Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Como escolher o calçado de corrida

pile-of-running-shoes-01.jpg

 

 

Ouvimos muitas vezes que a corrida é o desporto mais democrático e barato que podemos fazer. Mas porquê? Está ao alcance de praticamente todos. Basta adaptar o ritmo e intensidade, e para começar só precisamos de vontade férrea, os primeiros treinos custam muito, 1 t’shirt, uns calções e umas sapatilhas. Mas cuidado com estas últimas pois não devem ser umas sapatilhas quaisquer.

 

A escolha da sapatilha deve ser um processo individual, pois temos características distintas e não existe nenhuma fórmula ou calçado mágico. Temos que adaptar as nossas escolhas à nossa individualidade. A sapatilha xpto do nosso amigo poderá não ser a mais correta para nós. Temos também que ter em consideração o uso que pretendemos dar ao calçado: estrada ou trilhos, treinos longos ou curtos, rápidos ou lentos.

 

Os vossos sapatos são o vosso principal parceiro de treinos e acompanham-vos em todas as vossas aventuras ajudando ou prejudicando o vosso sucesso. Muitas vezes as sapatilhas são consideradas culpadas de uma má prestação, muitos corredores culpam mais depressa as suas sapatilhas do que a falta de treino para um mau resultado.

 

Com o mercado de running em crescimento, as opções para o consumidor aumentam e com isso também alguma confusão na hora de escolher o calçado mais apropriado.

BV_PUMA_CNC_65.JPG

 

 

4 fatores importantes na hora de escolher o correto calçado

 

1 - Uso pretendido

 

O que pretendemos fazer com as nossas sapatilhas? Os modelos são desenhados e construídos para diversos tipos de corredores e com diferentes propósitos. Queremos um modelo para estrada ou trilhos? Utilização intensa ou moderada? É importante definir bem o uso que iremos dar às sapatilhas.

 

2 - Biomecânica

 

Este é talvez um dos fatores mais importantes e igualmente um dos mais controversos. Avaliar o nosso tipo de passada e comprar de acordo com essas características. Essa avaliação deverá ser efetuada por alguém externo através da observação ou do uso de equipamento próprio para avaliar essa componente, o famoso teste da passada.  Podemos em alternativa filmar-nos com o telemóvel enquanto corremos para analisar a passada, ainda poupamos uns trocos. A nossa biomecânica influenciará na hora de selecionar um modelo com mais ou menos estabilidade.

 
3 - Características do Pé

 

É importante conhecer as características dos nossos pés: tipo de arco plantar, largura do pé, formas peculiares, existência de calos ou afins, lesões antigas e necessidade de uso de palmilhas próprias são fatores importantes. Um corredor com um arco plantar alto necessitará de um maior nível de suporte do que outro com um pé plano. De igual forma, alguém com um pé largo sentir-se-á mais comodo numa sapatilha mais larga. Se existirem deformidades no pé temos também que as ter em consideração na altura de escolher o modelo mais acertado. Para nos ajudar nesta escolha devemos ter em consideração os modelos que já usámos e a experiência que temos com determinadas sapatilhas. Se, a título de exemplo, um determinado modelo vos causa desconforto ou lesões a nível do pé, deverão eliminar esse modelo de futuras opções de escolha. Por outro lado, se tem a versão 5 ou 6 de determinado modelo e dão-se bem com ele deverão ter esse aspeto em consideração.

 

formato_pes.jpg

4 - Ajuste e Conforto

 

Avalie os vários atributos de cada sapatilha, comprimento, largura, altura da sola, drop, espaço nos dedos do pé e região do calcanhar. Anda um pouco com eles para avaliar o nível de conforto. Ao experimentar sinta o amortecimento, o peso e a transição da passada. Gostou de todos estes pormenores? Então deverá ser um modelo indicado.

 

Já se sentem mais preparados para comprar as vossas sapatilhas de corrida?

 

Uma das causas mais comuns do surgimento de dor ou lesões entre corredores é o uso de calçado desadequado. Ao ter cuidado na escolha da sapatilha estamos a diminuir o risco do aparecimento de dor ou lesões, e nesse sentido este é um processo essencial ao qual deveremos dar extrema relevância.  

