Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Maximalismo. A tendência para 2014?

media_164Por Filipe Gil:E depois dos sapatos de corrida minimalistas estão prestes a chegar aos vários mercados os “maximalistas”, ténis com extra amortecimento e com solas mais grossas e com muita espuma de amortecimento.A tendência começou a surgir nos pés de alguns corredores através da marca, de origem francesa, Hoka One One. E, segundo as principais revistas da especialidade serão uma das tendências de mercado para os sapatos de corrida nos próximos meses, sendo que algumas marcas como a Skechers (com os Ultra - na foto abaixo), Brooks entre outras já estão a apresentaram ou irão apresentar os seus modelos.skechers-ultraAinda andamos a discutir as benesses ou prejuízos de correr com minimalismo - sobretudo se provocam ou evitam lesões - e começa já a surgir o maximalismo. Pessoalmente não posso dar nenhuma referência porque nunca corri com maximalistas, apenas os acho esteticamente estranhos, já que me parecem ténis ortopédicos.Contudo, leva-me a pensar que se os ténis não forem bem estruturados no calcanhar e na parte lateral poderão provocar alguns entorses ou lesões mais chatas, uma vez que a base do pé vai ficar muito alta e ao fim de uns kms o pé poderá tender para um lado ou para o outro durante a passada e causar lesões. Sem estrutura de apoio acho difícil, especialmente para pronadores ou supinadores. Mas, tal como escrevi, é apenas uma ideia visto nunca ter corrido com os maximalistas.A ver se a tendência maximalista invade os pés dos corredores portugueses. E vocês o que acham desta tendência? Já alguém experimentou um modelo maximalista?Ainda em relação à abordagem dos benefícios ou prejuízos do uso de ténis minimalistas, chamo a atenção para ouvirem o último episódio da TSF Runners que aborda de uma forma muito esclarecedora a temática. Podem ouvir aqui.

Supinador, Pronador ou Neutro - ou é tudo uma grande treta?

IMG_2429

Por Filipe Gil:

Primeira nota antes de continuarem a ler este post: sou da opinião que cada corredor deve ir experienciado por si próprio o que lhe faz melhorar a performance a correr. Seja no calçado, no vestuário, na alimentação, no método de treino, etc. Esta não é mais do que uma opinião pessoal. Vale o que vale.

 

Posto isto, apetece-me escrever sobre a questão do calçado de corrida desde que um dia destes, num treino coletivo, um corredor que corre mais rápido do que eu – e se calhar há mais tempo – me perguntou: “mas o que é isso do calçado minimalista?”. Os quilómetros seguintes foram passados a discutir a questão minimalista e também quem era pronador, supinador, e os tipos de ténis que existem.Isto tudo aliado ao fato de ter recentemente lido o livro “Born To Run”, do norte americano Christopher McDougall e de ter começado a correr com uns sapatos minimalistas, fez-me refletir sobre a industria do calçado e da quase "heresia" de alguns corredores não saberem a sua passada correta. Será que isso realmente importa?

 

Toda a gente que começa a correr, com a pouca informação habitual de quem se inicia em alguma coisa nova, compra os ténis de corrida que acha mais bonitos. Depois, quando o “bicho” da corrida se agarra e se começa a correr distâncias maiores, participar em provas, etc, tudo muda. Com mais informação descobrimos que somos “pecadores” e que gastámos uma bela quantidade de euros sem antes fazer “o teste do passada” e termos o nossa etiqueta: supinadores, pronadores ou neutros.Eu, claro, passei por esta fase toda. Sempre tive ténis neutros (só mais tarde vim a saber disso) e depois de fazer o meu teste, e tendo o veredicto indicado: pronador, embora suave - passei a usar ténis apropriados para a minha passada.

