Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correr na Cidade

Supinador, Pronador ou Neutro - ou é tudo uma grande treta?

IMG_2429

Por Filipe Gil:

Primeira nota antes de continuarem a ler este post: sou da opinião que cada corredor deve ir experienciado por si próprio o que lhe faz melhorar a performance a correr. Seja no calçado, no vestuário, na alimentação, no método de treino, etc. Esta não é mais do que uma opinião pessoal. Vale o que vale.

 

Posto isto, apetece-me escrever sobre a questão do calçado de corrida desde que um dia destes, num treino coletivo, um corredor que corre mais rápido do que eu – e se calhar há mais tempo – me perguntou: “mas o que é isso do calçado minimalista?”. Os quilómetros seguintes foram passados a discutir a questão minimalista e também quem era pronador, supinador, e os tipos de ténis que existem.Isto tudo aliado ao fato de ter recentemente lido o livro “Born To Run”, do norte americano Christopher McDougall e de ter começado a correr com uns sapatos minimalistas, fez-me refletir sobre a industria do calçado e da quase "heresia" de alguns corredores não saberem a sua passada correta. Será que isso realmente importa?

 

Toda a gente que começa a correr, com a pouca informação habitual de quem se inicia em alguma coisa nova, compra os ténis de corrida que acha mais bonitos. Depois, quando o “bicho” da corrida se agarra e se começa a correr distâncias maiores, participar em provas, etc, tudo muda. Com mais informação descobrimos que somos “pecadores” e que gastámos uma bela quantidade de euros sem antes fazer “o teste do passada” e termos o nossa etiqueta: supinadores, pronadores ou neutros.Eu, claro, passei por esta fase toda. Sempre tive ténis neutros (só mais tarde vim a saber disso) e depois de fazer o meu teste, e tendo o veredicto indicado: pronador, embora suave - passei a usar ténis apropriados para a minha passada.

 TiposPisada-729785

Ou melhor, foi uma bela desculpa para gastar mais 150€ nuns ténis feitos a pensar em corredores como eu. Mas, curiosamente, depois disso passei a ter algumas lesões, (embora mínimas), ganhei bolhas sem parar (daquelas com sangue que nos fazem coxear durante três dias seguintes). No meio desta luta, comecei a ler mais sobre o assunto - e aí chegou ao livro do McDougall - e descubro que para além do vernáculo supinador, pronador, “neutrador” há também o midfoot strike (pisada com o meio do pé) e o forefoot stike (pisada com a parte da frente do pé).

 

Confesso que comecei a ficar muito irritado com esta história toda. Com isso e com as bolhas e o incómodo que os meus ténis “especialistas” me faziam a cada corrida com mais de 10K de distância.Mas a maior sorte estava para acontecer. Por causa deste blogue uma marca norte-americana, que sequer desconhecia que tinha ténis de corrida, enviou-me um par de ténis minimalistas (confesso que ainda hoje não gosto da cor). E a partir daí, eu pronador, comecei a descobrir um mundo novo. Não é que uns ténis minimalistas com 4 mm de altura no calcanhar (o normal são 12 mm), neutros, com espaço para os dedos da frente se estenderem, se tornaram os meus ténis? Os adequados à minha passada e à minha forma natural de correr? Deixei de ter lesões. E apesar de não terem muito apoio, nem mega suporte de amortecimento, já fiz uma Meia Maratona com eles e acabei sem bolhas. Isto, quanto a mim, põe em causa toda esta febre dos supinadores vs pronadores, etc. Dei-me bem com este tipo de calçado, minimalista, inclusive já voltei a correr com os outros “normais” mas cada vez que o faço arranjo uma pequena lesão.

 

O meu veredicto, vale o que vale, é: isto é tudo das passadas supinadoras, pronadoras e neutras se calhar, não passa de uma grande treta! Procurem os ténis que vos deem melhor performance e melhor conforto e não liguem muito ao que as marcas dizem, aliás, até elas andam na dúvida em qual o tipo de passada, e de modelo de ténis, devem apostar junto dos consumidores.Oiçam o vosso corpo e os vossos pés, experimentem várias marcas com vários tipos de passada, se possível. No meu caso está a funcionar o midfoot strike e o forefoot strike. No vosso caso podem ser pronadores, neutros, supinadores ou minimalistas. Mas só vocês sabem e devem escolher o que é melhor para vós. E só mais uma dica, só correndo muito chegarão ao vosso veredicto.

 

Boas corridas!

32 comentários

Comentar post

Pág. 1/4

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D