Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Prevenir e não remediar!

unnamed.jpg

Confesso: não sou o corredor que já fui! Depois da lesão de síndrome de iliotibial que me tirou das corridas durante longos meses, e que a maioria dos leitores tem conhecimento, a minha abordagem à corrida é hoje completamente diferente.  

Para mim, sem dúvida que foi um momento marcante, tanto fisicamente como psicologicamente. Há um AL (Antes da Lesão) e um DL (Depois da Lesão). E hoje muita coisa mudou.


Entre elas o facto de ser muito mais atento ao meu corpo. Faço alongamentos religiosamente depois dos treinos, pelo menos 15 minutos (especialmente com o rolo). E,  muitas vezes, em dias que não corro dou por mim no chão da sala a ver televisão a alongar as pernas ou a passar com uma bola de golfe debaixo da plantado pé – para evitar fascites.

Estou também a ter um cuidado maior com a minha passada. Tentar aterrar o pé com o meio deste e, ao mesmo tempo, dar passadas mais curtas, dobrando mais os joelhor - confesso que em treinos mais longos, e quando o cansaço aperta é difícil manter esta aprendizagem.

Outra das minhas preocupações é a mudança de terreno. Se faço 2 treinos em asfalto, tento treinar o seguinte em trail, por causa das articulações. Para breve irei fazer uma toma quer de produtos para as articulações quer de magnésio – que no meu caso é fundamental para evitar caibras que regularmente tenho, sobretudo nos gémeos.


E, para além de treinar em ginásio para fortalecimento dos joelhos e dos músculos,  há outra coisa que não dispenso fazer neste DL: a manutenção das minhas pernas.

E para isso passei a recorrer a massagens desportivas como forma de prevenção de lesões. Algo que não o fazia antes. Prefiro gastar em massagens de 15 em 15 dias ou, para não pesar muito no orçamento, de mês a mês, do que lesionar-me e depois gastar várias centenas de euros em médicos, ortopoedistas, fisioterapias e medicamentos para voltar a correr depressa.

Nós, portugueses, ainda somos muito maus em fazer planeamento (em várias áreas da nossa vida) e parte desse planeamento na corrida devia estar focado no evitar lesões.

Acredito que visitar regularmente um profissional habituado a tratar de corredores – de preferência que seja ou tenha sido corredor – ajuda muito na prevenção de chatices maiores. Se formos analisar os corredores profissionais ou semi-profissionais têm esse acompanhamento semanal. Nós, corredores amadores devemos, pelo menos, fazer uma sessão de massagem desportiva uma vez por mês.

Nesta nova fase em que a minha principal preocupação, para além da diversão, é manter-me saudável na corrida. E, acreditem, depois dos 40 anos de idade ganhamos muito em maturidade para longas distâncias, mas o corpo demora muito mais tempo a sarar. 

O meu conselho, que já anda nisto das corridas há uns tempos, é mesmo isso: previnam lesão, sejam inteligentes na forma como tratam o vosso corpo. Esta é uma das minhas resoluções Depois da Lesão.

 

 

Descontos só para vocês!

c700x420.jpg

Como já aqui noticiamos, a Sara Dias é agora membro da nossa crew, e de futuro irão vê-la com a nossa tshirt vestida. Mas nós não fomos os únicos a ganhar com a entrada da Sara, para comemorarmos isso e dar a conhecer um dos locais onde recorrentemente vamos tratar as nossas mazelas, queremos que usufruam de 20% de desconto sobre o preço (40€) nas consultas da Sara Dias no Centro de Artes Holísticas de Lisboa (CAHL) até ao dia 29 de fevereiro.

 

Para tal só têm de mostrar este post (impresso, no tablet, no smartphone) e fazer um like na página profissional de facebook da Sara. Um like na nossa página de facebook do Correr na Cidade. E ainda do CAHL, claro! E usufruir de uma consulta com o desconto CNC. Válido apenas para 1 consulta.


Só até ao final deste mês de fevereiro. Aproveitem!

A crew cresceu! Conheçam o novo elemento do CNC!

A crew do Correr na Cidade tem mais um elemento. Uma mulher! Mas a história da ligação desta corredora com a crew já é antiga. E partilho aqui convosco.

