Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Desafios na corrida: anemia parte II

IMG_20170816_194308.jpgA vida de "atleta" não é um mar de rosas. Cada corredor passa por fases. Fases em que nos sentimos fit, super motivados e batemos PBT após PBT e fases mais difíceis. Segue a "parte II" dos meus desafios na corrida. A parte I partilhei no verão de 2016 aqui.

 

Já partilhei aqui no blog que sofria de anemia várias vezes. Foi no final de 2015 que descobri que sofria de anemia pela primeira vez (podem ler neste post). Foram o cansaço extremo e dificuldades respiratórias que na altura me fizeram ir ao médico. Rapidamente comecei a tomar suplementação de ferro. No entanto, o médico na altura, não fez análises profundas de forma a analisar qual a origem do problema. Seria falta de absorção ou falta de ingestão?

 

Desde então tenho vindo a ter cuidado com a alimentação e o descanso. Entretanto cheguei a fazer muitas análises mas continua difícil encontrar o porquê da anemia. Em Maio deste ano fiz análises e estava tudo perfeito enquanto treinava bastante, não comia carne nem peixe e não tomava suplementação. Por isso, o problema não parece ser falta de ingestão de ferro.

23434905_10214705334209658_2156210667076368477_n.j

Foi no final de Outubro que me voltei a sentir extremamente cansada. Seria exastão devido a um verão de muuuuito trabalho ou a anemia? Ou os dois? Não, não é do excesso de treinos, pois tenho treinado pouco. Só um pouco de RPM, yoga e treinos guiados com turistas no âmbito do meu projeto Run in Portugal. Ainda participei no Duratrail que até nem correu mal mas, nos Trilhos dos Casaínhos, senti-me muito fraca e como fui a puxar, passei um mau bocado na tarde pós prova. (Sim, eu sei, nem devia ter ido, mas sou viciada nisto!)

WhatsApp Image 2017-11-17 at 12.15.35.jpeg

Falei com a minha nutricionista e amiga, Ana Sofia Guerra que me sugeriu logo consultar um médico para fazer análises. Ela fez-me uma lista de ítens que deveriam ser analisados, nomeadamente: hemograma e leucograma normal, ferro sérico, magnésio, ferritina, transferrina, vitamina D, vitamina B12, ácido úrico, entre outros. Mal obtive os resultados das análises, enviei-os à Ana e sim, estou outra vez com uma maldita anemia. Comecei então a tomar suplementação de ferro e de um complexo de vitamina B conforme a Ana me sugeriu. Neste artigo, a Ana fala dos diferentes tipos de suplementação que podem ser interessantes para corredores.
 
A ver se com estas dicas e alguns cuidados adicionais na alimentação e muito descanso, recupero rápido. Há por aí mais alguém com este desafio? Como lidam com a situação?
 
PS. Se quiserem saber mais sobre a anemia, leiam este meu post.

Anemia e corrida – sintomas e dicas

Run in Lisbon (3).jpg

Como alguns de vocês já devem saber, sofro de anemia. E não devo ser a única “atleta” com este problema. Por isso, hoje partilho um pouco sobre este tema.

 

Pessoalmente, foi no final de 2015 que descobri que sofria de anemia. Foram o cansaço extremo e dificuldades respiratórias que me fizeram ir ao médico. Comecei a tomar suplementação de ferro. No entanto, o médico na altura, não fez análises profundas de forma a analisar qual a origem do problema. Seria falta de absorção ou falta de ingestão? Agora que estou “viciada” no ferro, já não se pode fazer essas análises.

 

Com a ajuda do ferro, tenho-me sentido muito bem. De facto, de Janeiro a Maio senti-me cheia de energia e com bom desempenho na corrida. Comecei a fase de “desmame” em Junho. Deixei de tomar a suplementação de ferro. Vou ter que aguentar a anemia até Setembro. Nesses três meses, dá para fazer o desmame completo e voltar a fazer análises, desta vez bem completas, para atacar o problema na origem.

