Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Este ano é que é? Guia mensal para te ajudar a ser mais fit em 2018

“Este ano vou ser mais saudável e fazer mais desporto”

 

Onde é que já ouviste isto? Pois!

 

Talvez porque é uma das resoluções de ano novo mais usais, e todos sabemos onde que é isso vai dar:

Vais-te enfiar na loja de desporto mais perto de ti, vais comprar o material todo e mais algum, que conseguires encontrar, sapatilhas, toalhinhas, t-shirts, etc, vais-te inscrever no ginásio e começas a ir a todas aulas de grupo e voltar a correr junto ao rio e beber sumos Detox e o resultado disto?

Lá para Fevereiro já estás cansado e farto e voltas à mesma vida que tinhas e só te vais lembrar de fazer desporto novamente lá para Maio e não é pela tua saúde, é pela barriguinha e pelos dias de Verão que estão quase ai à porta nessa altura.

Por estas razões e mais algumas, deixamos aqui um atitude, só uma, que deves ter em cada mês do ano, para não te desmotivares e manteres a vida ativa ao longo de 2018.

CNC.png

 

 

O que é treinar com electroestimulação?

E-Fit Lisboa Expo

 

Por Liliana Moreira:

 

Perguntam vocês...

É treinar com choques?! Perguntei-me eu... Posso adiantar que é e não é bem assim, mas já lá vamos...

Foi através do maravilhoso mundo do instagram que conheci a marca E-Fit Portugal em que várias publicações davam conta do nível de exigência e aparato tecnológico associado a cada treino. Sendo uma geek assumida (ou não fosse informática) e uma consumidora de todo o tipo de informação relacionada com o fitness (para me motivar a fugir do sedentarismo da minha profissão e da ideia que só a corrida chega quando já todos percebemos que não é bem assim), a proposta de fazer um treino funcional enquanto estou ligada a uma maquineta que electricamente estimula os músculos pareceu-me, no mínimo, interessante. Desportivamente sempre associei este tipo de metodologia à recuperação muscular, sobretudo em atletas de alto rendimento. A verdade é que também pode ser aplicada ao exercício propriamente dito... e imagine-se, ao mais comum dos mortais!

 

Mas explica lá isso melhor!

A experiência que a E-Fit proporciona baseia-se na aplicação da tecnologia EMS (estimulação eléctrica do músculo) durante a prática activa do exercício físico, aplicando os impulsos de corrente eléctrica sobre os músculos fazendo com que os mesmos se contraiam e relaxam para além do que é solicitado pelo exercício em si, proporcionando uma estimulação integral durante o treino, tendo como pressuposto que assim chega às camadas mais profundas do músculo, que são também as mais difíceis de activar com o treino tradicional. O que imediatamente nos remete para treinos mais curtos, de intensidade superior e naturalmente com resultados mais rápidos e eficazes.

E-FIT 1

Dito assim imaginei isto como a nova moda fitness apenas disponível a celebridades de novelas e reality shows, às tantas até se sua "pocaxinho"... como estava enganada! A verdade é que não sou exemplo para ninguém... corro sim, faço natação e ginásio também... mas os quilos de sedentarismo de mais de uma década estão a ser mais difíceis de sair das minhas coxas do que aquilo que alguma vez imaginei! E a poucos meses do meu maior desafio desportivo (oh meu deus, o que é que vem aí!?) em que cada quilo carregado faz mossa, sinto-me impelida e motivada a procurar soluções mais efectivas. Seria então esta uma solução eficaz para quem corre? Em que medida poderá a melhorar o rendimento da minha corrida?

 

O plano de ataque

Foi com estas dúvidas que me lancei ao desafio das 5 semanas E-Fit...  e as mesmas caíram logo por terra na primeira sessão! Fui extremamente bem recebida nas instalações da E-Fit na Expo, não só pelo gerente Luiz Santana mas também pelo instrutor Cristóvão, curiosamente ambos com formação na área do atletismo. Adiantaram que o plano de treinos que tinham pensado para mim estava logicamente vocacionado para aumentar a eficiência da minha corrida, com reforço e tonificação de todo o grupo muscular do core e posteriores, para além de exercícios técnicos de mobilidade e pliometria (exercícios de explosão). Passei pelo "exame" rigoroso de avaliação para conhecerem melhor "a matéria prima" com o que iam trabalhar... onde fui medida e pesada, revelei quais os meus objectivos, quais as minhas dificuldades, o que já realizei desportivamente e como é a minha tradicional semana de treinos. Fiquei assim com uma base de comparação para quando terminar o programa de 10 sessões e re-avaliar em busca dos resultados.

