Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Um wearable muito interessante para lesionados

Por: Filipe Gil

 

Sempre tive algum desdém sobre os chamados wearables. Mesmo quando a Apple lançou o seu Watch não dei muita atenção à coisa - mesmo sendo eu um Apple freak assumido.

 

E quando a Garmin lançou o VivoFit 2 e me convidou a experimentar, recusei por falta de interesse neste tipo de aparelhos. Contudo, a procura de manutenção da forma física que todos os dias vai sendo pior graças à minha impossibilidade de correr, fez-me pesquisar melhor sobre este tipo de aparelho e fez-me pedir o mesmo para testar.

 

Mal o recebi, comecei a usar. E até hoje, que já passaram mais de cinco dias, a pulseira Vivofit não me sai do braço, nem sequer para dormir. 

Filipe 2.jpg

 

Mas nem sempre foi assim, isto porque uma das funções deste wearable é monotorizar o nosso sono. Tirando-a e colocando ao lado da cama diz-nos que dormimos que nem uns anjos num sono profundo. Mas sabemos que ninguém dorme assim. E na primeira noite que dormi com a pulseira colocada percebi, finalmente, o sono agitado que tenho.

 

Mas esta Vivofit 2 não serve só para isso, serve para medir as calorias que gastamos (as normais e diárias e as extra, fruto de alguma actividade física ou desporto). Mede-nos os passos e distância que andamos e coloca-nos desafios diários para nos mexermos mais e estarmos mais saudáveis.

 

Ainda a estou a testar, claro, e, posteriormente farei um post final, mas até ao momento parece-me ser um aparelho muito interessante para quem, ou está lesionado e pretende manter-se em forma, ou para pessoas que querem perder peso ou ainda para sedentários em vias de deixar de o ser.

 

Ver toda a nossa info numa app do smartphone, que nos diz, depois dos respetivos updates de dados (via bluetooth) entre aparelhos, toda a info relativa a calorias e passos e distancia caminhada, é importante para quem quer manter a forma. 

filipe2.jpg

Confesso que em minha opinião, para quem correr frequentemente terá menos utilidade, talvez, mas se estiverem a treinar para uma prova e quiserem controlar o peso para esse desafio poderá fazer algum sentido. 

 

Contudo, penso que é um aparelho ideal para quem quer perder peso monitorizando essa evolução. Excelente portanto para planos de ginásio, nutricionistas que queiram acompanhar os seus doentes,etc. Apenas lhe acrescentaria a medição cardíaca, que muita falta faz.

 

Confesso que nesta fase em que não estou a correr, saber que ainda me faltava 1,5km para atingir o meu objetivo diário, fez-me calçar as sapatilhas e sair de casa para fazer um "footing" pelo meu bairro. Apenas para manter a forma e não falhar o desafio da pulseira. 

filipe1.pngfilipe3.png

Em breve, lá para setembro, farei a review completa deste Vivofit 2 da Garmin, que tem mais a dizer do aquilo que escrevi neste post.

 

Vivam saudáveis!

 

 

 

 

 

Dicas: “Os cinco gadgets essenciais para correr”

Por Filipe Gil:

 

Deixo-vos aqui cinco gadgets que podem ser "essenciais" para correr.

 

1. Telefone ou smartphone

São dois conceitos diferentes. O telefone, que até pode ser aquele Nokia de ecrã a preto e branco perdido numa gaveta lá de casa, serve para estarmos sempre contactáveis e para emergências – sobretudo em corridas de trail/montanha é essencial levar algo assim, pequeno, robusto e fiável. Os smartphones já são um conceito diferente, uma vez que, para além de serem telefones, são também leitores de música e dispõem das apps que ajudam a monitorizar as corridas. São um canivete suíço para os corredores, sobretudo os iniciados.

 

2. Headphones

É outro must dos corredores. Contudo, nem todos são os mais indicados. Por exemplo, os brancos da Apple escorregam muito com o suor. Por isso, aconselho a usarem aqueles que têm um arco para prender à orelha. Há uns muito interessantes a menos de €15 na Fnac, de uma marca conhecida.

 

3. Leitores MP3

Se levar um smartphone, o leitor MP3 é um gadget inútil, a não ser que vá fazer corridas mais longas e não queira gastar muita bateria do seu telefone esperto´. Contudo, para quem não leva telefone/smartphone, os leitores de MP3, pequenos e leves são ideias para ouvir música durante a corrida – desde que façam dupla com uns headphones que não atrapalhem, como escrevi anteriormente.

 

4. Relógio GPS

É capaz de ser o único gadget que os corredores mais experientes não prescindem. Mas há pelo menos dois níveis de relógios GPS, os mais simples e que rodam preços até aos €250, e que medem o ritmo, a distância, o tempo de corrida, e pouco mais (e aqui tem modelos da Garmin, TomTom,PolarTimex) e outros um pouco mais profissionais para maiores exigências – desde altimetria a mapas de GPS até serem multideportos (A Suunto e também a Garmin tem modelos semi-profissionais e profissionais usados pelos atletas de elite). Aqui, os preços são superiores a €400. O ideal é perceber até onde quer levar a sua corrida. Uma dica: para quem se está a apaixonar por trail running o investimento em relógios mais completos é essencial.

 

5. Nada

Há quem exagere e use, ao mesmo tempo, tudo aquilo que descrevi acima. É claramente um exagero. Até porque há medida que começar a correr mais e melhor vai sentir um desejo enorme de deixar de usar tudo isto. Usar nenhum gadget é capaz de ser a melhor forma de correr. O melhor gadget é o nosso corpo – físico e mentalmente. Desde que corra em locais seguros, aconselhamos a fazê-lo, ou pelo menos a experimentar. Vai ver que vai mudar o seu conceito de corrida. Boas corridas.”