   

Tenham em atenção os 4 fatores já mencionados e sigam estas dicas na altura de escolher a sapatilha mais adequada para vocês:

 

  • Experimentem e sintam se o modelo está ajustado ao vosso pé e se se sentem confortáveis. Se a resposta for não, opte por outro modelo;

 

  • Tenham a certeza que os sapatos estão confortáveis desde o primeiro momento e não o magoam em lado nenhum;

 

  • Dêm espaço suficiente para que os dedos do pé se mexam à vontade. Não comprem sapatilhas apertadas, o normal é elas não alargarem com o uso e, para além disso, o pé tende a inchar durante a prática de corrida;

 

  • Não comprem as sapatilhas com pressa, é preciso tempo para experimentar vários modelos. Calcem as sapatilhas na loja e veja como se sentem;

 

  • Procurem ajuda de alguém especializado e com experiência, se levarem um amigo corredor ainda melhor;

 

  • Antes de sair de casa vejam os seus sapatos velhos para analisar quais as zonas mais gastas;

 

  • Se usarem palmilhas ou algum tipo específico de meias, levem-as convosco para experimentar com as sapatilhas;

 

  • Experimentem várias marcas e modelos. Existem cada vez mais opções no nosso mercado;

 

  • Os pés aumentam com a idade, por isso meçam o vosso pé antes de comprar um novo par de sapatos. Devem medir os 2 pés, visto que os tamanhos podem ser ligeiramente distintos. Comprem sempre modelos de acordo com o tamanho do vosso maior pé;

 

  • Experimentem e comprem os sapatos de desporto de tarde, por norma os pés estão um pouco inchados, o mesmo acontece quando corre;

 

  • O tamanho difere entre fabricantes e marcas, por isso o tamanho pode não ser o mesmo em todas as marcas, tenha isso em atenção;

 

  • O calcanhar deve estar bem ajustado e não deve andar solto;

 

  • Estejam preparados para investir, as sapatilhas de corrida não são eternas e devem ser substituídas. Por vezes o barato sai caro. A durabilidade dos modelos varia entre os 500 e os 800km.

 

A escolha acertada da sapatilha é o primeiro passo para o sucesso da sua aventura nas corridas, por isso escolham bem o vosso principal parceiro de treinos e...Run Happy. 

 

7 Perguntas à...Pearl Izumi

Continuamos a querer ouvir as várias marcas que estão presentes no setor da corrida em Portugal. A Pearl Izumi aceitou o desafio de responder às nossas 7 questões.

 

Esta marca nascida no Japão há 50 anos e com forte tradição na área do ciclismo deu os primeiros passos no mercado do running no nosso país em 2015, sendo que 2016 deverá ser o ano da verdadeira aposta neste segmento, com o lançamento de alguns novos modelos e uma maior aposta na divulgaçãoFique com a entrevista a Vasco Portugal, Gestor de Produto da Pearl Izumi, e também ele corredor, que deixa algumas novidades no ar. 

12670152_10154581851323957_1510760022601549226_n.j

Por Tiago Portugal e Filipe Gil

 

1.Como analisam o setor da corrida em Portugal?

No nosso País é  um sector sem dúvida em crescimento e é bastante estimulante para nós observar o número de praticantes de corrida, assíduos ou não, e também  o facto de muitas associações e clubes  desportivos apostarem na organização de eventos de corrida sejam eles de cariz competitivo ou social.

 

2.A corrida é uma moda? Vai desvanecer ou veio para ficar?

Não acredito que seja uma moda! Desde os primórdios da vida humana que a corrida está presente no nosso dia-a-dia e neste momento a corrida é a forma mais básica que temos de praticar desporto. Logicamente as razões que nos motivam a correr são diferentes das dos nossos antepassados, mas seja por competição, socialização, lazer, busca por saúde e qualidade de vida ou autossuperação a corrida está para ficar!

18715359_o1fwk.jpeg

3.Qual a vossa sapatilha de corrida com mais sucesso entre os portugueses?

Neste momento estamos a receber um feedback muito positivo entre os praticantes de Trail Running acerca da nossa sapatilha Pearl Izumi EM Trail N2, que já foi testada por elementos da crew do Correr na Cidade, e conta atualmente com um look renovado em termos de cores.

 

4.Que novidades vão ter para os corredores nas próximas coleções?

Este ano dedicamos mais atenção a um segmento de mercado muito interessante, que são os corredores iniciantes na modalidade ou mais pesados e que necessitam de uma sapatilha com suporte extra mas pretendem também tecnologia, conforto e leveza! Conseguimos juntar todos estes ingredientes no modelo Pearl Izumi Em Road N3, sapatilha que saiu em 2016. Tenho a certeza que será um modelo bastante apreciado por todos.

m16115009-4ts.jpg

 

5. Em Portugal vende-se vestuário para corrida ou os portugueses apostam mais nas marcas apenas nas sapatilhas?

Na minha opinião em Portugal vende-se vestuário técnico de corrida embora tenha plena consciência de que as sapatilhas são o ponto em que qualquer corredor presta mais atenção e dedica um pouco mais do seu orçamento. Mas destaco a importância do uso de vestuário técnico e quem pratica desporto diariamente, seja corrida, ciclismo, natação, etc… sabe claramente do que falo!