Tirados todos os indicadores fui apresentada a sala de treino onde estava um senhor de meia idade a treinar e literalmente a suar em bica. Se isto é para "vedetes"... então são "vedetes" com garra, catano! Confesso que fiquei admirada e até feliz por perceber que ia ser à séria e que de passivo ia ter pouco ou nada. Isso da-me a sensação de estar a trabalhar para resultados concretos, reais, desafiantes mas atingíveis e que não surgem apenas por obra divina. O espaço E-Fit da Expo de clínica de estética tem pouco, embora o espaço esteja muito bem conseguido: é funcional, está bem equipado e tem uma imagem bastante moderna! Não é grande, permite apenas 2 pessoas em treino simultâneo... e por isso fiquei com a sensação de que é um factor importante a experiência pessoal do cliente

 

EFIT 2

Vesti o fato de duas peças (pernas e tronco) com os eléctrodos em diferentes zonas do corpo (gémeos, músculos extensores e flexores da perna, glúteos, lombar, abdominal, peito e todo o perímetro do braço) e literalmente ligaram-me à ficha. Foram 25 minutos de treino activo com várias séries de cerca de 20 repetições cada, onde foram incluídos no menu do dia vários agachamentos, lunges, skippings e onde até não faltou a elíptica. A cada exercício proposto era realizada a calibração da intensidade eléctrica em cada eléctrodo individualmente, o objectivo era estimular no limiar do conforto. Não causa dor, nem tão pouco é desconfortável. Em muitos exercícios a sensação da constante contracção muscular serviu-me até de distracção para o esforço que estava a realizar. O facto é que com o acumular dos exercícios o cansaço estava presente e em pouco tempo senti que tinha feito o dobro daquilo que de facto tinha realizado.

No final do treino avisaram-me que era possível que dois dias depois pudesse sentir algumas dores musculares, para não me assustar... não me assustei. Habituada à pancada dos treinos semanais, era delas que estava à espera para confirmar o trabalho aplicado... e elas vieram :) mas não foram demasiado fortes, mas estão cá a relembrar-me que há músculos no meu corpo que não só existem como até funcionam!

 

EFIT 3

 Estou bastante entusiasmada, vou continuar o meu plano treinos e no fim conto-vos tudo, tudo...  até qual o mega desafio em que me vou meter daqui a uns meses! ;)

 

Até lá! Bons treinos.

 

Aceitam o nosso desafio?

thepack.jpg

 

Por Tiago Portugal e Filipe Gil:

 
Gostamos de nos desafiar! Não só a nós mas também aos nossos leitores. Por isso, desta vez, lançamo-nos num desafio e queremos estendê-los a vós. Especialmente aos homens que tem uma vida sedentária. Vejam o que é o THE PACK OF SIX, e juntem-se a nós! 

 

Tiago: 

 

Tirando um período quando era adolescente, entre os 15 e os 19 anos, e agora sempre tive alguns problemas com excesso de peso. Nada de extraordinário, como alguns jovens obesos que vimos hoje em dia, mas sempre fui mais pesado do que a maioria dos meus colegas, o chamado "gordinho" da turma. Em adolescente nunca pratiquei desportos que implicassem um grande esforço físico, tirando os pontuais jogos de futebol e ténis entre amigos. Sempre fui mais adepto de jogos de computador e passar muita horas no vício do PES e Football Manager, antigo CM.    

 

Graças a esta falta de atividade nunca fui propriamente detentor de um físico invejável. Já em adulto e numa fase mais sedentária da minha vida cheguei a pesar mais de 90kg. Tendo em conta a minha altura, 1m72cm e a minha estrutura, mais parecia uma bola.

 

Há cerca de 4 anos decidi tentar emagrecer mais a sério e comecei com as minhas irmãs a seguir o Shaun T e comprometemos-nos a fazer o programa dele durante dois meses, o Insanity Workout, uma loucura. Entre muito esforço, suor, lágrimas, mau-estar e alguns vómitos o meu peso diminuia gradulamente e ganhei alguma auto-estima e forma física. 

 

Nessa mesma altura comecei a correr, ainda que pouco de cada vez. Mas apesar de todo este esforço e de ter atingido os 70kg o ano passado nunca consegui vislumbrar 1 abdominal sequer. Verdade que estou melhor, passei de ter uma bola gigante na barriga para 3/4 pregas abdominais. A suster a respiração ao máximo, a luz certa e alguma imaginação acho que vejo pelo menos 2 abdominais já marcados.