 TiposPisada-729785

Ou melhor, foi uma bela desculpa para gastar mais 150€ nuns ténis feitos a pensar em corredores como eu. Mas, curiosamente, depois disso passei a ter algumas lesões, (embora mínimas), ganhei bolhas sem parar (daquelas com sangue que nos fazem coxear durante três dias seguintes). No meio desta luta, comecei a ler mais sobre o assunto - e aí chegou ao livro do McDougall - e descubro que para além do vernáculo supinador, pronador, “neutrador” há também o midfoot strike (pisada com o meio do pé) e o forefoot stike (pisada com a parte da frente do pé).

 

Confesso que comecei a ficar muito irritado com esta história toda. Com isso e com as bolhas e o incómodo que os meus ténis “especialistas” me faziam a cada corrida com mais de 10K de distância.Mas a maior sorte estava para acontecer. Por causa deste blogue uma marca norte-americana, que sequer desconhecia que tinha ténis de corrida, enviou-me um par de ténis minimalistas (confesso que ainda hoje não gosto da cor). E a partir daí, eu pronador, comecei a descobrir um mundo novo. Não é que uns ténis minimalistas com 4 mm de altura no calcanhar (o normal são 12 mm), neutros, com espaço para os dedos da frente se estenderem, se tornaram os meus ténis? Os adequados à minha passada e à minha forma natural de correr? Deixei de ter lesões. E apesar de não terem muito apoio, nem mega suporte de amortecimento, já fiz uma Meia Maratona com eles e acabei sem bolhas. Isto, quanto a mim, põe em causa toda esta febre dos supinadores vs pronadores, etc. Dei-me bem com este tipo de calçado, minimalista, inclusive já voltei a correr com os outros “normais” mas cada vez que o faço arranjo uma pequena lesão.

 

O meu veredicto, vale o que vale, é: isto é tudo das passadas supinadoras, pronadoras e neutras se calhar, não passa de uma grande treta! Procurem os ténis que vos deem melhor performance e melhor conforto e não liguem muito ao que as marcas dizem, aliás, até elas andam na dúvida em qual o tipo de passada, e de modelo de ténis, devem apostar junto dos consumidores.Oiçam o vosso corpo e os vossos pés, experimentem várias marcas com vários tipos de passada, se possível. No meu caso está a funcionar o midfoot strike e o forefoot strike. No vosso caso podem ser pronadores, neutros, supinadores ou minimalistas. Mas só vocês sabem e devem escolher o que é melhor para vós. E só mais uma dica, só correndo muito chegarão ao vosso veredicto.

 

Boas corridas!

Nike renova coleção “Free”

Nike_Free_4.0_men's_vertical_hi_largemodelo 4.0

A norte-americana Nike acaba de renovar a coleção de ténis de running “Free”. Novas cores, novos looks, e novas tecnologias para os seus três modelos que diferem, entre outros detalhes, no tamanho do apoio do calcanhar. Assim os 3.0 correspondem a 3 mm de sola no calcanhar, 4 mm é o tamanho do modelo 4.0, e o modelo 5.0 tem os 5 mm.

São a aposta da marca no running minimalista, ou perto disso. Apesar da maioria dos modelos serem muito bonitos, aconselho alguma prudência no uso deste tipo de calçado para correr distâncias a partir dos 10K. Para quem se inicia nestas coisas das corridas, ou está com um pouco de peso a mais, aconselho o modelo 5.0, com maior apoio para o pé. Aos restantes corredores, que olham para este modelos com curiosidade, os outros dois modelos (4.0 e 3.0) são escolhas muito interessante. Talvez o 3.0 seja uma escolha arriscada para quem está habituado a ténis com 10 a 12 mm de apoio no calcanhar. E sejam mais ténis para usar no ginásio. De qualquer forma, aqui fica a informação de que já estão disponíveis nas lojas portuguesas da especialidade.

modelo 5.0:Nike_Free_5.0_men's_profile_hi_large

modelo 3.0:Nike_Free_3.0_women's_profile_hi_large

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D