Em finais de 2012 tive a minha primeira lesão mais séria. Até lá, na minha "adolescência" como corredor não sabia o que era lesões. Ora, em outubro comecei a ter uma grande dor no pé direito, depois do Trail de Casaínhos. Pensei que seria osso, que teria batido num pedra. E, para me tratar logo, comecei uma ronda por podologistas, por ortopedistas, etc, sem resultado. Foi a primeira vez que fiquei sem saber o que fazer. Descobri que era uma fascite plantar (nunca me tinha cruzado com tal expressão).

Até que um dia, com as minhas crónicas quase diárias sobre a lesão no blogue, recebo a mensagem de uma naturopata (outra expressão nova para mim até então) a indicar que se comprometia a curar a minha maleita, ou melhor, que tudo faria para curar a minha lesão. Confesso que desconfiei. Mas, depois de me aconselhar com alguns amigos, lá fui a Oeiras ao Espaço Saúde de Corpo e Alma, onde fui muito bem recebido. 

E lá, a tal naturopata confirmou que era mesmo uma fascite plantar. Colocou os seus nós dos dedos na minha planta do pé (o que doeu muito) fez muita massagem aplicou Moxa e, logo da primeira vez saí de lá com o pé com menos aderências. Mais quatro ou cinco sessões e já estava a correr sem dor. Esta naturopata safou-me de mais semanas parado!

No início de fevereiro a naturopata disse-me: estás curado! Fomos falando amiúde sobre o meu pé e a sua evolução. Foi nesta altura que a crew cresceu ainda mais. E a cada lesão ou início de lesão, mandava-os para a tal naturopata. E os meus amigos vinham de lá satisfeitos. 

E a amizade com outros membros da crew foi crescendo. À dor mais incómoda a frase que saltava das nossas bocas era (e ainda é): vai falar com a Sara. Exato, já adivinharam, estou a escrever estas linhas sobre a Sara Dias, a naturopata que agora, após o nosso convite, se junta à crew.12583790_1104632316213734_346828612_n.jpg

Fazendo fast forward de fevereiro de 2013 até à data de hoje, quase três anos depois, muita coisa se passou e a Sara começou a correr connosco assiduamente e começou a ser presença na casa de alguns de nós, etc. Para além da simpatia, sentido de humor, a Sara gosta de fazer desporto e gosta de correr. E é muito competitiva!

Ora, de um momento para o outro, um dos membros da crew partilhou o que já parecia uma coisa assumida: bora lá convidar a Sara. E bingo! Convite feito, convite aceite, e cá está a Sara, que a partir das próximas semanas irá começar a correr de CNC ao peito. E nós estamos muito contentes com isso!

Somos agora 18 - conheçam-nos melhor aqui! E, somos, como gostamos de nos auto intitular, uma verdadeira família com todas as virtudes e defeitos. Bem-vinda à família, Sara!

 

 

 

 

Desporto e vida saudável, um equilíbrio complicado?

IMG_5388.JPG 

Porque corremos, nadamos, fazemos CrossFit, ou qualquer desporto?

 

Entre muitas respostas possiveis, a resposta de muitos será, "porque quero perder uns quilos a mais", e de outros "porque quero estar e ser saudável!". Será mesmo assim? 

 

Se tivermos em conta que um atleta de alta competição faz mais desporto que qualquer um de nós seria de esperar que  fossem bastante mais saudáveis que nós. No entanto, dado o alto impacto e exigência a que se colocam, as lesões são frequentes e muitas vezes graves.

 

Se tivermos em conta muitos de nós, que nos dedicamos apaixonadamente a um desporto enquanto amadores, mas não temos em conta os limites do nosso corpo e, como o atleta de alta competição, exigimos mais do nosso corpo do que ele está efetivamente apto, as lesões são, e não deveriam ser, quase inevitáveis.

 

IMG_5405.JPG

Para que assim não seja há um conjunto de fatores importantes que aliados ao desporto de paixão que praticamos são essenciais para nos mantermos saudáveis, como é o caso da alimentação, descanso, amor, etc.

 

O nosso corpo é uma máquina complexa, e consoante as exigências a que o colocamos, responde de forma mais ou menos eficiente, mais ou menos saudável. Também do ponto de vista psicológico e emocional o equilibrio influencia o modo como nos sentimos e como o corpo responde. 

 

É sobre este equilibrio que  vos quero falar, e é este equilibrio que tenho procurado, e para o qual tanto o desporto, como a alimentação, o descanso, o amor, etc., contribuem.

 

Se nos últimos meses, após alguns meses de paragem por lesão, consegui voltar a treinar com a regularidade que gosto, importante para o meu equilibrio físico e emocional, devo-o em grande parte à terapeuta Sara Dias.

