Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Review: New Balance Fresh Foam 1080 v8

 

IMG_5283.JPG

New Balance volta ao mercado com as novas Fresh Foam 1080v8 um modelo que já vai na oitava geração e que pretende oferecer conforto e amortecimento durante muitos quilômetros. 

 

Mas será que cumpre o prometido? 

Leia a review destas sapatinhas que rodaram cerca de 120 Km em situação de treino e em prova (a minha 1ª maratona).

 

Nunca tinha experimentado outro modelo da New Balance, logo não tinha expectativas em relação a estas sapatilhas. O que posso dizer é que eles me serviram muito bem, não as senti desde os primeiros treinos e que passado uma semana, com diferentes situações de treino, senti que poderiam mesmo ser as eleitas para fazer a Maratona de Sevilha e correr a distância perfeita pela 1ª vez.  

 

Foi uma prova inesquecível, com um ambiente espetacular e boa organização, onde as sapatilhas com pouca rodagem  mostraram-se estar à altura e proporcionaram uma corrida com muito conforto.

IMG_5367 (1).JPG

Os New Balance 1080 são uma sapatilha neutra, com muito amortecimento e 8 mm de drop, informação útil para quem se interessa por estas características mais técnicas. 

 

O Fresh Foam, como o próprio nome indica, é uma espuma de amortecimento que não necessita de elementos extra como o gel dos Asics, as câmaras-de-ar dos Nike ou as “wave” dos Mizuno.

 

A sola intermédia é uma espuma macia, leve e confortável, que apresenta formas geométricas (hexágonos) côncavos no exterior e convexos no interior, que permitem maior amortecimento e estabilidade.

IMG_5282.JPG

A sola apresenta 3 cores diferentes, a preta predomina nos bordos externos e calcanhar (mais resistente para aumentar a durabilidade) e centralmente tem 2 tons de azul neste modelo, que são mais suaves e que melhoram a tração. 

 

Relativamente ao relevo da sola, tem duas linhas na área do metatarso que aumenta a flexibilidade do sapato e outra linha na parte externa do calcanhar, para absorver os impactos no solo.

 

O topo dos sapatos é muito largo, de forma quadrada, o mesh frontal é suave e respirável. Os laços são planos e de comprimento normal e sob eles, uma língua muito esponjosa que ajudam estes 1080 V8 a ficar muito confortáveis. A nível do calcanhar, tem muito apoio e bem almofadado.

IMG_5281.JPG

 Como elementos refletivos, de cada lado tem um N, na frente o logo da New Balance e no calcanhar sem qualquer elemento, o que permite suficiente visibilidade para as corridas noturnas. 

 

Aspetos positivos:

  • Conforto e suavidade
  • Upper com boa respirabilidade
  • Boa tração

Aspetos a melhorar:

  • Peso (315g)
  • Flexibilidade
  • Não muito responsivos

Dizem que da primeira vez nunca se esqueça e por isso estes New Balance Fresh Foam 1080v8 terão sempre um lugar especial por me terem acompanhado na maratona de Sevilha.  

New Balance Fresh Foam Zante

bpjkjgfacebeloib.jpg

A New Balance é uma marca conhecida pela estética dos seus modelos e utilização de cores fortes. Além da continuação da aposta no seu recente modelo Fresh Foam Zante, que já vai na versão 3, a marca apresenta uma nova coleção de têxtil D2D Run. A coleção D2D resulta de uma pesquisa avançada feita através da Data to Design. Os tecidos permitem maior amplitude de movimento e estão preparados para o processo arrefecimento natural do corpo.  

 

Review: New Balance Fresh Foam Vongo

nb-vongo-1000x636.jpgModelo: New Balance Fresh Foam Vongo

Testado por: João Gonçalves

Características pessoais: Neutro com arco plantar proeminente e 76Kg de peso

Condições de teste: Percursos citadinos em Lisboa com pisos de alcatrão e calçada portuguesa.

 

Sempre gostei da New Balance, não só pela estética, mas também pelo conforto, mas o mesmo não seria de esperar de uma marca que começou por fabricar palmilhas de conforto - aposto que não sabias!! - e trouxeram esse ADN com a marca ao longo dos anos e nós agradecemos.

 

 

Vongo! A preview de uns Fresh Foam da New Balance

 

vongo0.jpg

Mais uns Fresh Foam da New Balance, sou um sortudo!. E escrevo isto sinceramente. É um privilégio que dá trabalho, por vezes pela noite dentro para não roubar horas ao trabalho e à família. Mas como acredito que a sorte protege os audazes, continuo a achar que sou um sortudo, e que até sorte dá trabalho. Isto tudo para dizer que recebi, cortesia da New Balance Portugal, os segundos Fresh Foam, os Vongo, os primeiros de estrada depois dos Hierro para trail que muito brevemente vão conhecer a review final.

 

Ora a diferença é que estes Vongo (nome estranho…) não são apenas uns Fresh Foam de estrada, mas também são os primeiros com uma tecnologia da New Balance que tem estabilidade para corredores que precisam. Daí a sola dividida em dois materiais diferentes. Ou seja, espuma grande e (relativamente) "fofinha" já não é apenas para calçado neutro! 

vongo2.jpg

A dureza inicial dos Fresh Foam sente-se, tal como nos Hierro, são sapatilhas que necessitam “partir”. No inicio foi algo que estranhei com os Hierro, mas agora para os Vongo já estava de aviso. A espuma está lá mas penso que à medida que for utilizando mais as sapatilhas, a sua reactividade será activada.

