Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Como não fazer uma Meia Maratona

Meia Maratona de Lisboa.jpg

Por Filipe Gil:

 

Como não fazer uma Meia Maratona!?


Sei que aqui no Correr na Cidade estão habituados a que vos falem de como devem fazer isto e aquilo em relação à corrida e a viver uma vida saudável. É a missão desta gente fantástica que mantém a melhor informação sobre corrida de Portugal. Como estou de fora (mesmo!) tenho a liberdade para poder escrever coisas parvas.

 

Em primeiro lugar porque já não sou corredor, corro apenas de vez em quando, e quando me apetece - no pelotão a partilhar as dores e alegrias dos corredores anónimos. E em segundo lugar não tenho a pressão de representar uma marca, um nome, uma filosofia de qualidade que é o Correr na Cidade. Assim, por minha conta e risco, avançou com 5 coisas que nunca devem fazer numa Meia Maratona – e que eu fiz. No caso de reclamações ou contradições, eu agora moro aqui, escrevam para lá!


1. Não treinar como deve de ser! Fiz um treino de corrida de 7kms no dia antes da Meia Maratona. E antes, sendo que o antes foi há uma semana e meia ante do dia 19 de março, tinha feito 10kms pelos trilhos de Monsanto. Sabem há quanto tempo não fazia uma Meia Maratona: 3 anos. (No ano passado desisti por lesão). Ainda para acrescentar passei a véspera da prova a jogar basket com os meus putos. Foi mesmo bom!

 

 

 

Race Report: Meia Maratona Lisboa 2017 - A walk on the memory lane

meia_maratona_0b.jpg

 

Este ano retornei à Meia-Maratona da Ponte 25 Abril para correr. Sozinho, no meio da multidão, entre conhecidos e desconhecidos. Ir fazer km's sem qualquer segunda intenção. Cansado e com muitas horas de treino em cima nesta semana, a meia fazia parte do plano que tracei há pouco mais de 1 mes atrás.

Continuo a achar monótono fazer 10km sempre em linha reta sem qualquer obstáculo. É muito complicado ocupar a cabeça e concentrar.

 

 

 

Dorsais duplos para a Mini e Meia Maratona de Lisboa!

edp_running (1).jpg

“Queres correr uma meia maratona e ainda não tens dorsal? A EDP está a oferecer dorsais duplos para a Mini e Meia Maratona de Lisboa.

 

Até dia 8 de março, a EDP está a oferecer dorsais para a Mini e Meia Maratona de Lisboa (no dia 19 de março). Para te habilitares a ganhar estes dorsais gratuitos, só tem de ser cliente da EDP Comercial, ser o primeiro a chegar ao site da Comunidade EDP e participar numa das duas Happy Times diárias.

 

Participar é simples. Entra em comunidade.edp.pt e tenta ser o mais rápido!

 

A EDP é um dos principais patrocinadores de provas de corrida e pretende levar os seus clientes e a sua boa energia também além fronteiras. Vê tudo o que podes ganhar com a EDP Comercial, empresa do Grupo EDP que opera no mercado livre, e participa!”

 

Do que estás à espera? 

Lições da minha Maratona para a tua Meia Maratona

IMG_20160313_084953.jpg

 

Estive este fim-de-semana em Barcelona no âmbito da Zurich Marató de Barcelona. Tendo-me estreado nesta distância rainha do atletismo em Fevereiro do ano passado em Sevilla, decidi que este ano seria a vez de Barcelona. Gosto de usar a corrida como desculpa para viajar com amigos, mas isso é outra conversa; hoje partilho convosco algumas lições que aprendi no domingo, ao longo dos 42,195km de prova pelas ruas de Barcelona.

 

Assumindo que treinaram bem nos últimos meses, tendo seguido um plano de treinos ou pelo menos tendo feito alguns treinos mais longos e testado o material que vão usar durante a prova, partilho então algumas das lições que aprendi ou reaprendi na Maratona de Barcelona que vos podem ajudar na vossa (primeira) meia maratona.