 

Pode ser algo supérfluo e aceito as críticas que me possam fazer mas para quem sempre foi gordinho alcançar o 6 pack era, ainda é, um sonho. Nem que seja por pouco tempo. O objetivo é fortalecer o core, se entretanto conseguir ficar mais definido na região abdominal melhor.

Não me pretendo exibir nem por fotos em todo o lado, simplesmente quero saber que sou capaz ou pelo menos que tentei e que se quisesse fazia capa de qualquer revista de desporto.  

 

Em conversa com o Filipe descobri que partilhávamos em segredo este desejo e decidimos que seria agora a altura certa para abraçarmos este desafio. Porque esperar mais? 

 

Tenho à partida alguns handicaps. Não sei se a genética está do meu lado e sou extramente guloso. Com aquilo que corro já devia estar mais magro, mas o meu regime alimentar não é o melhor. Não há dia em que não coma um doce, ou dois. Salgados não é comigo, mas metam-me uma mousse de chocolate ou um bolinho e eu não resisto. Tão bom como os doces só mesmo o pão. 

 

Sou persistente e quando abraço um novo desafio não desisto tão facilmente. Assim a partir de hoje vou "tentar" comer menos bolos e pão, continuar a correr, apostar no Cross Fit, reforço muscular em casa (não sou fã de ginásios) e conto com a vossa ajuda para se juntarem a mim ou algumas dicas do que devo fazer.   

 

Quem se junta a nós? Até dia 1 de junho vamos acabar com a barriguinha.  

 

barriga.jpg

Foto esquerda: A respirar normal.Lado Direito: A posar para a foto e com a luz certa. 

 

 Filipe:

 

A não ser quando estava nos início dos meus 20 anos e fazia surf, ou pelo menos tentava, os meus abdominais sempre foram uma miragem. Desde essa altura que, fofinho e preocupado, arranjei-lhes uma bela camada adiposa que os tem protegido desde então. Uma vezes mais volumosa, e hoje em dia nem tanto, graças à corrida. Mas a memória de alguma espécie de abdominais ou o "famosos" six pack desvanesceram-se nas brumas da memória.

 
Ora, qual crise dos 40, e em conversa com o Tiago Portugal, e apesar de ele ser mais novo, decidimos trabalhar para o six pack, nem que seja só para os ter durante uma semana nas nossas vidas.Assim, aceitei o desafio de trabalhar para o tal six pack, que é estensível aos nossos leitores que nos quiserem acompanhar. Irei usar as mais variadas técnicas: corrida, treinos do CNC, apps para abdominais, boa nutrição, etc.
 
Começamos o desafio ontem, 1 de novemebro, e o objetivo é chegar a 1 de junho com abs de fazer inveja aos senhores que aparecem nas capas da Men's Health!
 
O meu desconhecimento sobre como será o processo é total. Não faço ideia de qualquer outro exercício para além das pranchas (aguento 2:30 minutos. E tu Tiago?). Por isso, aí desse lado, quem quiser ajudar, todas a ajuda  é bem-vinda.
 
É mais um desafio público aqui no blogue. Se há quase três anos eu e o Bruno Andrade contamos como perdemos, com sucesso, 6 a 8kgs numa dieta equilibrada. No ano passado, estava por esta altura a inscrever-me nos 50km do Piódão, que apesar de terem sido feitos levaram-me a uma lesão com 8 meses, e por isso o sucesso foi relativo. Agora este desafio com o Tiago. Espero seja um sucesso, apesar se saber que será o mais difícil até ao momento.
 
Deixo aqui uma foto do meu estado (lastimável) atual. MAs esta barriga "fofinha" tem os dias contados!!! Conto com a vossa ajuda? Vamos a isso? Juntos?

image1.JPG

 

Fim de semana Luxury Fitness no Cascade Wellness & Lifestyle Resort

20150725_195013.jpg

Por Nuno Malcata

 

Férias não significa necessariamente paragem na vida saudável, embora no meu caso férias costumem ser sinónimo de ócio, gula e muita preguiça.

 

Contrariando esta tendência natural, aceitei o convite do CASCADE WELLNESS & LIFESTYLE RESORT em Lagos para conhecer o resort e o seu programa "Luxury Fitness Holidays", um programa com acompanhamento em 3 áreas,  fisioterapia, nutrição e fitness, com pré-avaliação em cada uma das áreas e apoio personalizado nas sessões de exercício indoor no ginásio ou outdoor.

 

Cheguei a Lagos com a minha mulher Joana na sexta e fomos muito bem recebidos no Cascade desde o check-in, ao quarto detalhadamente preparado, a com um fantástico Gin feito pelo Barman Bruno no bar onde relaxámos num final de tarde muito tranquilo.