 

Sinto os efeitos da anemia. Voltou o cansaço. Sem dúvida e não, não é do excesso de treinos nem do calor. Tenho treinado pouco. Só um pouco de RPM, yoga e treinos guiados com turistas no âmbito do meu projeto Run in Portugal.

 

Mas afinal, o que é a anemia? De acordo com a OMS, anemia aparece na falta de hemácias saudáveis (glóbulos vermelhos). Pode haver ou poucas hemácias, ou essas podem estar com falta de uma proteína rica em ferro – a hemoglobina. As hemácias são responsáveis por transportar o oxigénio pelo corpo e a hemoglobina é a proteína que carrega o oxigénio.

Run in Lisbon (9).jpg

Alguns de vocês têm-me perguntado como é que detetei a anemia. No meu caso, como já referi, foi o cansaço e dificuldades respiratórias.  Foram também os baixos níveis de hemoglobina que me inibiam continuamente de dar sangues que me deram o alerta. Esses sintomas são causados pela falta de oxigénio. Os sintomas mais comuns de anemia são:

 

  • Cansaço extremo;
  • Falta de ar ou sensação de batimentos cardíacos irregulares;
  • Tonturas;
  • Dor de cabeça;
  • Palidez;
  • Alterações nas unhas e cabelo (queda, cabelo e unhas quebradiços ou fracos);
  • Pés e mãos frios.

 

As pessoas mais vulneráveis a anemia são as grávidas, crianças e pessoas que não comem, ou comem pouca, carne. Caso suspeite de que possa ter anemia, sugiro o seguinte:

 

  • Consulte um médico. Mas um médico bom, preferencialmente médico especialista em imuno-hemoterapia para fazer análises;
  • Tente consumir alimentos ricos em ferro como carnes vermelhas, marisco, peixe, leguminosas e legumes verdes como espinafres e brócolos;
  • Descanso.Abrandar nos treinos até obter feedback do médico.

 

Boas corridas e não se preocupem, há bons tratamentos para a anemia e muitas vezes é temporária.

Desafios na corrida: verão e anemia

IMG_20160409_124548.jpg

Quando chega o verão às vezes se torna difícil manter os treinos, pelo menos para mim. Já devo ter escrito sobre este tema, pois constitui um desafio com o qual me enfrento todos os anos. Na verdade, já nem enfrento este desafio. Simplesmente reconheço-o e aceito-o. No verão corro menos, no verão treino menos. Ponto. No verão está calor e é para aproveitar para estar com amigos na praia, em churrascos e festas.

 

É por isso que nos meses de Setembro e Outubro ainda não em me aventuro em provas longas. É nesses meses que me dedico à recuperar a forma pré-verão. Este ano, tenho um desafio adicional. A maldita anemiaLembram-se de eu ter falado nela?

 

Foi no final de 2015 que descobri que sofria de anemia. Foram o cansaço extremo e dificuldades respiratórias que me fizeram ir ao médico. Rapidamente comecei a tomar suplementação de ferro. No entanto, o médico na altura, não fez análises profundas de forma a analisar qual a origem do problema. Seria falta de absorção ou falta de ingestão? Agora que estou “viciada” no ferro, já não se pode fazer essas análises.

 

Com a ajuda do ferro, tenho-me sentido muito bem. Nos meses de Janeiro a Maio estive forte, com bons desempenhos na corrida e na vida além-corrida. Agora estou então numa fase de “desmame”. Deixei de tomar a suplementação de ferro no início de Junho e vou ter que aguentar a anemia até Setembro. Nesses três meses, dá para fazer o desmame completo e voltar a fazer análises, desta vez bem completas, para atacar o problema na origem.

 

Enquanto estava a tomar a suplementação, tenho vindo a vigiar os níveis de ferro. Por exemplo, depois da maratona de Barcelona fiz analises ao sangue para ver se a corrida de longa distância teria um impacto imediato nos níveis de ferro e hemoglobina. Resposta: não. O ferro estava a fazer o seu trabalho.