 

IMG_5401.JPG

Complementando as componentes que já vos falei, a alimentação, descanso, componente emocional, etc, necessitamos de complementar os desiquilibrios físicos, sejam eles derivados de excessos físicos e mesmo stress, com o conhecimento medicinal de quem melhor que nós sabe como o corpo funciona.

 

Tem sido com o acompanhamento da naturopata Sara que tenho reencontrado aos poucos este equilíbrio fisico, que se encontrou desiquilibrado durante bastante tempo derivado a lesão e muito stress.

 

Associando o muito conhecimento anatómico, com a aplicação de técnicas naturais e muita paciência e dedicação, a Sara conseguiu debelar a lesão que tive no pé, bem como os muitos desiquilibrios que tenho tido, provocados pelo excesso de carga fisica e stress.

 

Para todos os que, como eu, gostam de treinar e fazer desporto regularmente, e procuram melhorar as suas prestações desportivas, deixo-vos um conselho, vão conhecer o trabalho da Sara no espaço Saúde de Corpo e Alma.

 

Seja para validar aquela dor estranha que teima em aparecer quando correm, ou para pôr a mexer aquele ombro que não mexe, ou ainda para sair de lá com as pernas prontas para a próxima prova - a diferença entre o antes e o depois de uma sessão é evidente.

 

IMG_5399.JPG

 

Se o desporto e a vida saudável são um equilibrio complicado, são profissionais assim que nos ajudam a andar mais equilibrados e por isso merecem o reconhecimento do seu trabalho.

 

Obrigado Sara!

Crónicas de uma lesão: Haja paciência!

calcanhar-dorPor Filipe GilE desde o último treino – na passada sexta-feira – muita coisa mudou no meu pé. Estou já farto de escrever crónicas sobre lesão, mas irei continuar até estar a 100%. Penso que, de alguma forma, este relato será útil quer para mim quer para outros no futuro.Isto da fascite plantar é uma lesão muito chata. Mesmo muito! Ora depois das dores provocadas pelo treino ligeiro de 8K na sexta, o sábado foi passado com dores. Mais do que normal. Até dores no joelho.Insisti com o tratamento e voltei a tomar o medicamente homeopático Arnica. No domingo ao acordar, mal coloquei o pé no chão a fascite disse “bom dia”, mas à medida que o dia foi avançando, fui ficando sem dores. Aliás, se tivesse tido tempo (e pouco juízo) teria ido correr no final do domingo. Mas não o fiz.Mas, apesar de alguma dor ao toque, estou a escrever estas linhas sem quaisquer dores ou ligeira impressão – às vezes até me esqueço que estou lesionado.Falei com a Naturopata que me está a tratar a lesão – tenho nova sessão de tratamento agendada para amanhã – que me aconselhou a correr um pouco hoje. Para ver como o pé e a fáscia reage. Se conseguir, logo lá voltarei às corridinhas para experimentar isto.Entretanto estou mais atento aos meus pés e à minha passada/pisada. Descobri que a correr com ténis para pronadores suaves toco com frequência com a planta do pé na costura lateral dos ténis. Ou seja, coloco mesmo os pés para dentro quando corro. Algo que não noto tanto se o espaço da biqueira dos pés for mais larga. Definitivamente, preciso de apoio para pronador ( e não suave).Espero não ter que escrever muito mais sobre isto. Mas, certamente, voltarei às crónicas em breve. Só mais uma achega. Não pesquisem vídeos no You Tube sobre este problema. Quanto mais pesquisam mais formas de curar irão encontrar. Já descobri um método que cura em 72 horas, contra o pagamento de umas centenas de euros...

A lesão fantasma!



20131220-143218.jpgE é isto que vocês leem. Nada. Convem salientar que a ressonância foi feita quase 1 mês depois do início da lesão, o que poderá ter influência. Mas estou contente. Hoje foi o primeiro dia que acordei sem quaisquer dores, apenas um ligeiro dorido nas zonas onde a naturopata, Dr.ª Sara Dias trabalhou - e que me avisou que assim iria acontecer.O resto do tratamento será feito pela Dr.ª Sara, está a resultar, e bem, o tratamento que me está a aplicar.Penso que mais uma ou duas sessões com a Dr.ª e estou pronto para voltar às corridas. Vamos com calma, acho que já falta pouco.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D