Em termos de design, acho-os irrepreensíveis. Apenas tenho algumas dúvidas se não serão quentes nos meses de verão – e atenção que esta é uma das grandes apostas da New Balance para a primavera/verão. Contudo, o upper é  ventilado e acho que não será esse um dos pontos negativos.

vongo1.jpg

Até ao momento, e apenas após 10 quilómetros com eles adianto que sim, sente-se a estabilidade e sim, são durinhos mas sente-se que é uma questão de tempo. Uma das coisas que mais gostei, desde já, é o drop que, segundo a marca, é de 4 mm (aproximadamente) – tal como nos Hierro. E pesam cerca de 300 gramas o que é relativamente pouco para quem os vê pela primeira vez e olhe para aquela sola toda.

E, atenção, este modelo já está a ser considerado como o “Best Debut” do verão de 2016 pela edição norte-americana da Runner’s World. Foi por isso que comecei este post com a conversa do "sortudo".


Em breve irei escrever a review final, até lá, corram muito. 

vongo3.jpg

 

Preview: New Balance Fresh Foam Hierro

IMG_0202.JPG

Antes de começarem a ler tenho que ser sincero convosco: Tenho cerca de quatro marcas “fetiche” no segmento da corrida. Cada vez que aparece um novo modelo de sapatilhas desss marcas praticamente que "salivo". A New Balance é uma delas. Sobretudo em tudo o que fazem para trail. 

Em tempos experimentei o modelo 1210 Leadville v2, que gostei muito - continuam a ser um dos meus preferidos. Como entretanto tive uma lesão longa dei-os a outro elemento da crew para as testar com tempo e rigor. Na altura custou-me dá-los, o que é raro acontecer em matéria de sapatilhas. Mas, entretanto, o Tiago Portugal sabendo do meu gosto pelos ditos já me os devolveu. Podem ver a review deste modelo que já têm uns quilómetros em cima mas ainda parecem novos.

IMG_0193.JPG

E como forma a recuperar da lesão tenho optado por correr com sapatilhas com mais amortecimento. Assim que vi que a New Balance tinha lançado os novos Hierro com sola Fresh Foam tive vontade de os testar. A New Balance simpaticamente enviou-me um par e conto-vos o que achei nas primeiras voltas que dei com eles. 

NB_2

Quando os calcei senti logo o conforto, tal como nos Leadville, sobretudo na envolvência do calcanhar e na forma como o upper acenta no peito do pé. Em relação à sola (que podem ver na foto abaixo) a performance é espetacular. O design de peça única bidireccional faz sentido (nunca tinha experimentado) e não nos deixa nem derrapar nem escorregar - mesmo nos terrenos arenosos e empedrados da Arrábida, onde os experimentei pela primeira vez. Atenção, nessa noite não choveu, por isso ainda não os consigo avaliar com piso molhado.

Em relação ao amortecimento, não estava à espera de uma sola como os Ultra Boost ou os Hoka One One ou os Skechers Ultra Road mas confesso que estava à espera de mais. Mais amortecimento, mais reatividade de energia. Um pouco mais de conforto. As promessas do Fresh Foam ainda não se revelaram muito diferentes de uma sola de materiais mais tradicionais. Mas se calhar é necessário alguma paciência e preserverança e bastante mais uso. 

IMG_0197.JPG

Em termos de design termos de design acho os Hierro muito interessantes, o formato é estreito apesar de quando calçados não notarmos e haver bastante espaço para os dedos dos pés. Em termos estéticos e apesar de não serem a cor mais feliz deste modelo - na minha opinião - o contraste entre este vermelho alaranjado com o cinza fica bem.

IMG_0212.JPG

Como já perceberam usei-os pela primeira vez na Arrábida, nos 15km do Trilho dos Javalis noturnos (aviso já é um erro estrear material em dias de prova, desta vez correu bem. Foi sorte!). E quem fez esta prova, ou quem corre por ali, sabe que o piso ora é arenoso ora é cheio de pedras e pedregulhos. Em suma, a Arrábida tem partes muito desconfortáveis para os pés. Mas os Hierro agarraram-se muito bem ao solo da Arrábida, com já indiquei, mostraram o conforto tanto no upper como na envolvência no calcanhar, e dando algum suporte mesmo para um corredor com passada pronadora como eu, mas nada de muito conforto.


Lembro-me do Tiago me perguntar durante a prova se estava a gostar dos Hierro. Eu respondia-lhe que sim mas que não me pareciam tão bons como os Leadville. É essa a sensação que tenho até ao momento. Resta-me agora correr mais uns quanto kms com estes Hierro para perceber se ficam aquém dos fantásticos Leadville ou se ganham personalidade própria e me surpreendem com a sua sola Fresh Foam, um material que a norte-americana New Balance tem andado a colocar em mais modelos, tanto de estrada como de trail. Mas atenção, para além de que tudo isto é um pouco subjetivo, estamos a falar de sapatilhas de alta qualidade e de topo, tanto as Leaville como as Hierro - escrevo isto sem estar a fazer qualquer favor à marca. Resta saber quais as que me parecem mais interessantes para o meu perfil de corredor.

Boas corridas.

IMG_0188.JPG

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D