 

6.Como marca, que outras áreas/deportos estão a apostar para conquistar os corredores?

A Pearl Izumi destaca-se em duas áreas desportivas, o ciclismo e a corrida. É entre os adeptos destas modalidades que centramos a nossa atenção e diariamente lutamos para desenvolver e aperfeiçoar os nossos produtos de modo a irem ao encontro das necessidades e expectativas de todos os adeptos e praticantes destes desportos em todas as suas variantes. A nossa missão é e passo a citar: “Make athletes better.”

 

7. De que forma as marcas podem intervir e contribuir para que os jovens se tornem menos sedentários? 

Penso que todos nós, seja empresas, marcas ou indivíduos  temos a responsabilidade de ajudar a promover a saúde e o bem-estar entre os mais jovens através da prática do desporto. Como tal adotámos o ideal, “Pensar globalmente, agir localmente” e damos apoio a várias ações e eventos desportivos que se realizam tanto na nossa área em Águeda assim como no restante território Nacional.

RoadN3_enough_FacebookPost.png

7 perguntas à...New Balance

imagesCAO2Y3SV.jpg

 Por Tiago Portugal e Filipe Gil

 

Depois da visão da Brooks sobre o setor da corrida em Portugal publicamos uma entrevista da New Balance para que fiquem a conhecer um pouco melhor esta marca norte-americana e de forma atua no mercado.

  

Entrevista a Fran España, Performance Merchandise Manager :

 

Como analisam o setor da corrida em Portugal?
A corrida é um setor em grande crescimento em parte devido à conscientização da necessidade de praticar desporto e levar uma vida saudável.

 

A corrida é uma moda? Vai desvanecer ou veio para ficar?
Não penso que a corrida seja uma moda passageira, mas agora as pessoas ficaram talvez um pouco mais viciadas/apaixonadas por este desporto e nesse sentido a corrida é algo que irá perdurar ao longo do tempo. Também é um desporto divertido e fácil que todos podem adaptar sem problemas ao seu nível e ritmo de vida.

 

Qual a vossa sapatilha de corrida com mais sucesso entre os portugueses?
Em Portugal os nossos modelos mais vendidos são os já míticos 1080 e 880, uns modelos que não param de renovar-se, a gama Fresh Foam pela sua comodidade e desenho inovador assim como a recente gama Vazee.

wrushpr_nb_14_i.jpg

Que novidades vão ter para os corredores nas próximas coleções?
Para a próxima coleção iremos continuar a renovar os modelos já estabelecidos e fortalecer e desenvolver toda a gama Vazee e Fresh Foam.

 

Em Portugal vende-se vestuário para corrida ou os portugueses apostam mais nas marcas apenas nas sapatilhas? 
Para a New Balance o têxtil também é importante. O nosso vestuário destaca-se pelo seu rendimento e boa relação qualidade-preço.

 

Como marca, que outras áreas/desportos estão a apostar para conquistar os corredores?
Dentro do setor especifico da corrida e de forma diferenciadora estão sobretudo todo o nosso calçado de trail, que esta a ter muito sucesso e uma evolução constante, a acompanhar o crescimento desta modalidade específica, de forma a ir ao encontro do corredor que procura algo diferente. Mas também estamos empenhados noutros campos específicos tais como desportos de equipa, futebol, ténis ou fitness, para cobrir as necessidades de quem não prática só corrida.

 

De que forma as marcas podem intervir e contribuir para que os jovens se tornem menos sedentários? 
Sem dúvida que a melhor forma de intervir é promovendo estilos de vida ativos. A partir do produto e do marketing de forma a fazer publicidade ao “saudável” e “atrativo” por forma a promover e estimular atividades e eventos desportivos. Inclusivamente a partir da New Balance efetuamos treinos e exercícios de teste aos nossos produtos donde além de dar a conhecer as nossas gamas são promovidos estilos de vidas saudáveis. Acho que atualmente temos a sorte, mas não nos devemos relaxar, da sociedade encarar o desposto como algo implícito a um estilo de vida saudável.

mcoasbf_nb_14_i.jpg

 

Boas corridas!

