Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correr na Cidade

Sofia Roquete: depois do OMD, segue-se o Louzan Trail (entrevista)

 

DSC_0187.JPG

Entrevista feita por Ana Sofia Guerra

 

Já estamos habituados a ouvir este nome no pódio de algumas provas de trail nacional, Sofia Lopes Roquete, também conhecida como "Rocket Girl". A sua força de vontade e sorriso cativante inspira muitos outros atletas, principalmente, mulheres que a veem como um exemplo a seguir. Ainda na fase de recuperação pós a prova Oh Meus Deus, tivemos a oportunidade de a entrevistar e saber um pouco mais sobre esta "salamandreca".

 

Em poucas palavras: quem é a Sofia Lopes Roquete?

Sou uma amostra de gente (sorriso) com apenas 1,53mts, bem casada, mãe de duas meninas que me deixam os cabelos em pé e apaixonada por desporto.

 

Como é que a corrida entrou na sua vida?

Eu frequentava apenas o ginásio, mas a minha irmã já corria. Por insistência dela para ter companhia, quis que fosse fazer uma prova de 10 km (a corrida do Destack) onde, no final, fiquei a andar feita perna-de-pau, cheia de dores musculares e a dizer que aquilo era uma loucura… passado pouco mais de um mês já tinha feito outra prova, e assim já se passaram pouco mais de 3 anos.

 

 

DSC_0198.JPG

Qual foi a prova que lhe deu mais prazer de participar? E a mais difícil?

Ui, são tantas as que gosto, mas talvez o Monte da Lua, 52kms, organizado pela Horizontes, teve um significado especial, pois é realizado na Serra de Sintra, local onde treino.Quanto à mais difícil é, também, a mais desafiadora do meu curriculo desportivo: as 100 milhas (163kms) do “Ultra Trail da Serra da Estrela - Oh Meu Deus”, a percorrer a maior Serra de Portugal (muito desnível acumulado), sobre um calor tórrido que rondou os 36ºC, em que tive que gerir a alimentação, hidratação e o cansaço, tudo isto numas desafiantes 28h46m.

 

Qual foi o ponto mais alto da sua carreira no trail running?

Felizmente, tenho vindo a superar-me. Este ano está a correr muito bem: em todas provas realizadas obtive pódio, a destacar Abutres 50kms e São Mamede 100Kms em 2º lugar da geral feminina, e Sicó 115kms e Oh Meu Deus 163kms em 1º lugar da geral feminina.

 

Como é que consegue conciliar os treinos, provas (algumas bem longe de casa), tempo para a família e para o trabalho?

Estou há pouco tempo desempregada, mas quando não estava, treinava na maioria das vezes à hora do almoço, e depois às 22h, que é quando as minhas filhas já estão a dormir. Nos treinos longos ao fim de semana, tenho o apoio do marido que fica com a pequenada.Geralmente, as viagens são partilhadas com amigos para diminuir os custos de deslocação e o meu marido faz sempre parte do grupo.

 

Que tipo de treinos costuma fazer? Junta a corrida com mais alguma modalidade?

Faço corrida tanto em estrada como serra, bicicleta, natação e aulas de alongamentos.

 

E, neste momento, está a treinar para alguma prova em especial?

Tenho um super desafio para Agosto, o PT281+ Ultramarathon. Até lá tenho algumas provas que também me ajudam a preparar.

 

Qual a prova que mais gostaria de participar mas que ainda não teve oportunidade?

Em Portugal gostava de participar no Ultra Trail da Serra da Freita, a Ultra Maratona Atlântica Melides – Tróia; no estrangeiro, começa a ficar o “bichinho” de fazer o Ultra Trail Mont Blanc, ou qualquer prova do campeonado mundial de trail running.

 

DSC_0202.JPG

Quem são os seus ídolos ou quem mais admira no mundo da corrida?

Tenho uma grande admiração por uma senhora de 72 anos que já percorreu dezenas e dezenas de ultras maratonas, a pequena grande Analice Silva, uma verdadeira força da natureza e de uma simplicidade que me inspira.

 

Que conselho daria a uma pessoa que está a entrar no mundo do trail running agora e que, tal como a Sofia, tem filhos e trabalha?

Tudo é possível! Em média, um trabalho ocupa-nos 8 horas diárias. Por isso, sobram muitas horas do dia, para poder dedicar 1h ou mesmo 45min, por alguns dias da semana. É, principalmente, uma questão de boa gestão: há quem acorde às 5h da manhã para treinar, claro que se tiver uma boa base em casa, tudo fica mais facilitado.Também aconselho a procurar algum grupo que treine na serra: eu, por exemplo, cresci como atleta no Trail da Salamandra, grupo que se reune às quintas-feiras às 21h na Serra de Sintra, para várias horas de treino pela noite dentro.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D