IMG_20160409_131550.jpg

De momento, em fase de desmame e em pleno de verão, tenho corrido pouco. Na verdade, os sintomas do cansaço e leveza na cabeça às vezes atacam. No entanto, mantenho a minha prática de yoga (que já não é diária, mas continua a ser pelo menos 3x por semana) e as aulas de RPM às segundas-feiras. A pouca corrida que tenho feito tem sido com a Run in Portugal, um projeto de guiar turistas a correr pela cidade. É muito giro. Cada corrida é com uma pessoa diferente, de uma origem diferente e por um percurso diferente. Mas tenho que ter cuidado para dar o devido descanso ao corpo.

 

Este fim-de-semana estarei por Lagos, por motivos profissionais. Irei aproveitar a minha estadia cá para participar na Corrida da Baía de Lagos. É uma corrida gratuita de 3km pela areia da Meia Praia. Vamos ver como corre. Nunca participei numa prova tão pequena nem numa prova em areia : )

 

E vocês, como se safam a correr no verão?

Ode a quem tem uma vida ocupada e corre

bo-irik-running-0108.jpg

 

Por Bo Irik:

 

Às mães e pais que trabalham a tempo inteiro, aos jovens que têm que lutar e dar tudo para garantir uma carreira de sucesso no futuro, a toda a gente que tem a agenda cheia e mesmo assim consegue arranjar um espacinho para correr: parabéns.

 

A missão do blog Correr na Cidade é inspirar. É inspirar pessoas a largarem o sofá e começarem a correr. É inspirar alguém que já corre 10km a fazê-lo em menos tempo. É inspirar alguém que já corre uma Meia Maratona a correr uma inteira. Mas nem sempre as pessoas por detrás deste blog se sentem aptas a inspirar. Neste momento, sinto que eu é que preciso de ser inspirada.

 

Estou a passar por uma fase da minha vida profissional muito interessante, muito desafiante e com oportunidades brutais. Estou mega feliz e motivada. No entanto, estas fases costumam vir acompanhadas de pressão e stress. E, em paralelo com alguns obstáculos familiares que nem merecem aqui serem mencionadas, sinto que não estou na melhor forma mental.

 

Corro porque gosto. Faz-me sentir bem. Fisicamente, mas também porque ajuda a equilibrar a parte mental. E por isso, aprecio correr ao final do dia, depois do trabalho, para desanuviar. Contudo, nas últimas semanas, tem sido difícil encontrar um espacinho na minha agenda para praticar desporto. O trabalho tem sido mais importante. E quando não trabalho, só quero dormir. Deparei-me com 7 dias seguidos sem praticar desporto! E tão bem que soube quando voltei a suar! É realmente muito importante ter noção do quão bem o exercício nos faz e incluí-lo obrigatoriamente na nossa agenda. Merecemos.

bo-irik-running-0069.jpg

 

Sou uma pessoa muito energética e ultimamente tenho sentido os níveis de energia um pouco em baixo. Em paralelo, mesmo depois de uma noite boa de sono, sentia-me com vontade de dormir mais. E também a respiração. A respiração, por vezes, tende a ficar muito acelerada quando pratico o mínimo de exercício. Foi por estes sintomas que decidi fazer análises ao sangue. E sim, tenho anemia. Nas próximas semanas, tenho que descansar (ainda) mais, comer bem (e fazer suplementação de ferro) e minimizar os treinos. Digo minimizar porque preciso dos treinos.

 

Foi pela redução progressiva de treinos (sem querer) e pelo diagnóstico da anemia, que decidi escrever este texto (não é bem uma ode) para demonstrar a minha admiração por todos aqueles que têm as agendas cheíssimas e mesmo assim conseguem correr (e ter excelentes resultados) e manter o corpo saudável.  

 

És uma pessoa destas? Tens alguma dica ou sugestão? : )

 

Obrigada,

Bo

 

Fotos por Luciano Reis.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D