BCN Marathon 2016 (3).jpg 

Lições pré-prova:

 

  1. Descansar as pernas nos dias antes da prova. Por mais que gostemos de praticar exercício ou que nos apeteça fazer aqueles 1-2 km a pé em vez de apanhar o metro, poupem as pernas! Estando de viagem numa cidade linda por explorar é muito difícil resistir à tentação de descobrir a cidade caminhando. Sem dar conta, caminha-se 15-20km e parecendo que não, as pernas cansam-se. Correndo “em casa” talvez não tenhamos este problema mas temos a tentação do ginásio ou outros desportos que pratiquemos com regularidade. Pelo menos no meu caso, custa-me abdicar da minha rotina semanal de exercício para descansar as pernas antes de uma prova grande, mas acreditem, vale a pena. Descansem. Se a prova for no domingo, é claro que de segunda a quarta-feira ainda podemos praticar exercício mas nada de exageros e no sábado, recomendo correr uns 4kms ou meia horita para “soltar as pernas”.

  2. Não arriscar experiências culinárias. Mais uma vez, esta tentação é maior estando no estrangeiro, mas mesmo estando em casa, tentem evitar temperos mais fortes, bebidas alcoólicas e alimentos que não façam parte do vosso quotidiano alimentar. De resto, já sabem, carregar nos hidratos e bebe muita água nos dias antes da prova.

  3. Dormir bem. Tenta dormir no ambiente ao qual estão habituados, onde já sabem que não haverá festas de vizinhos e cães a ladrar à porta (sim, isto aconteceu em Barcelona).

 IMG_20160313_112044.jpg

 

Lições durante a prova:

 

  1. Estabelecer um objetivo realista. É bom ter ambições mas ter ambições demasiado ambiciosos (desculpem a redundância) pode causar pressão desnecessária e fazer com que a vossa (primeira) meia maratona passe de uma suposta experiência positiva a 21km de sofrimento. Se é a primeira vez que se aventurem nesta distância, recomendo que o objetivo maior seja apenas o de concluir a prova e desfrutar da viagem. Mais oportunidades haverão para se preocuparem com tempos. Vejam como os vossos corpos reagem a esta distância e depois comecem a pensar em tempos. É esta a minha sugestão. No meu caso, e na distância da maratona, foi assim mesmo. Em Sevilla, na minha primeira maratona, fui sem olhar para o relógio, só com o objetivo de desfrutar e concluir a prova. Confesso que a partir do km 32 o objetivo de desfrutar foi mais difícil de manter, mas concluí a sentir-me bem e sem lesões (tempo de 4h23). Este ano decidi também não me preocupar com o tempo e até ponderei levar o relógio na mochila mas decidi levá-la no pulso, não para controlar ritmos mas sim para gerir a alimentação (tempo de 3h54).

  2. Comer e beber conforme correu bem no treino longo. Não inventem. Não experimentem géis ou outros suplementos alimentares que não conheçam. Se no treino longo comeram determinado gel a cada 40 minutos e sentiram-se bem, façam-no em prova também. O mesmo se aplica com a água. Hidratar é muito importante mas cuidado para não beber demasiado e ter que ir à casa de banho!

  3. Resistir à tentação de caminhar. Se no treino longo conseguiram fazer tudo a correr (nem que seja a um ritmo "sexy slow"), em prova também o conseguem. Bastam dois ou três passos a caminhar para o arranque para a corrida ser muito doloroso. Da minha experiência, mais vale continuar a correr do que caminhar para “descansar”. Em Sevilha, o ano passado, caí na tentação de caminhar por várias vezes e aí voltar a correr custou tantoooo! Já em Barcelona, nem tive vontade de caminhar porque sabia que tinha as pernas preparadas para correr até ao fim. Ou seja, para não cair na tentação de caminhar, é preciso treinar e ter confiança no treino que fizemos.

11016469_10153108491357350_213194956_n.jpg

Penso que estas dicas vos ajudarão a desfrutar mais da viagem que serão os 21kms entre a Ponte 25 de Abril e Belém este fim-de-semana. Acreditem em vocês, desfrutem da paisagem e da energia das dezenas de milhares de pessoas a correr na ponte e dêem um olá ao pessoal do Correr na Cidade que encontrarão ao longo do caminho!

Faltam dois dias para a Meia Maratona! E agora?

