Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correr na Cidade

Review: Saucony Kinvara 5

Por Nuno Ferreira:

 

Os Saucony Kinvara são conhecidos e admirados em todo o mundo desde que o primeiro modelo foi lançado em 2010. A quinta versão dos Saucony Kinvara, prestes a ser lançada no mercado Português, não fica atrás e posso dizer com toda a confiança, que se tornaram nos meus sapatos preferidos, principalmente para treinos mais curtos e rápidos. Infelizmente, a lesão no joelho direito que me atormenta há demasiado tempo, não me permitiu treinar com a regularidade e intensidade a que estou habituado e calcei os Saucony apenas em treinos demasiado espaçados e mais leves. Tinha planeado fazer o teste definitivo durante a última Corrida do Tejo, mas tal não foi possível por motivos profissionais e pelo cansaço extremo que estava a sentir no dia da prova.

 

 

Já tinha falado na leveza (236g, tamanho 46) e no conforto dos Kinvara 5 na minha primeira impressão deste modelo que pode ser lida aqui e os restantes quilómetros que fiz, permitiram quebrar ainda mais os sapatos. A experiência só podia melhorar e assim foi. Agora com quase 100Km, sinto que os Kinvara se adaptaram perfeitamente ao meu pé e ao meu tipo de passada.

Embora direccionados para corredores leves e neutros, consegui usar este modelo sem qualquer problema e, quem me conhece bem, sabe que sou um corredor pesado e com passada pronadora. No entanto, a estrutura dos Kinvara proporcionaram estabilidade suficiente para correr sem acentuar a minha pronação e a adição de borracha iBR+ extra na sola, também ajudou.

 

 

Ajuste / Conforto

 

Tenho um pé grande e largo. Pronto, está dito! Independente da marca, tenho de usar sempre um tamanho entre 45,5 e 46. Gosto de ter bastante espaço à frente e de lado, para que o meu pé se possa movimentar à vontade. Geralmente, isso faz com que a zona do calcanhar fique demasiado larga, obrigando a apertar mais os atacadores e a usar os dois furos extra junto ao tornozelo. Com os Kinvara 5, não tive essa necessidade, não só graças ao espaço extra à frente, algo que a Saucony desta vez deu muita atenção ao escutar as opiniões e sugestões dos utilizadores dos modelos anteriores, mas também graças ao novo o sistema PRO-LOCK®, que consiste num triângulo de cada lado do sapato, feito num material flexível que vai desde a sola até à parte superior do pé, fazendo lembrar o sistema Flywire da Nike.

Pela primeira vez, não senti que os atacadores estivessem demasiado apertados e não tive a necessidade habitual de deixar os atacadores mais soltos para evitar a pressão no peito do pé. A zona do calcanhar também foi redesenhada e reforçada com o novo material RunDry®, acabando por subir mais um pouco, proporcionando um ajuste mais confortável e mantendo o calcanhar no lugar.

 

Embora a “língua” seja muito macia e um pouco maior que nos modelos anteriores, proporcionando maior conforto e evitando que os atacadores façam demasiada pressão no pé, continuo sem perceber porque razão as marcas continuam a não coser a “língua” às laterais do sapato, evitando assim que esta ande de um lado para o outro, expondo quase sempre o peito do pé. Pelo menos, é o que acontece comigo.

 

Ao correr com os Kinvara 5, não pude deixar de reparar como são muito confortáveis e macios. Mesmo sendo um corredor pesado (90 Kg), o amortecimento supera tudo o que calcei até hoje e termino os treinos menos cansado das pernas. Pensei que fosse apenas impressão minha, mas a mesma sensação manteve-se treino após treino. E isso é muito bom! 

 

 

Qualidade de construção

 

Não há qualquer dúvida que a Saucony soube ouvir os corredores e corrigiu os problemas da qualidade de materiais usados na construção dos modelos anteriores dos Kinvara, principalmente na parte frontal. Até agora, a parte superior está como nova e sem sinais de degradação e longe ficam as opiniões negativas que relatavam buracos nas zonas dos dedos ou lateralmente.

 

Os materiais usados são da melhor qualidade e nota-se perfeitamente que a Saucony fez uma selecção criteriosa dos mesmos. Graças aos materiais usados na “rede” que envolve os sapatos, os Kinvara 5 são muito respiráveis e não tive qualquer problema de aquecimento dos pés, mesmo durante os dias quentes de verão, onde as temperaturas andaram perto dos 40ºC na zona de Santarém. O uso de Flexfilm na parte superior, mantém toda a estrutura do sapato intacta, evitando que o pé ande de um lado para o outro.

 

 

 

Visual

 

Confesso que a cor verde que a Saucony forneceu para teste me deixou um pouco de pé atrás. Gosto bastante de cores mais sóbrias e que chamem menos a atenção, mas rapidamente deixei esse preconceito de lado e hoje adoro o tom verde vivo dos Kinvara. É rara a vez que não vejo outros corredores a olhar para os meus pés. De todos os modelos que uso, os Kinvara 5 são o modelo que mais se destacam visualmente e dou por mim a querer agarrá-los cada vez que vou treinar.

 

 

 

Sola

 

Mesmo depois de quase 100Km já corridos, a sola dos Kinvara mantém-se quase inalterada. É notório algum desgaste na borracha EVA+, a borracha branca, mais macia e com excelentes propriedades de amortecimento, o que é perfeitamente normal. A Saucony fez algumas alterações na sola do modelo 4 para o modelo 5, principalmente no reforço lateral exterior, ao aplicar borracha iBR+ mais dura e resistente em zonas onde o impacto é maior, aumentando assim a durabilidade dos Kinvara. Apesar da inclusão deste material mais rijo, os Kinvara 5 são muito maleáveis e absorvem bem o impacto. As minhas pernas agradecem.

 

 

Os cortes e vincos bem marcados na sola e as propriedades maleáveis da borracha EVA+, permitem também que os Kinvara sejam extremamente flexíveis, ao ponto de os conseguir enrolar totalmente. Os pés podem assim se adaptar a um estilo de passada mais natural, evitando a rigidez tão característica de muitos sapatos de treino.

 

O que poderia ser mudado na sola? Talvez a inclusão de um pouco de borracha mais resistente na parte interior. Sei que acrescentaria mais uns gramas de peso, mas isso ajudaria também a dar um pouco mais de estabilidade, para além de garantir uma maior durabilidade e mais alguns quilómetros acumulados.

 

 

Conclusão

 

A marca Norte Americana voltou ao bom caminho com os Kinvara 5, fazendo esquecer os modelos anteriores e bem menos sucedidos e, embora ainda não sejam comercializados em Portugal, o sucesso que este modelo está a ter lá fora, prova que os corredores estão muito satisfeitos. Para mim, os Kinvara 5 são sem dúvida os melhores sapatos de treino que já calcei e sei que lhes vou dar bastante uso. Só falta ficar totalmente bom do joelho, mas isso é outra história.

 

 

Ajuste/Conforto: 5/5

Qualidade de construção: 4/5

Visual: 4/5

Sola: 4/5

 

Total: 17/20

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D