Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Duratrail 2017: uma aventura a três

22851824_1491592797588713_2445408669733022221_n.jp

O Duratrail, já na sua 5a edição este ano, é uma uma referência nacional e faz parte do Circuito de Trail Running Nacional. A prova que decorreu no fim-de-semana passado não deixou nada a desejar.

 

Desde a comunicação pré-prova, ao levantamento dos dorsais, à sinalização, abastecimentos e zona da meta e partida... tudo impecável. De facto, não tenho nada a apontar. A simpatia dos voluntários condizia com o calor do sol que se fez sentir no Parque Urbano de Albarquel em Setúbal, junto o Rio Sado.

WhatsApp Image 2017-10-30 at 19.07.01.jpeg

O Duratrail este ano teve duas distâncias. Estava inscrita nos 30km mas decidi mudar para os 18km. Houve dois motivos que me levaram a esta decisão: primeiro a falta de treino de distâncias maiores e segundo porque iria ter uma companhia especial - o meu namorado estreou-se nos trilhos no Duratrail!

 
"E o terceiro elemento?" perguntam-me vocês por causa do título. O terceiro elemento foi o meu novo TomTom Adventurer. Já tinha tido o privilégio de correr com este relógio no âmbito de uma ultra maratona e agora fui convidada a ser embaixadora da TomTom em Portugal. Giro, né? :) (Quem ainda não leu, pode ver a minha review aqui). A prova correu super bem e a companhia foi ótima :)

WhatsApp Image 2017-10-30 at 19.07.08.jpeg

No entanto, é certo que foi  a primeira e última vez que corri uma prova de trail com o Xiko, pois ele é muito mais rápido que eu! Prinicpalmente nas subidas, o Xiko voava enquanto eu penava. Muito querido foi ele em ter esperado e puxado por mim. Pois, nos últimos 4km de prova, quebrei. A primeira parte fiz sempre a puxar, a tentar acompanhá-lo mas sabia que não ia aguentar muito com o relógio a indicar pulsações acima dos 170 bpm nalguns troços. Além disso, não tenho estado muito fit ultimamente, com sintomas de quem trabalhou demais nos meses de verão (mas isso passa!).
 
O Duratrail é lindo. Os trilhos, muito single tracks, são muito giros e com alguma tecnicidade. As paisagens, o típico "entre a serra e o mar" da Arrábida dão nos energia quando precisamos e a simpatia dos voluntários e espírito entre participantes foi muito bom! Antes de chegar à meta ainda corremos uns 100m pela praia! Que maravilha! E a zona da meta (e da partida) no Parque Urbano de Alburquel é perfeito. Cruzar a meta com o Sado ao nosso lado é lindo! A cereja no topo do bolo foi a panóplia de barras energéticas e bebidas isotónicas que nos esperavam na meta e ainda um belo almoço de massada de choco com uma imperial! Ah, e nada melhor do que um banho para agradecer às nossas perninhas!

IMG_20171028_115331.jpg

Obrigada Duratrail e até para o ano!

Race Report : III Duratrail 2015 By Lurbel

 

duratrail2015_00

 Por Luis Moura :

 


No ano passado não fui participar no Duratrail devido a estar com os canhões todos para o Arrabida Ultra Trail mas fiquei a pensar na prova por ser num sitio que gosto muito de treinar.
Assim, quando há umas semanas a Lurbel nos convidou para participar na prova, mesmo sabendo que seria apenas 1 semana depois da Serra D'Arga, aceitei de bom grado.

duratrail2015_01

 

Prova
A Proaventura tem a fama de organizar provas a grande nivel e lá fui testar a veracidade.

duratrail2015_02


Levantar cedo e pouco antes das 8 já estava no Parque Urbano de Albarquel. Levantar o dorsal, acabar de preparar o material para a corrida e lá fomos para a partida.
Esta iria ser oficialmente perto da Avenida Luisa Todi mas teve uma partida simbolica no Parque Urbano no mesmo local que iria ser a meta.

duratrail2015_03

Lá fizemos o km que dista para a partida e nova concentração. Nesta altura depois de partir quase do final do grupo que arrancou já estava a cerca de 1/4 do grupo da frente para ter uma partida mais suave.

