Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Primeira maratona - entrevista a João Montez

IMG_8044.jpg

O apresentador João Montez foi desafiado pela ASICS para correr a Maratona do Porto, será a sua primeira maratona. Correr uma maratona pela primeira vez é uma grande aventura que sucita muitas dúvidas. Fomos falar com o João, um habitual corredor de 10/15km, para descobrir como está a correr a preparação. Durante três meses, o João está a ser acompanhado por um personal trainer para cumprir o objectivo proposto. Segue uma entrevista por parte do João desta experiência:

 

  1. João, a tua cara não nos é estranha. De onde te conhecemos?
    Provavelmente! Trabalho em Televisão, sou apresentador na TVI. 

  2. Qual a tua relação com o desporto?
    O desporto sempre esteve presente na minha vida. Talvez nos últimos anos este tenha adquirido um outro estatuto,  com uma importância maior e um peso inigualável. Isto deve-se sobretudo ao facto de me ter dedicado quase a 100% a certos aspectos ligados ao exercício físico. Surge através da minha procura constante em conhecer melhor o meu corpo. Como se costuma dizer: mente sã, corpo são. No meu caso, é exactamente isso. Faz sentido que assim o seja. Diariamente, gosto de me sentir activo e o desporto acaba por ter um papel fundamental que se estende a todos os outros campos. Ao longo da minha vida sempre fui percorrendo diferentes tipos de desporto, sempre fui experimentando aqui e ali. Actualmente, acabo por fazer vários tipos de treinos, sendo o treino de ginásio e o treino de alta intensidade (HIT) os mais frequentes. A boa forma física é, sem dúvida, um estilo de vida.

      

  3. Correr uma maratona é algo que ambicionavas fazer há algum tempo ou é algo novo que surgiu graças ao convite da ASICS?
    Confesso que nunca tinha, sequer, pensado em correr uma Maratona. A corrida não era algo que estava presente no meu dia-a-dia. O convite surge de forma natural e como gosto bastante de ser desafiado a alcançar certas "metas", não tinha como dizer que não. Encarei a situação como uma nova fase desportiva, talvez. A verdade é que o processo evolutivo é tão notório que hoje em dia já sinto que a corrida faz parte da minha vida. 

  4. Como têm sido os teus treinos? Quanto correr por semana?
    Têm corrido bastante bem. A única dificuldade encontrada até então acaba por ser, somente, o tempo que tenho disponível para cada treino que acaba por condicionar as distâncias que corro. Em média tenho feito, por dia, 12 km.

  5. Também fazes outro tipo de treino para complementar a corrida?
    Sim. Aliás é imprescindível existir um outro tipo de treino que complemente esta preparação. No meu caso, faço reforço muscular, dia sim, dia não. Um treino de força focado nos membros inferiores, de modo a prevenir qualquer tipo de lesão que possa surgir.

  6. O que esperas da tua primeira maratona? Tens algum objetivo de tempo?
    Espero conseguir terminá-la. Não tenho qualquer tipo de objectivo, a nível de tempo. Desde o momento em que este convite surgiu que a ideia seria sempre participar e terminar a prova, em condições. Sem lesões e sem problemas de saúde futuros.

  7. Qual o teu maior receio?
    Tenho pesquisado bastante e procurado o maior número de conselhos possível. Sei que, para uma prova como esta, são necessários vários factores. Factores esse que, no dia da prova, têm de estar em sintonia. Basta que um desses falhe e a prova fica comprometida. É exactamente esse o meu receio! 

  8. Tens alguma dica ou truque que gostarias de partilhar para quem vai correr a sua primeira maratona também?
    Uma preparação disciplinada e com tempo pode ser a chave do sucesso. Nunca esquecendo também a preparação mental. É muito importante estar rodeado de pessoas que acreditam que é possível! 

 

Ao João desejamos muita coragem na continuação dos treinos e uma boa experiência na sua primeira maratona. Podem seguir o João nas redes sociais. E, depois da maratona, volteremos a partilhar uma entrevista sobre como correu esta aventura. 

 

E vocês, também vão participar na Maratona do Porto dia 5 de Novembro?

Lições da minha Maratona para a tua Meia Maratona

IMG_20160313_084953.jpg

 

Estive este fim-de-semana em Barcelona no âmbito da Zurich Marató de Barcelona. Tendo-me estreado nesta distância rainha do atletismo em Fevereiro do ano passado em Sevilla, decidi que este ano seria a vez de Barcelona. Gosto de usar a corrida como desculpa para viajar com amigos, mas isso é outra conversa; hoje partilho convosco algumas lições que aprendi no domingo, ao longo dos 42,195km de prova pelas ruas de Barcelona.