 

Sapatilhas de corrida, novas marcas disponíveis

Brands 1.jpg

 Por: Tiago Portugal

 

Pouco mais de 1 mês depois de ter escrito sobre a diversidade de marcas presentes no mercado português, vejo com satisfação que neste curto espaço de tempo alguma coisa mudou.  Os corredores nacionais têm, finalmente, uma maior liberdade de escolha relativamente às sapatilhas de corrida, e o mesmo se poderá dizer no que respeita ao têxtil especializado.

 

Os meses de maio e junho foram prolíferos em termos de novas marcas a entrarem no mercado ou pelo menos com uma mudança estratégica de maior aposta em solo nacional.

 

Mas o que terá mudado para de repente o mercado português se ter tornado mais apelativo para algumas dessas marcas? 

 

Correr está na moda? Claramente que sim.

 

Vê-se cada vez mais portugueses a correr? Também é verdade e ainda existe muito espaço para crescer.

 

Portugal tem condições idílicas para a prática da corrida? Claro, sendo que o trail em particular pode tornar o nosso país num destino para corredores de todo o mundo. A recente notícia da criação do 1.º centro de trail em Penacova, by Carlos Sá, é mais um sinal de que o turismo desportivo pode e deve ser uma aposta em Portugal.

 

Mas não nos iludamos, acima de tudo é uma oportunidade de negócio que as marcas estão a ver e não querem deixar passar. Fazendo umas contas de “sapateiro”, segundo um recente estudo do IPAM, 2014, existem 1,45 milhões de praticantes de corrida em Portugal. Vou ser mais cauteloso e reduzir esse número para 1 milhão. De acordo com esse mesmo estudo, que está disponível na internet para consulta, cada 1 desses corredores gasta cerca de 118 euros em calçado desportivo por ano.

 

Já fizeram as contas? São 118 milhões de euros gastos em sapatilhas. Se desse bolo conseguir uma fatia de 5% a 10% de cota de mercado são entre 6 a 12 milhões de euros. Temos que retirar a estes valores os custos operacionais da operação e a margem dos revendedores, mas acredito que ainda se ganhe algum dinheiro com isto da “corrida”.

 

Não é portanto de admirar que recentemente algumas marcas tenham decidido apostar no nosso país, com isso ganhamos nós todos que gostamos de correr.

 

11.png

 Ainda temos muito caminho para percorrer, nomeadamente em termos de lojas ou espaços dedicados ou especializados em corrida. Ver, tocar, sentir e experimentar são essenciais na escolha de novas sapatilhas. É importante experimentar. A biomecânica de corrida é muito pessoal, assim como a nossa forma do pé e aquilo que pretendemos/objetivos que temos com a corrida. Tudo isto em conjunto dita as nossas necessidades e influencia na hora de escolher a melhor opção para nós.

 

Um modelo que seja o mais correto para mim não é necessariamente o mais indicado para todos.

 

Escolher em função do “este é o mais bonito” ou "ouvi dizer que estes eram bons" é um erro e pode ter consequências a médio/longo prazo, tais como o surgimento de lesões.

 

Para ajudar na tomada de decisão é importante ir com alguma informação, leitura de reviews, características técnicas dos modelos, saber o que queremos e os nossos objetivos e puder contar com apoio ou ajuda especializada na hora de escolher.

 

Existem em Portugal, pelo que sei, 2 lojas especializadas em corrida, uma em Lisboa e outra no Porto. Nestes espaços encontramos pessoas habilitadas para nos ajudar na escolha acertada.

Além destas existam ainda algumas lojas de desporto, próprias de marcas tais como Adidas, ASICS,Nike, New Balance, Salming, Merrell e Skechers, onde podemos ser orientados para uma escolha mais acertada, dentro dos vários modelos de cada uma das marcas. 

 

No entanto, a grande maioria, na qual me encontro, utiliza maioritariamente os grandes espaços dedicados ao desporto, estou a referir-me a 3 grandes lojas, para comprar o material de que precisa. E aqui, e isto é uma opinião puramente pessoal, já ouvi algumas barbaridades a serem ditas aos clientes, propondo modelos sem nenhum tipo de critério técnico ou atenção para com o consumidor final.

 

Acredito que exista falta de informação e formação a quem trabalhe nestas lojas.

 

Encontrar o equilíbrio correto entre amortecimento, suporte, ajuste e comodidade consegue-se através da experimentação, sensações e aconselhamento especializado.

 

Resumindo, o mercado nacional está cada vez mais diversificado e o consumidor tem cada vez mais liberdade na hora de escolher a sua próxima sapatilha. Temos agora que começar a apostar em dar mais informação e ajuda especializada quando chegar essa altura. 

 

Boas corridas a todos.

