguns riscos que podem ser facilmente debelados desde que se cumpram regras básicas de segurança e de cuidado com a saúde.

 

Uma frase de incentivo aos atletas.

Venham correr entre mar e vulcões e aproveitem para desfrutar das paisagens e da hospitalidade dos locais e de tudo o que a ilha do Faial tem para oferecer, porque vale mesmo a pena.

 

Ficaram com vontade de ir também? Estejam atentos, em breve iremos anunciar um passatempo onde te podes habilitar a ganhar um convite duplo!

MUT Sintra - uma viagem encantadora

Fiquei tão feliz quando se confirmou que a crew iria marcar presença no Meo Urban Trail (MUT) de Sintra em grande! O MUT de Lisboa foi uma festa onde a crew do Correr na Cidade esteve presente com grande parte da crew. Para Sintra fomos seis: a Ana, a Liliana, o Luís, o João, o Nuno, o Tiago e eu, e claro os nossos amigos :)

0.jpg

 A equipa pronta para a aventura

 

O tempo estava ótimo e como adoramos Sintra optámos por ir para lá mais cedinho para viver o ambiente da prova. Eu própria não estava nos meus dias mais fortes; depois dos 44km na Serra da Lousã a semana passada, só tinha treinado uma vez, no Treino pelo dia Municipal para a Igualdade (organizado em cooperação com o João Campos e a CML), onde corri 10km. Assim sendo, fui sem expetativas de tempos e sim, com elevadas expetativas de diversão que foram, sem dúvida, satisfeitas!

 

O espaço para o levantamento dos dorsais estava muito bem organizado, num dos largos mais emblemáticos da vila, o Largo Rainha Dona Amélia (Palácio Nacional de Sintra), onde também se iriam realizar a partida e chegada da prova. Tudo muito bem organizado, nada de filas e um ambiente encantador. Após pôr a conversa em dia com os amigos, lá avançamos para a partida onde se realizou um aquecimento.

1.jpg

Ready!?

 

Sabendo que me iria facilmente abaixo nas subidas, decidi acelerar bem nas descidas e partes planas. Assim, com o tiro da partida, voei a um bom ritmo, abaixo dos 5:00, até encontrar a primeira parede, sendo que levei 10 minutos e meio a fazer o terceiro km. Ufa, as minhas pernas só gritavam que ainda não tinham recuperado dos 44km sete dias antes… Sofri mas nas descidas o sofrimento desaparecia e fosse em calçada ou trilhos, rolava para baixo.

 

O percurso foi magnífico, fez jus à beleza e encanto da vila, com trilhos por becos estreitos, trilhos em terra no cimo da colina junto ao palácio, escadinhas simpáticas (ou outras menos simpáticas), e vistas deslumbrantes. O facto de a prova ser a noite faz com que a viagem seja ainda mais misteriosa. Foi indo! Ah, e os cheiros? Foram 10km de prazer para o nariz também ahaha eucalipto, flor citrinos e jasmim. Foi uma prova que despertou os 5 sentidos, particularmente com a bela da queijada no fim!

 

A prova em números:

Distância: 10,1km

Desnível acumulado: 536

Tempo de prova: 1h11min

Tempo em movimento: 1h09min

Pace: 6:54/km

Km mais rápido: 4:47/km, o primeiro

Km menos rápido: 10:33/km, o terceiro

Alimentação: água, pera, travesseiros e queijadas!

3.jpg

 The boys...

2.jpg

 And the girls...

 

Em poucas palavras, gostei muito da prova. Excelente organização com muitos voluntários simpáticos, ótima sinalização e abastecimentos. Tenho apenas dois pontos menos positivos a apontar: o primeiro foi o congestionamento na subida ao palácio, embora compreenda que seja quase inevitável em percursos com passagens estreitas. Outro ponto é o preço. Para a corrida dos 10km, os preços variam entre os 17€ e 23€ consoante os prazos, que é um valor considerável para uma prova de 10km, se bem que não é uma prova “normal” :)  Para o ano, lá estarei!

1ª Meia Maratona do Dão - uma fusão entre corrida, gastronomia e cultura

 

É já no dia 21 de Setembro que a cidade de Viseu vai acolher a Primeira Meia Maratona do Dão, batizada de Corrida da Emoção.

 

A Meia Maratona (21,095 km) do Dão é uma prova de atletismo, de cariz competitivo e lúdico, que agrega também uma Mini Maratona (10 km) e uma Caminhada (5 km). O evento integra o grande cartaz da Festa das Vindimas que a cidade de Viseu oferece em 2014. 

 

A Região Demarcada do Dão foi instituída em 1908, situada no centro de Portugal, na província da Beira Alta. Esta região caracteriza-se por um relevo acidentado, com um clima favorável à produção de grandes vinhos, possuindo atualmente cerca de 20 000 hectares de vinha em aproximadamente 376

000 hectares de terra.  Os Vinhos do Dão são hoje uma referência nacional e internacional, orgulhando todos os seus produtores e fazendo desta nobre Região uma das mais promissoras Regiões Demarcadas da Europa na área da produção vinícola. É no seio deste maravilhoso território, que tem como epicentro Viseu, que nasce agora um novo projeto de turismo ativo para proporcionar uma experiência única e inesquecível. 

 

Como a maioria das cidades medievais portuguesas, o centro histórico de Viseu é um labirinto de ruelas, muitas delas ladeadas por antigas casas nobres, que vão dar ao ponto mais alto da cidade, a Praça da Sé. Famosa pela capela-mor gótica, a original catedral do século XIII combina vários estilos arquitectónicos à medida que se foram fazendo acrescentos ao longo dos séculos. Junto à Sé fica o Museu de Grão Vasco, que tem o nome do artista português do século XV que também deu o seu nome a um dos mais conhecidos vinhos da região. O museu alberga muitas das suas obras, incluindo os famosos 14 quadros da vida de Cristo que outrora gracejavam as paredes da Sé.

 

Segundo Paulo Costa, Diretor Executivo da Prova, a Maratona do Dão é um evento a não perder; não só pela prova em si, mas também pela cidade medieval que a acolhe, com uma gastronomia, vinho e cultura muito típicas!

 

O percurso será desvendado brevemente (siga o Facebook da prova), mas as inscrições já se encontram abertas e estão limitadas nesta primeira edição a 5.000 participantes! Estás a espera do quê?

1ª Meia Maratona Dos Descobrimentos (Dez 2013)

DMMLXE surgiu mais uma Meia Maratona na cidade de Lisboa. E ainda bem!A 1ª Meia Maratona dos Descobrimentos  irá realizar-se a 8 de dezembro de 2013, e vem "colmatar" a mudança de organizador e de formato da Maratona de Lisboa (que se realiza a 6 de setembro entre Cascais e Lisboa). Retirei informação do excelente blogue Correr Por Prazer.A prova, segundo o site da organização, terá uma prova de 10Km e o percurso da Meia Maratona corrido individualmente ou por equipas de estafetas. A partida de ambas as provas será feita às 9h30m junto à Torre de Belém sendo a chegada entre os Mosteiro dos Jerónimos e o Centro Cultural de Belém.No site pode ainda ler-se que nos dias anteriores à feira, a 7 e 8 de dezembro, existirá uma expo da prova.As inscrições ainda só se encontram disponíveis apenas para atletas fora de Portugal.  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D