 

Assumindo que treinaram bem nos últimos meses, tendo seguido um plano de treinos ou pelo menos tendo feito alguns treinos mais longos e testado o material que vão usar durante a prova, partilho então algumas das lições que aprendi ou reaprendi na Maratona de Barcelona que vos podem ajudar na vossa (primeira) meia maratona.

BCN Marathon 2016 (3).jpg 

Lições pré-prova:

 

  1. Descansar as pernas nos dias antes da prova. Por mais que gostemos de praticar exercício ou que nos apeteça fazer aqueles 1-2 km a pé em vez de apanhar o metro, poupem as pernas! Estando de viagem numa cidade linda por explorar é muito difícil resistir à tentação de descobrir a cidade caminhando. Sem dar conta, caminha-se 15-20km e parecendo que não, as pernas cansam-se. Correndo “em casa” talvez não tenhamos este problema mas temos a tentação do ginásio ou outros desportos que pratiquemos com regularidade. Pelo menos no meu caso, custa-me abdicar da minha rotina semanal de exercício para descansar as pernas antes de uma prova grande, mas acreditem, vale a pena. Descansem. Se a prova for no domingo, é claro que de segunda a quarta-feira ainda podemos praticar exercício mas nada de exageros e no sábado, recomendo correr uns 4kms ou meia horita para “soltar as pernas”.

  2. Não arriscar experiências culinárias. Mais uma vez, esta tentação é maior estando no estrangeiro, mas mesmo estando em casa, tentem evitar temperos mais fortes, bebidas alcoólicas e alimentos que não façam parte do vosso quotidiano alimentar. De resto, já sabem, carregar nos hidratos e bebe muita água nos dias antes da prova.

  3. Dormir bem. Tenta dormir no ambiente ao qual estão habituados, onde já sabem que não haverá festas de vizinhos e cães a ladrar à porta (sim, isto aconteceu em Barcelona).

 IMG_20160313_112044.jpg

 

Lições durante a prova:

 

  1. Estabelecer um objetivo realista. É bom ter ambições mas ter ambições demasiado ambiciosos (desculpem a redundância) pode causar pressão desnecessária e fazer com que a vossa (primeira) meia maratona passe de uma suposta experiência positiva a 21km de sofrimento. Se é a primeira vez que se aventurem nesta distância, recomendo que o objetivo maior seja apenas o de concluir a prova e desfrutar da viagem. Mais oportunidades haverão para se preocuparem com tempos. Vejam como os vossos corpos reagem a esta distância e depois comecem a pensar em tempos. É esta a minha sugestão. No meu caso, e na distância da maratona, foi assim mesmo. Em Sevilla, na minha primeira maratona, fui sem olhar para o relógio, só com o objetivo de desfrutar e concluir a prova. Confesso que a partir do km 32 o objetivo de desfrutar foi mais difícil de manter, mas concluí a sentir-me bem e sem lesões (tempo de 4h23). Este ano decidi também não me preocupar com o tempo e até ponderei levar o relógio na mochila mas decidi levá-la no pulso, não para controlar ritmos mas sim para gerir a alimentação (tempo de 3h54).

  2. Comer e beber conforme correu bem no treino longo. Não inventem. Não experimentem géis ou outros suplementos alimentares que não conheçam. Se no treino longo comeram determinado gel a cada 40 minutos e sentiram-se bem, façam-no em prova também. O mesmo se aplica com a água. Hidratar é muito importante mas cuidado para não beber demasiado e ter que ir à casa de banho!

  3. Resistir à tentação de caminhar. Se no treino longo conseguiram fazer tudo a correr (nem que seja a um ritmo "sexy slow"), em prova também o conseguem. Bastam dois ou três passos a caminhar para o arranque para a corrida ser muito doloroso. Da minha experiência, mais vale continuar a correr do que caminhar para “descansar”. Em Sevilha, o ano passado, caí na tentação de caminhar por várias vezes e aí voltar a correr custou tantoooo! Já em Barcelona, nem tive vontade de caminhar porque sabia que tinha as pernas preparadas para correr até ao fim. Ou seja, para não cair na tentação de caminhar, é preciso treinar e ter confiança no treino que fizemos.