Por Bo Irik:

Meia Maratona1.jpg

 O ano passado na Meia Maratona da Ponte 25 de Abril

 

Ontem o Tiago partilhou algumas dicas para a vossa primeira meia maratona: aquecer, começar devagar, estabelecer objetivos, dividir a prova em etapas, combater o tédio, hidratar, usar roupa confortável e divertir-te. Fácil!

 

E agora? Agora que ainda faltam dois dias para a prova, o que fazer? Digo “ainda faltam” em vez de “já só faltam” porque nesta fase já deves estar mega ansioso/a!

 

Entretanto, já com algumas provas de 21km + no meu currículo, partilho convosco algumas das que eu considero as boas práticas nos dias que precedem uma prova. Estas dicas podem, obviamente, ser aplicadas a provas de qualquer distância. Sublinho que são dicas resultantes da minha experiência própria e que eu não sou nenhuma perita no assunto e cada caso é um caso.

 

  1. Come muitos hidratos de carbono!

Yes! Esquece a dieta, ataca a massa! Temos a mania de que a comida pre-prova devia ser massa pelos hidratos de carbono,mas sabias que duas carcaças contêm mas hidratos de carbono do que um prato de massa? Mais informação sobre o que comer antes de uma Meia Maratona pode ser lido aqui, escrito pela Ana, a nossa especialista neste âmbito.

 

A ingestão de hidratos deve ser iniciada alguns dias antes da prova, não só na véspera, e cuidado, não comas demasiado na véspera, isso também pode causar efeitos adversos! Come quantidades que comerias normalmente, mas carrega nos hidratos.

 

  1. Evita alimentos estranhos.

Se puderes come em casa e come coisas que estás habituado a comer, preferencialmente coisas que costumas comer antes de treinos longos. Agora não é o momento para experimentar o restaurante chinês clandestino na Mouraria :p

 

  1. Hidrata-te!

Sim, sei que o Tiago também já falou da hidratação durante a prova e a Ana sobre a hidratação antes, mas é tão tão tão importante, que repito: bebe água! Eu bebo muita água por natureza, tenho uma garrafinha no meu trabalho que vou enchendo de forma a beber 2 a 3 litros de água por dia, consoante o calor e previsão de exercício intenso. Mais uma vez, não basta beber no dia antes da prova e durante. Começa a hidratar bem 2 a 3 dias antes e não menos importante, depois da prova! Em paralelo, recomenda-se evitar o consumo de bebidas alcoólicas por terem um efeito contrário à hidratação e porque não é propriamente agradável fazer uma prova com uma ressaca :p

 

  1. Prepara o equipamento.

Garante que tens todo o equipamento lavadinho e preparado. Não te esqueças:

  • Dorsal e alfinetes ou porta-dorsal;
  • Chip (se não estiver integrado no dorsal);
  • Equipamento, boné e meias (o tempo está algo imprevisível e o boné ajuda a proteger contra o sol e a chuva);
  • Relógio e/ou telemóvel;
  • Géis ou outras fontes de energia (se bem que a Meia Maratona de Lisboa tem bastantes abastecimentos);
  • Protetor solar e vaselina ou outro crème para evitar assaduras (caso costumas usar).

17466405_zgVVl.png

Acima de tudo... diverte-te! (foto por Miguel Batista)

  1. Não exageres.

Relaxa, relaxa as pernas. Na Sport Expo, onde se levantam os dorsais, evita andar muito, evita participar em workshops que possam ser exigentes para o teu corpo e evita provar amostras de comida que não conheces. Usa calçado confortável e descansa muito.

 

  1. Se sentires necessidade, corre.

Mas só um bocadinho! Há quem goste de soltar um pouco as pernas na véspera de prova. Tudo bem, desde que seja calminho e curto e não faças coisas “esquisitas” como experimentar calçado novo por exemplo.

 

  1. Ter as unhas cortadas.

Recomendo cortar as unhas, não na véspera da prova, mas uns dias antes, para dar tempo aos dedos do pé habituarem-se ao “novo corte”. Mantem as unhas dos pés bem curtinhas de forma a evitar as famosas unhas negras (o que aconteceu à Natália na sua primeira meia maratona). Outra dica preciosa é hidratar a pele dos pés com creme hidratante (eu própria uso um creme de mãos de marca branca).