 

Depois de darem a partida oficial lá partimos para uma volta de aquecimento pela avenida Todi e entramos na subida para o Castelo que está de defeso à cidade há uns séculos.
Estava-me a sentir bem das pernas e lá subi a rampa passando dezenas de atletas até lá acima, pois sabia que quando acabassemos a subida, entravamos num single track muito apertado e perdia muito tempo se ficasse para trás e com muita gente na minha frente iria perder um bom tempo logo nos primeiros km's.
Os pés doiam ainda um bom pedaço da Serra D'Arga da semana passada, mas nada de relevante para já.

duratrail2015_02

 

1km, depois de subirmos 110D+ em 1km, entramos num troço de cerca de 3km e pouco de sobe e desce até chegarmos à segunda subida ao km5. Aqui na subida começa a doer bastante os gémeos e comecei a perceber o motivo.
A meio de Arga como podem ver no meu Race Report da prova, perdi a maior parte do amortecimento das Salomon e sem me aperceber comecei a correr mais com a parte anterior do pé e comecei a sobrecarregar demasiado os gémeos. Na Serra d'arga não começou a doer no final da prova, mas aqui a dor apareceu rapidamente provavelmente devido a não ter tido um descanso completo dos pés e quando comecei a fazer a segunda subida, eles começaram a doer bastante.

duratrail2015_03

 

5km, abrandei um bocado e fiz os 3km seguintes a passo acelerado cheio de dores na planta dos pés e agora com o acréscimo dos gémeos que estavam a ferver devido a passar o peso da corrida inteiramente para eles.

Quando estava a chegar perto do abastecimento do km9, tomei uma dose de magnésio e depois bebi e comi um bocado para relaxar. Uns minutos depois lá arranquei a ver se as dores diminuiam. Por esta altura tinham passado umas dezenas de corredores por mim nos ultimos 3km.

duratrail2015_04


Mais subida menos subida
10k, começa a terceira subida grande, desta vez com 150D+ e quilometro e meio.
Fui tranquilo e via alguns colegas de prova a passarem por mim já com caras meio cansadas.
Efeito do magnésio ou não, as dores ficaram bastante mais leves e recomecei a correr. Fui até ao abastecimento dos 16km sempre em ritmo rapido e recuperei alguns lugares, mas quando cheguei ao abastecimento as dores no pé recomeçaram e com bastante intensidade.

duratrail2015_05


Nitidamente a corrida para mim tinha acabado para não colocar em causa as próximas semanas e lá fui novamente tranquilo.
Cheguei ao abastecimento dos 16km com 1:50h de prova e sabia que iria chegar ao fim depois das 3h com estas dores. Tinha recuperado bastantes posições nas subidas e isso iria tudo pelo cano por causa das dores.

17km, começa a minha caminhada até ao abastecimento dos 21km. Sempre a andar e cheio de dores, lá fui sendo ultrapassado por vários atletas e alguns conhecidos. Estava cheio de dores nos pés e os gemeos já estavam bastante massacrados.

duratrail2015_07


Ultimo abastecimento
Cheguei ao abastecimento dos 21km e fiquei um bocado na conversa com os membros do staff que estavam a dar o manjar aos atletas que passavam. Fruta fresca, gomas e bolo de chocolate foi quase uma constante :)
Depois de uns 5 ou 6min a comer e beber, lá segui tranquilo para o resto da prova. Foram cerca de 2,5km a passo sem pressas e com os pés a ferver de dores.

duratrail2015_09


Quando estava a chegar perto do parque, ainda consegui correr quase 1km e nos ultimos metros quase em cima da meta ainda deu para um pequeno sprint de 200m abaixo dos 4/km.
As pernas doiam como tudo e já quase não sentia os pés, mas com as reservas que tinha no corpo deu para uma shot final rápido.

 

No final a posição 251 entre 550 atletas que iniciaram a prova com o tempo final de 3:20:59.

Não foi brilhante, mas foi sofrida. Neste momento estou com imensas dificuldades em pousar os pés no chão e vou ter que abrancar agora 2 ou 3 semanas para deixar os pés restabelecer do esforço.

duratrail2015_95

 

Rescaldo

Os meus parabéns à Proaventuras. Desde as marcações que como diz o Filipe Torres "até um ceguinho não se perde", percurso interessante para 25km, staff ao longo da prova em fartura e sempre em locais estratégicos para ninguem se perder, até aos abastecimentos simples mas funcionais.

O pack da prova de inscrição incluia manguitos da Lurbel e no final uma caneca de metal para usarmos em proximas provas. Mais o almoço oferecido a todos os participantes no final, novamente coisa simples mas que dá sempre uma excelente nota positiva.

A melancia no final da prova é um pormenor interessante pois é uma fruta que raramente vemos em prova e devido à concentração de agua que tem, é muito bom para recuperar rapidamente em dias mais quentes ou abafados como estive no Sabado passado.

duratrail2015_99

 

Ultimo agradecimento à Lurbel pelo convite e pela vontade deles de apostar neste desporto que gostamos de praticar e que ainda vamos ouvir falar muito sobre eles nos proximos anos. Os materiais são de facto bons e o preço acessivel. Todos os ingredientes para aos poucos encontrarem o seu lugar ao SOL.

 

 

Bons treinos :)

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D