11016469_10153108491357350_213194956_n.jpg

Penso que estas dicas vos ajudarão a desfrutar mais da viagem que serão os 21kms entre a Ponte 25 de Abril e Belém este fim-de-semana. Acreditem em vocês, desfrutem da paisagem e da energia das dezenas de milhares de pessoas a correr na ponte e dêem um olá ao pessoal do Correr na Cidade que encontrarão ao longo do caminho!

Dicas para comprar as sapatilhas certas

IMG_1520.JPG

 Por: Tiago Portugal

 

Uma das formas de nos tornarmos melhores corredores é aumentar a quantidade de tempo a correr ou por outro lado a qualidade das nossas corridas/treinos. Mais fácil dizer do que fazer. Muitas vezes ficamos limitados pelo aparecimento de dores ou lesões que nos limitam ou em última instância nos impedem de correr.

 

As 3 causas mais comuns do surgimento de dor ou lesões entre corredores são: aumento excessivo da carga e intensidade dos treinos; falta ou alongamentos incorretos; uso de calçado desadequado.

 

Ao eliminar um dos fatores da equação estamos a diminuir o risco do aparecimento de dor ou lesões, e nesse sentido a escolha acertada de uma sapatilha de corrida apropriada é essencial.

 

Essa escolha deve ser um processo individual, somos todos distintos e o que serve para o nosso amigo poderá não ser o mais correto para nós. A ter em consideração é igualmente o uso que queremos dar ao calçado: estrada, trail ou misto, treinos longos ou curtos, rápidos ou lentos.

 

Com o mercado em crescimento as opções para o consumidor aumentam o que pode gerar alguma confusão na hora de escolher o calçado mais apropriado.

 

Para encontrar o parceiro de corrida ideal é preciso considerar qual o tipo de corrida, estrada ou trail, curtas ou longas distâncias, tamanho, forma e características do nosso pé.

 

Algumas dicas:

 

  • Experimente e sinta se o modelo está ajustado ao seu pé e se se sente confortável. Se a resposta for não, opte por outro modelo;

 

  • Tenha a certeza que os sapatos estão confortáveis desde o 1.º momento e não o magoam em lado nenhum;

 

  • Dê espaço suficiente para que os dedos do pé se mexam à vontade. Não compre sapatilhas apertadas, o normal é elas não alargarem com o uso;

 

  • Não compre as sapatilhas com pressa, é preciso tempo para experimentar vários modelos. Calce as sapatilhas na loja e veja como se sente;

 

shoefits_489x352_1.gif

 

  • Procure ajuda de alguém especializado e com experiência, se levar um amigo corredor ainda melhor;

 

  • Antes de sair de casa veja os seus sapatos velhos para analisar quais as zonas mais gastas;

 

  • Se usar palmilhas ou algum tipo específico de meias leve-as consigo para experimentar com as sapatilhas;

 

  • Experimente várias marcas e modelos. Existem cada vez mais opções no nosso mercado;

 

  • Os pés aumentam com a idade, por isso meça o seu pé antes de comprar um novo par de sapatos. Deve medir os 2 pés, visto que os tamanhos podem ser ligeiramente distintos. Compre sempre modelos de acordo com o tamanho do seu maior pé;

 

  • Experimente e compre os sapatos de desporto de tarde, por norma os pés estão um pouco inchados, o mesmo acontece quando corre;

 

  • O tamanho difere entre fabricantes e marcas, por isso o tamanho pode não ser o mesmo em todas as marcas, tenha isso em atenção;

 

  • O calcanhar deve estar bem ajustado e não deve andar solto;

 

  • Esteja preparado para investir, as sapatilhas de corrida não são eternas e devem ser substituídas. Por vezes o barato sai caro. A durabilidade dos modelos varia entre os 500 e os 800km.

 

Dicas específicas para sapatilhas de Trail

 

  • O modelo deve proporcionar um bom ajuste na zona média do pé e devemos sentir que a zona do calcanhar está bem pressa para evitar que em terrenos acidentados ou desnivelados o pé não se levante ou mexa para os lados;

 

  • Deixe espaço suficiente na frente das sapatilhas, tenha por referência o espaço de um dedo entre os vossos dedos e a ponta das sapatilhas;

 

  • O amortecimento deve ter em consideração a proteção que pretendemos e a sensação de contato ao chão. Um modelo com menos amortecimento permite uma sensação de maior contato com o chão;

 

  • Tenha em consideração a tipologia do terreno, alguns modelos são mais específicos para trilhos técnicos outros para terra batida, pedra ou mesmo lama. Pode analisar os tacos da sola do modelo;

 

  • Por norma as sapatilhas de trail tem um desgaste maior do que as sapatilhas de estrada.