 

  1. Pensamento positivo.

Não stresses. Treinaste o que pudeste e estás bem preparado/a. Descansa. No dia da prova, como esta envolve alguma logística, vai com tempo para evitar stresses e filas. Enjoy!

 

Boa prova a todos! E depois contem-me como foi!

(eu não irei estar presente este ano, pois irei participar nos 30km do Trail de Almeirim).

Uma corrida vista por fora

 


Por Filipe Gil:

 

Não todos na crew do Correr na Cidade pudemos correr a Meia Maratona de Lisboa, uns porque não conseguiram entradas, outros porque não tinham interesse em fazer (os apenas 21K) outros porque tinham compromissos e outros ou porque estavam lesionados ou ainda porque razões familiares falaram mais alto e não puderam ter disponibilidade para fazer esta bonita prova. Foi o meu caso. Pela primeira vez assisti de fora a uma Meia Maratona de uma forma intensa. Sobretudo porque tinha os meu colegas de Crew, entre as quais duas meninas a fazerem a distância pela primeira vez, e das duas, uma é a minha mulher. O nervoso imperava.

 

Assim, pouco após as 10h30, eu e o Nuno Malcata, e o meu filho mais velho, posicionamo-nos numa zona de Pedrouços para apoiarmos e incentivarmos não só os nossos amigos de crew, mas todos os outros - conhecidos e desconhecidos. 

 

 

 

Umas horas antes disso já alguns dos elementos da crew se tinham encontrado para rumar à Ponte 25 de abril. Passadas 1h15m começamos a tentar ver o Tiago Portugal, o nosso corredor mais bem preparado para hoje. Contudo o Tiago anda com problemas de joelhos, desde que fez os Trilhos dos Abutres, e nunca o chegámos a ver. Soubemos mais tarde que pelo km 15 o Tiago não aguentou as dores e desistiu.

 

 

Passados uns minutos começaram a passar os nossos corredores, o Nuno Espadinha (acima na foto), a Bo (1a foto abaixo), o Bruno Andrade (2a foto abaixo), e as estreantes na distância Ana e Natália (3ª foto abaixo), uns metros mais atrás a Joana  (4ª foto abaixo) que estava cheia de dores nos tendões de Aquiles, "fechava" a equipa.

 

 

 

No final enquanto a Joana recuperava, porque se sentiu um pouco indisposta (o que levanta aqui a questão de ter uma Meia Maratona a começar às 10h30m, algo que a organização tem de rever urgentemente para começar a prova mais cedo) encontramo-nos nos jardins de Belém.

 

O Nuno Espadinha e o Bruno Andrade aproveitaram para repor a sede e beberam várias garrafas de Vitalis. Aproveitando assim para agradecer os dorsais que esta conhecida marca de água lhes ofereceu.

 

 

 

No final estivemos ainda um pouco à conversa e a trocar experiências, e a felicitar as duas meninas (Natália e Ana) que se estrearam na distância da Meia Maratona.

 

Para mim (e também sei que para o Nuno Malcata) que estive de fora no apoio aos corredores, confesso que foi uma experiência incrível. Mesmo. Eu estava preocupado, emocionado, excitado, triste por não estar a correr, contente por estar a apoiar a minha crew e todos os corredores que conhecia (e os que desconhecia). Senti que o meu apoio foi importante para alguns. Adorei bater palmas ao Luís Ferreira dos Scalabis; ao incansável João Campos; ao Luís Moura e ao Bruno Dias que correram com as cores do Correr Lisboa, e outros. Mas nomeadamente uns cinco corredores que passaram por mim a andar e que os incentivei a voltar a correr. E assim o fizeram. 

 

Fiquei muito, muito orgulhoso da minha mulher. Em menos de um ano passou de sedentaria a meia maratonista. E isto tudo com dois filhos e uma profissão muito exigente. É obra! Espero que o seu exemplo sirva para outras mulheres fazerem o mesmo. 

 

 

E enquanto isso na Serra de Montejunto...o Pedro e o Stefan faziam 27K para "aquecer" e preparar as suas provas de ultra trail running.
Esta crew não pára quieta!

 

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D