 

Este texto foi criado para o site O MEU BEM ESTAR.

Obrigado


Por Filipe Gil:


Tem sido muito gratificante as marcas de running estarem cada vez mais a confiarem no nosso trabalho. Os leitores vão verificar nos próximos dias e semanas que todos os elementos do Correr na Cidade running crew estão a experimentar e a testar modelos novos de diversas marcas, quase que não temos pés a medir.... o que é muito bom. Quem nos lê sabe que fazemos sempre um unboxing  do produto e uma 1ª impressão e depois entre os 50 a 100Km de uso publicamos as nossas opiniões independentes. 

 

O running está a crescer, estamos num patamar superior aquando do lançamento deste blog (novembro de 2012) e é muito positivo que apesar de uma ou outra marca estar adormecida em Portugal, verificar que a maioria confia em nós e percebem bem o nosso papel de blog independente e diferenciador. Às marcas o nosso muito obrigado. Em parceria vamos continuar a fazer crescer o running em Portugal.

 

E claro que, tudo isto, sem os leitores que nos seguem diáriamente não servia de nada, por isso também a vocês que estão aí desse lado do ecrã, o nosso muito obrigado.

Running-à-Porter

Por Joana Malcata,

 

Para elas:

Já viram como a moda e o mundo do desporto andam de mãos dadas? E nos últimos tempos em que a moda se tornou correr? Nós não ficámos alheios a esta tendência e fomos bisbilhotar.

 

Nada como motivar (e deslumbrar!) com este top da Decathlon (1). E o corsário(2) lindo de morrer, também da Decathlon, para quem tem umbigo para mostrar (e mesmo para quem não tem!). E uns óculos da Salming (3) para proteger dos raios solares.

 

Armband da Oysho (4) e phones, para levar a música para todo o lado no seu telemóvel. E porque não utilizar uma das muitas aplicações, como o Endomondo, Nike + Running, entre outras, onde se concilia com o ritmo e distâncias?

 

Os novos Reebok One Cushing (5), para passada neutra e bom amortecimento, farão parar o trânsito só para os verem passar. E claro, malas! Uma proposta para a Primavera 2014 da Oysho (6). E muito importante: proteger sempre bem o peito! A minha marca de eleição é a Shock Absorver(7). As grandes marcas de roupa desportiva têm bons tops, e até mesmo soutiens para quem tem peito pequeno.

 



Para eles:

Meninos, também não precisam de andar sempre com o calção preto e a camisola branca. Esmerem-se!!!


Afinal, nunca se sabe se durante o treino, não encontram aquela miúda que vos vai fazer suar de tanto correrem atrás!Deixem a camisola de algodão em casa e experimentem as t-shirts técnicas, melhor preparadas para o desporto, como as da Reebok, e muito mais fashion(1).

 

A Garmin lançou no final de 2013 um novo modelo Forerunner 620 (2). Tem tudo o que precisam para controlar ritmos, distâncias (GPS), calorias, batimentos cardíacos, e treinos. Para facilitar a circulação sanguínea, reduzir a acumulação de toxinas e aumentar a oxigenação dos músculos, para um melhor desempenho durante o esforço prolongado, a Compressport tem uma gama completa de vestuário de compressão, nomeadamente as perneiras R2 (Race & Recovery) (3) que conduzem com estes calções da Decathlon (4)


Para o pezinho com pronação (e há que o proteger bem), que tal os novíssimos GEL-Kayano 20 da Asics (5).

 “Keep it simple, stay in fashion!”

 

Forerunner 620 em testes



Por Filipe Gil:


Desde há umas semanas a esta parte que temos testado o novo Garmin Forerunner 620. O único defeito que aponto até ao momento é mesmo o preço final, cerca de 399€ (sem HRM). Isso e a duração da bateria que me parece pouca para quem quiser fazer provas de ultra running.  

 

De resto parece-nos um relógio GPS de enorme qualidade e que todos os corredores mais exigentes devem ter no pulso. Uma das ferramentas mais interessantes é o Virtual Partner, que é umas das opções que me dá mais gozo usar. Continuaremos a testar o relógio nas próximas semanas. A questão de mediçãonda cadência da passada e a ligação via Wi Fi ainda não está bem assimilada.

 

Uma nota final: há uma grande evolução na captação de GPS que passou a ser, na maioria das vezes, feita em poucos segundos.

 

 

Mais vale poucos kms que nenhuns

algésFoi com poucos minutos disponíveis que saí ontem para correr. Aos habituais 10/11k que costumo fazer pela zona do Restelo, Belém e Alcântara, fiquei-me por 40 minutos de corrida. Mas não me arrependo nada.Podia ter ficado no sofá, aliás pensei nisso mais do que uma vez. Ainda a caminho de casa, depois do trabalho, tinha mesmo decidido agarrar-me novamente ao computador e despachar o trabalho que tinha para fazer.sauconyMas talvez por isso mesmo decidi que precisava de ar fresco para pensar, de suar para poder ser mais criativo no trabalho que me acompanhou noite dentro. É decididamente um dos meus truques para pensar e ganhar criatividade: correr!Assim, fiz-me à estrada com muita vontade de aproveitar o máximo possível os 40 minutos disponíveis, para depois chegar a casa e ajudar a mulher nos afazeres com as crianças.garminDeu para fazer cerca de 6,5K, com um quilómetro mais interessante com média de 5:04 - parece que, aos poucos a forma começa a regressar. Ou seja, valeu mesmo a pena fazer alguns kms, mesmo poucos, do que nenhuns e ficar em casa sentado no sofá. E, senhores e senhoras, como adoro correr com frio...E vocês pensam e planeiam o vosso trabalho enquanto correm?

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D