 

Faltam dois dias para a Meia Maratona! E agora?

Por Bo Irik:

Meia Maratona1.jpg

 O ano passado na Meia Maratona da Ponte 25 de Abril

 

Ontem o Tiago partilhou algumas dicas para a vossa primeira meia maratona: aquecer, começar devagar, estabelecer objetivos, dividir a prova em etapas, combater o tédio, hidratar, usar roupa confortável e divertir-te. Fácil!

 

E agora? Agora que ainda faltam dois dias para a prova, o que fazer? Digo “ainda faltam” em vez de “já só faltam” porque nesta fase já deves estar mega ansioso/a!

 

Entretanto, já com algumas provas de 21km + no meu currículo, partilho convosco algumas das que eu considero as boas práticas nos dias que precedem uma prova. Estas dicas podem, obviamente, ser aplicadas a provas de qualquer distância. Sublinho que são dicas resultantes da minha experiência própria e que eu não sou nenhuma perita no assunto e cada caso é um caso.

 

  1. Come muitos hidratos de carbono!

Yes! Esquece a dieta, ataca a massa! Temos a mania de que a comida pre-prova devia ser massa pelos hidratos de carbono,mas sabias que duas carcaças contêm mas hidratos de carbono do que um prato de massa? Mais informação sobre o que comer antes de uma Meia Maratona pode ser lido aqui, escrito pela Ana, a nossa especialista neste âmbito.

 

A ingestão de hidratos deve ser iniciada alguns dias antes da prova, não só na véspera, e cuidado, não comas demasiado na véspera, isso também pode causar efeitos adversos! Come quantidades que comerias normalmente, mas carrega nos hidratos.

 

  1. Evita alimentos estranhos.

Se puderes come em casa e come coisas que estás habituado a comer, preferencialmente coisas que costumas comer antes de treinos longos. Agora não é o momento para experimentar o restaurante chinês clandestino na Mouraria :p

 

  1. Hidrata-te!

Sim, sei que o Tiago também já falou da hidratação durante a prova e a Ana sobre a hidratação antes, mas é tão tão tão importante, que repito: bebe água! Eu bebo muita água por natureza, tenho uma garrafinha no meu trabalho que vou enchendo de forma a beber 2 a 3 litros de água por dia, consoante o calor e previsão de exercício intenso. Mais uma vez, não basta beber no dia antes da prova e durante. Começa a hidratar bem 2 a 3 dias antes e não menos importante, depois da prova! Em paralelo, recomenda-se evitar o consumo de bebidas alcoólicas por terem um efeito contrário à hidratação e porque não é propriamente agradável fazer uma prova com uma ressaca :p

 

  1. Prepara o equipamento.

Garante que tens todo o equipamento lavadinho e preparado. Não te esqueças:

  • Dorsal e alfinetes ou porta-dorsal;
  • Chip (se não estiver integrado no dorsal);
  • Equipamento, boné e meias (o tempo está algo imprevisível e o boné ajuda a proteger contra o sol e a chuva);
  • Relógio e/ou telemóvel;
  • Géis ou outras fontes de energia (se bem que a Meia Maratona de Lisboa tem bastantes abastecimentos);
  • Protetor solar e vaselina ou outro crème para evitar assaduras (caso costumas usar).

17466405_zgVVl.png

Acima de tudo... diverte-te! (foto por Miguel Batista)

  1. Não exageres.

Relaxa, relaxa as pernas. Na Sport Expo, onde se levantam os dorsais, evita andar muito, evita participar em workshops que possam ser exigentes para o teu corpo e evita provar amostras de comida que não conheces. Usa calçado confortável e descansa muito.

 

  1. Se sentires necessidade, corre.

Mas só um bocadinho! Há quem goste de soltar um pouco as pernas na véspera de prova. Tudo bem, desde que seja calminho e curto e não faças coisas “esquisitas” como experimentar calçado novo por exemplo.

 

  1. Ter as unhas cortadas.

Recomendo cortar as unhas, não na véspera da prova, mas uns dias antes, para dar tempo aos dedos do pé habituarem-se ao “novo corte”. Mantem as unhas dos pés bem curtinhas de forma a evitar as famosas unhas negras (o que aconteceu à Natália na sua primeira meia maratona). Outra dica preciosa é hidratar a pele dos pés com creme hidratante (eu própria uso um creme de mãos de marca branca).

