Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correr na Cidade

Venham correr: 2ª edição da corrida TSF Runners

percursos2.jpg

Enquanto a Primeira edição da Corrida TSF Runners decorreu em Outubro de 2013, agora, a segunda edição será já em Julho.

 

Julho? Será Julho um bom mês para provas? É pois! A prova TSF Runners é às 9h00, ou seja, se acelerarem bem, acabam a corrida antes da hora de maior calor. Uma prova em Julho pelas 9h00, uma ótima razão para acordar cedo e fazer exercício não?

 

Para nós sim, é uma ótima razão e dia 5 de Julho, pelas 9h00, estaremos na linha de partida em Belém, na Praça do Império, para percorrer 10km. Vamos correr sempre junto ao rio. A prova terá duas distâncias - 10 Km e 5 Km - compreendidos entre Pedrouços e Santos. Toda a atividade do evento irá centrar-se numa das ruas laterais à Praça do Império em Belém.

 

As inscrições já são abertas e até dia 21 de Junho são apenas 8€ para os 10km e 5€ para os 5km. Ao comprar o teu dorsal numa loja SportZone ainda tens 25% de desconto em cartão!    

 

Em 2013, o Carlos Sá foi Padrinho da Prova e a corrida teve como vencedores Bruno Fraga e Vanessa Fernandes.

 

Vejam como foi:

 

As inscrições já estão abertas. Venham correr connosco.

Tempos Difíceis

IMG_0246.JPG

Desde o dia 21 de dezembro até à data que tenho estado um pouco afastado das corridas. Adoro correr e sempre que o faço acabo satisfeito e digo para mim próprio que amanhã recomeço com regularidade. Mas por um ou outro motivo estes tempos têm sido difíceis. Diz-se que quanto menos se corre menos vontade se tem. Talvez.

 

Nos últimos 23 dias corri 3 vezes. A média é inferior a uma corrida por semana, longe dos tempos em que corria 300km por mês. Já culpei o tempo, as doenças, o azar, os outros e se calhar ainda não olhei para o meu umbigo e fiz uma reflexão séria sobre o porquê de não estar a correr. Foram somente uma série de acontecimentos casuais uns atrás dos outros? Efetivamente tive algum azar com as lesões? Será que perdi alguma da vontade? Ou se calhar precisava de descansar e não o querendo fazer estou inconscientemente a fazer uma pausa? Não sei e não ainda não tenho uma resposta para isto.

 

Mas quero correr, aliás preciso de correr para me sentir melhor, é um dos meus escapes e uma das formas que tenho de gerir o stress e por as ideias em ordem. Aliado a isto, em Abril vou pela 1ª vez tentar uma distância superior a 100km e tenho que treinar para isso. Mas não consigo. Não tenho forças. Hoje, mais uma vez, pus o despertador para às seis da manha, até programei 4 alarmes diferentes, mas de nada me valeu. Não tive energia para me levantar e ainda não foi desta que corri. Nem sei se hoje o irei fazer.

 

Começar, ou neste caso recomeçar é a parte mais difícil. Para sairmos do sofá e da nossa zona de conforto precisamos de vontade e força. Já não sei o que fazer.

 

Mas como já li algures, a culpa é do tempo, no inverno é tudo mais difícil, só pode.

 

Boas corridas.

Race Report: O meu primeiro Ultra de 100K

 

Por Stefan Pequito:

No passado sábado, dia 17 de maio, decorreu o Ultra Trail de São Mamede (UTSM), prova do campeonato nacional de trail. Como alguns leitores sabem, só em janeiro comecei a correr Ultras e na altura nem pensava sequer em provas de 100 quilómetros.

Mas um dia ao passar pela loja da Pro Runner em conversa com o Ricardo Arraias falou-me da Prova Rainha do trail e acabei por cometer a “loucura” de me inscrever. E desde esse dia que comecei a treinar com esse objetivo.

 

A aventura do UTSM começou na véspera onde desde arrumar tudo para que nada faltasse e ir apanhar o autocarro com amigos. Foram duas horas e tal de viagem com uma paragem pelo meio para comer massa de atum com banana, LOL.