10982310_10153137264739958_6048131487371028235_n.j

 

Terminámos estas primeiras horas no Cascade com o jantar no restaurante Senses. Uma das áreas cruciais do programa é a nutrição e esta é especialmente preparada com a assinatura do Chef Luís Batalha, além de nutritiva e equilibrada é deliciosa.

 

pizap.com14382112663031.jpg

Para sábado estavam reservadas as componentes de avaliação e um bootcamp.

 

O dia começou bem cedo: conhecemos o PT Michele Mellone e a sua equipa, e enquanto aguardei pela hora das minhas avaliações passeei pelo resort, ficando a conhecer as várias áreas de lazer, e aproveitámos para relaxar um pouco junto à piscina do Spa.

 

Feitas ao final da manhã as avaliações de nutrição, fisioterapia e física com especialistas em cada uma das áreas para perceber como seria efetuado o programa para a semana, percebi que a dedicação da equipa é grande e vital para os resultados obtidos por quem procura este programa.

pizap.com14382116437351.jpg

Para o final da tarde o PT Michelle Mellone e a sua equipa prepararam para o grupo um bootcamp outdoor com 2 partes. A primeira no relvado dos campos de futebol do resort, campos normalmente utilizados em estágios de equipas profissionais como foi o caso recente do Aston Villa de Inglaterra, onde fizemos aquecimento com corrida e exercícios seguido de um exigente percurso de obstáculos. A segunda parte do bootcamp teve lugar no ginásio do resort, o CASCADE GYM BY AXN CLUB 100, com o grupo dividido em 2 areas com diversas estações onde a equipa explicou cada uma das estações. Fizemos cada uma das áreas executando o exercício de cada estação durante 30s com uma paragem entre cada uma de 20s, no final estava arrasado mas com um sorriso bruto de satisfação. O bootcamp terminou com uma sessão de alongamentos pela responsável da área de fisioterapia, sessão que fez o retorno à calma da melhor forma.

 

pizap.com14382121759361.jpg

O dia terminou com mais um cuidado e delicioso jantar no restaurante Moods.

 

No Domingo, a manhã ficou reservada para a componente mais relaxante do programa com uma massagem no Tanai Spa, um último mimo num cuidado programa, num resort com uma qualidade acima da média, onde a atenção ao cliente é permanente. 

pizap.com14382124545561.jpg

 

 

Um fim se semana que deu a mostrar um pouco do que se pode encontrar no programa Luxury Fitness Holidays, que não estando ao alcance de todos, fará com certeza diferença para aqueles que dele possam usufruir, eu no meu caso adorava voltar para o programa completo. 

 

Running and rope exercices?

943545_686913481325681_1469445959_nPor Bruno AndradeSerá que são dois exercícios que dêem para conciliar no mesmo treino?Infelizmente, neste momento, não tenho treinado com a regularidade que gostaria, no entanto foi, no espaço de uma semana, o segundo treino feito logo de manhãzinha. O mesmo ritual que no ultimo treino, acordar as 5:50, e começar a correr por volta das 6:10.Desta vez a corrida foi feita num parque perto de casa.À muito que tinha vontade de fazer uns treinos apenas a saltar a corda, sempre ouvi falar bem desse exercício e queria experimentar. Comprei a corda, mas acabou por ficar encostada num canto em casa.Recentemente e inspirado pela minha filha mais velha, que tem estado a praticar muito com a corda que lhe oferecemos, resolvi levar a minha corda para este treino.Acabei por fazer 7 kms de corrida intercalados com 50/60 saltos de corda a cada 2 km de corrida feitos. Sempre tive a sensação que saltar a corda seria como andar de bicicleta, ou seja, quando se aprende nunca mais se esquece, de qualquer maneira, sinto que não é bem assim, e neste primeiro treino tive que me adaptar a corda e ainda ao facto de estar a conciliar com corrida também.Ouvi dizer que saltar a corda durante 20 minutos queima praticamente o mesmo que 45 minutos de caminhada ou 30 minutos de bicicleta.Claro que para ter este gasto, convém serem “bons” 20 minutos a saltar, e nesse caso ainda estou a praticar para isso.No entanto, apesar de interromper por diversas vezes os saltos com a corda, senti que puxamos imenso no movimento do salto e cansei-me realmente muito.A partir de hoje passei a ter mais uma companhia em alguns treinos, a corda ira acompanhar-me em treinos que faça intercalos com a corrida.Bons Treinos!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D