 

  1. Pensamento positivo.

Não stresses. Treinaste o que pudeste e estás bem preparado/a. Descansa. No dia da prova, como esta envolve alguma logística, vai com tempo para evitar stresses e filas. Enjoy!

 

Boa prova a todos! E depois contem-me como foi!

(eu não irei estar presente este ano, pois irei participar nos 30km do Trail de Almeirim).

Dicas: “Os cinco gadgets essenciais para correr”

Por Filipe Gil:

 

Deixo-vos aqui cinco gadgets que podem ser "essenciais" para correr.

 

1. Telefone ou smartphone

São dois conceitos diferentes. O telefone, que até pode ser aquele Nokia de ecrã a preto e branco perdido numa gaveta lá de casa, serve para estarmos sempre contactáveis e para emergências – sobretudo em corridas de trail/montanha é essencial levar algo assim, pequeno, robusto e fiável. Os smartphones já são um conceito diferente, uma vez que, para além de serem telefones, são também leitores de música e dispõem das apps que ajudam a monitorizar as corridas. São um canivete suíço para os corredores, sobretudo os iniciados.

 

2. Headphones

É outro must dos corredores. Contudo, nem todos são os mais indicados. Por exemplo, os brancos da Apple escorregam muito com o suor. Por isso, aconselho a usarem aqueles que têm um arco para prender à orelha. Há uns muito interessantes a menos de €15 na Fnac, de uma marca conhecida.

 

3. Leitores MP3

Se levar um smartphone, o leitor MP3 é um gadget inútil, a não ser que vá fazer corridas mais longas e não queira gastar muita bateria do seu telefone esperto´. Contudo, para quem não leva telefone/smartphone, os leitores de MP3, pequenos e leves são ideias para ouvir música durante a corrida – desde que façam dupla com uns headphones que não atrapalhem, como escrevi anteriormente.

 

4. Relógio GPS

É capaz de ser o único gadget que os corredores mais experientes não prescindem. Mas há pelo menos dois níveis de relógios GPS, os mais simples e que rodam preços até aos €250, e que medem o ritmo, a distância, o tempo de corrida, e pouco mais (e aqui tem modelos da Garmin, TomTom,PolarTimex) e outros um pouco mais profissionais para maiores exigências – desde altimetria a mapas de GPS até serem multideportos (A Suunto e também a Garmin tem modelos semi-profissionais e profissionais usados pelos atletas de elite). Aqui, os preços são superiores a €400. O ideal é perceber até onde quer levar a sua corrida. Uma dica: para quem se está a apaixonar por trail running o investimento em relógios mais completos é essencial.

 

5. Nada

Há quem exagere e use, ao mesmo tempo, tudo aquilo que descrevi acima. É claramente um exagero. Até porque há medida que começar a correr mais e melhor vai sentir um desejo enorme de deixar de usar tudo isto. Usar nenhum gadget é capaz de ser a melhor forma de correr. O melhor gadget é o nosso corpo – físico e mentalmente. Desde que corra em locais seguros, aconselhamos a fazê-lo, ou pelo menos a experimentar. Vai ver que vai mudar o seu conceito de corrida. Boas corridas.”

 

Este texto foi criado para o site O MEU BEM ESTAR.

Quem são os leitores do Correr Na Cidade?

unknown_personQuisemos conhecer melhor os nossos leitores. E quisemos saber porque razão visitam o blogue, como o conheceram e quantas vezes nos visitam. Quisemos saber o que preferem ler os 800 a 1000 visitantes diários que por aqui passam.Através de um inquérito online, obtivemos dados muito interessantes que nos vão ajudar a melhorar cada vez mais este blog em prol dos leitores.

Aqui ficam alguns números:#52% dos nossos leitores conheceram-nos através de outros blogues (de corrida ou de outro assunto) # 46% visitam o blogue uma vez por dia. # 33% visitam-nos de noite e 31% durante a manhã. # Os três temas preferidos pelos nossos leitores são: Dicas de Corrida (18%); Reviews de Corridas (18%) e Reviews de Produtos (17%) # 76% dos nossos leitores tem idades compreendidas entre os 25 e os 39 anos. A segunda faixa etária que nos lê mais tem entre os 40 e os 49 anos (20%) #44% dos nossos leitores correr 3 vezes por semanas, e 35% corre 4 vezes por semana.A quem respondeu, e foram muitos, o nosso obrigado.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D