 

Mal chegámos fomos buscar o dorsal e entregar a mala de muda de roupa. Depois foi o momento da “seca” de esperar pela partida. Pelas 23 horas fui ao controlo e lá entrei na “jaula” para o arranque. Fui um pouco lá para a frente e encontrei o Emanuel Manchada. Arrancámos pelas 00h todos juntos naquela loucura.

 

 

Os primeiros 20k foram bastante corridos. Até achei que tinha corrido demais já que os fizemos em 2 horas e pouco, confesso que fiquei com algum receio pois ainda faltavam 80 (84) quilómetros...Também pelos 20 e tal quilómetros começaram as subidas e aí as coisas começaram a doer.Posso dizer que é muito complicado correr noite dentro e muito cansativo em termos mentais, faz-nos entrar um pouco em modo de loucura, mas a companhia do Emanuel foi uma grande ajuda.

 

Pelos 40 quilómetros posso confidenciar que estava todo “rebentado” e a cabeça já pregava partidas: desde de ter fica daltónico, a rir sozinho, a ter dores nas fibras todas do meu corpo. Sou sincero, pensei que não conseguia correr mais.Pelas 5h30m nasceu o o sol e recarreguei. Ganhei outra genica e as forças voltaram, e lá fomos nós para mais subidas e descidas no meio do mato. 

 


Às 8h30m chegamos as 60k e fiz a troca de roupa - e ainda bem pois o calor já estava bem alto. Entretanto, o meu companheiro de corrida Emanuel aleijou-se e ficou mesmo por ali. Comi uma sopinha bem boa de legumes e arranquei de seguida, no entanto foi complicado aquele reinício pois passamos por um empedrado romano horrível.

 

Às 9h partiram os corredores da distância dos 42K, que passavam por nós a toda a velocidade. Um pouco mais a frente encontrei o Paulo Pires e o Ricardo Nos Trilhos e fui acompanhando estes dois senhores dos trilhos. Corremos por trilhos tramados no ritmo constante e forte para quem já tinha 70k em cima.

 

Calor, muito calor. Fiquei sem água duas vezes, mas tive a sorte de os packs serem perto e nunca fiquei mal. Aos 80 bateu o azar ao Paulo e tivemos de abrandar um pouco. Aos 90k decidi dar mais uma arrancada e ver no que dava. Foi uma boa decisão pois o corpo respondeu bem e consegui fazer uma recuperação de 15 minutos tendo ultrapassado quase 10 pessoas.

 

Cheguei ao fim com 15 horas 29m e mesmo com os 104k nas pernas ainda fiz a volta toda ao estádio (local de chegada) em sprint (mas mais lento do que o meu normal). Fiquei em 93º da classificação geral e em 43º no meu escalão. Fiquei contente pelo meu primeiro ultra de 100k ter corrido muito bem, mas fiquei com a sensação que podia ter feito melhor.

 

Para o próximo ano há mais! E vou fazer tudo para conseguir ainda melhor de que neste ano de estreia. Foi, para mim, a aventura do ano até ao momento. A prova teve tudo muito bem organizado e os corredores contaram sempre com o apoio da população.

 

Agora que venha a próxima prova de 100K que espero que seja o UTAX!

 

Não posso terminar este relato sem os meus agradecimentos aos Miguel Santos (massagista desportivo) e ao Ruben Gonçalves (osteopata) pelo apoio que me deram e de terem posto o meu corpo “direito”. À minha running crew  (Correr na Cidade) que sempre acreditou em mim, e principalmente ao Pedro Luiz que sempre acreditou que eu era capaz e que me trouxe há cerca de 1 não para o mundo das corridas e, mais precisamente, há sete meses para os trilhos. Agradecer também à  minha família que me sempre me apoiaram e à loja Girassol pelos conselhos de material de nutrição. E ainda um muito obrigado a e a todos que me apoiaram nesta “loucura”. 

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D