 

Marcas de Corrida: Uniformização ou Diversificação?

post marcas 3.jpg

Por Tiago Portugal

 

Altra, Brooks, Dynafit, INOV-8, ON Running, Pearl Izumi, Scott, Tecnica e Topo. Alguns destes nomes vos são familiares?


São só algumas das muitas marcas de sapatilhas de corrida que não estão disponíveis ou muito dificilmente se encontram em Portugal.  

 

Desde adolescente que adoro ténis, sapatilhas, sneakers, ou como lhes prefiram chamar. Lembro-me de ter 16 anos e ter uns Converse, não eram os All Star, desses também tive uns todos pretos, mas outro modelo que me compraram na base das Lajes e ostentava com o orgulho típico de um adolescente que calça algo que mais ninguém tem. 

 

Adorava aqueles ténis, iam comigo para todo o lado e foram meus fiéis companheiros durante largos anos. Apesar de esfarrapados e dos buracos achava que estavam mais do que próprios para ainda serem usados por um adolescente, mas era o único lá em casa a pensar dessa forma. Ainda não sei o que lhes aconteceu mas certo dia desapareceram. Recordo-me destes ténis com frequência, e apesar da internet nunca mais encontrei este modelo. Com os pés carentes de novos companheiros apaixonei-me de seguida por uns Puma Suede, amarelos com o símbolo em verde, comprei logo dois pares, era tudo a dobrar não fosse o diabo tecê-las e algo acontecer de novo.

 

Quando comecei a correr em 2011 não percebia nada de sapatilhas de corrida, inconscientemente ao pensar em corrida só me vinham três marcas à cabeça, Adidas, Asics e Nike, na altura não tinha sequer nunca ouvido falar da Salomon. Naturalmente o meu 1º par de ténis de corrida foi escolhido dentro das marcas já referidas, uns Asics Gel Enduro. Não o sabia na altura mas era um modelo de trail. Aos poucos com o despertar da paixão pela corrida comecei a reparar nos pés dos corredores e conclui que a maioria alinhava pela mesma bitola.

 

post marcas 1.jpg

O vício das sapatilhas e de calçar modelos originais e diferentes não desapareceu mas até recentemente era difícil arranjar outras marcas que não as já referidas. Infelizmente não existe em Portugal o conceito de LCL, loja de corrida local, se o conceito não existe em português tomo-o como meu. Se queremos ver e experimentar ténis temos que ir a grandes superfícies, Sportzone, Decatlhon, El Corte Inglês, à TAF (Pro Runner) ou a lojas específicas de algumas marcas, falo da realidade de Lisboa e arredores. 

 

Qual foi então a minha solução? Procurar na Internet e comprar por essa via. Não terei sido o único que recorreu a este método para ter uma maior diversidade na sua escolha de calçado de corrida, estrada ou trail, além de conseguir preços competitivos. 

Encontrei uns Montrail Badrock, que uso e abuso, comprados na Amazon UK por menos de 50 euros, modelo antigo mas fantástico, pena que estejam descontinuados e já não haja o meu número.

 

Voltando um pouco atrás e tentando ser crítico, eu sei e compreendo que Portugal e o mercado português seja pequeno e pouco interessante para algumas marcas, mas pelo menos em Lisboa ou no Porto, uma ou duas LCL podiam existir e com oferta diversificada. Hoje a oferta de modelos e de marcas é incomparavelmente melhor do que há dois ou três anos. É também verdade que estão lojas de desporto a abrirem, ainda recentemente o exemplo das novas lojas da Adidas e da New Balance na baixa de Lisboa, mas eu estou a referir-me a uma loja multimarcas, com uma oferta diversificada. Será que tinha sucesso no contexto atual?  

 

Nos últimos dois anos, algumas marcas têm vindo a apostar no mercado português, ainda que de forma tímida já é um começo. Algumas das marcas que já cá se encontram com facilidade, La Sportiva, New Balance, Newton, Puma, Reebok, Merrell, Skechers.

 

De quando em vez lá surge um oásis no meio do deserto e conseguimos vislumbrar e experimentar uns modelos da Hoka One One, Salming, The North Face, que só encontro nas bancas das provas de trail, INOV-8 ou outras.

 

post marcas 2.jpg

Mas porquê esta conversa agora? Porque vi um anúncio da New Balance no Saldanha e pensei que efetivamente a corrida está a crescer e veio para ficar, mas gostava de não estar tão limitado e ter mais liberdade de escolha. Poder ver, experimentar, calçar e comprar modelos de algumas marcas sem ter que o fazer às cegas na internet.

 

E vocês acham uma loja de corrida local é viável em Lisboa ou em Portugal? E que marcas gostavam de experimentar?

 

Boas corridas!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D