Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correr na Cidade

Review - Puma Faas 500 TR – Uma puma nos trilhos

 

transferir.jpg

Decidimos fazer uma review a três, o Filipe, o Nuno Malcata e o Pedro Tomás Luíz andaram a experimentar este modelo da Puma para os trilhos. Apresentamos as suas ideias e opiniões.  

 

DESIGN

Filipe: São ténis bonitos. As cores combinam muito bem, mas podiam ser mais vibrantes. Se bem que nos trilhos, depois de uns quilómetros, com pó ou com lama, todos eles ficam de cor castanha/acinzentada. No entanto, são diferenciadores do que existe no mercado. Eu já vi a versão 2.0 deste modelo e a estética ficou ainda melhor do que nesta primeira versão. De qualquer forma, têm um design interessante.

 

Nuno: Não sou fã do look, à primeira nem me pareciam ténis de trail, mas quando vi a sola agressiva gostei, dá um look mais agressivo que procuro nuns ténis de trail. As cores sendo muito suaves estão bem conjugadas, mas prefiro ténis mais coloridos.

 

Pedro: Confesso que a escolha das cores não é para mim de todo a mais feliz. O verde, o cinzento misturado com aqueles laivos de laranja/vermelho fazem uma combinação esquisita (mas isto vindo de um tipo que lê as etiquetas para ter a certeza das cores, soa no mínimo estranho). Quanto design propriamente dito, ele deriva claramente da linha mais casual da Puma, com listas laterais a marcarem toda a estética da sapatilha.

 

CONFORTO

Filipe: São confortáveis, mas nada de exageros. Pessoalmente nunca tive problemas. Nem unhas perdidas, nem bolhas. O máximo que já fiz com estes senhores foram 28 quilómetros seguidos, nos lamacentos trilhos de Bucelas. Geralmente meço o conforto dos ténis de trail pelo esquecimento que tenho deles em prova. Eu explico: quanto menos me lembrar que os tenho calçados, mais me indicam que funcionam bem com o resto do corpo. Quando treino com eles, ou mesmo nas provas, não os senti, ou seja, são confortáveis o suficiente para não me lembrar que tenho ténis calçados. Uma nota, nunca apanhei muito chuva com eles, mas já passei riachos e secam bem rápido.

 

Nuno: Usei os ténis em treinos mais curtos de 10km até treinos de 25Km, e algumas provas. São confortáveis QB, não tive quaisquer sinais de bolhas ou pontos de irritação por fricção, têm uma boa forma. A correr senti sempre que era possível passar por cima de tudo, a sola dá conforto para atacar forte os terrenos mais agressivos, apesar de achar que por isso mesmo se perde um pouco a sensibilidade do pé ao solo. O que se perde em sensibilidade ganha-se em aderência, bastante boa em quase todos os tipos de terreno, a subir ou a descer. A exceção é pedra molhada, após um treino em trilhos voltei para casa a chover e correr com eles em passeios molhados é quase digno de patinagem no gelo.

 

Pedro: Há que dizer que o interior está muito bem construído, sem costuras ou coisas esquisitas em sítios impróprios para umas sapatilhas de corrida. No entanto o “casamento” com estas sapatilhas teve uma fase inicial atribulada, principalmente o meu pé esquerdo, que teimava em doer. Assim, só ao fim de uns 60km, e com um boost extra para “partir” as sapatilhas, pude realmente começar a desfrutar das mesmas. Nunca me fizeram uma bolha, nem nunca senti nenhum ponto de fricção que pudesse vir a gerar uma (usei em treinos de até 25km).

17234748_LP2dk.jpeg

AMORTECIMENTO


Filipe: Nota prévia. Como são ténis para neutros eu meto-lhes as minha palmilhas para pronador o que faz com que qualquer modelo de sapatilha perca um pouco o amortecimento. Todavia, não são muito “amortecedores”, o que para mim é um aspecto positivo. Os seus 4 mm de drop ajudam a ter uma passada mais natural. Sinto, no meu caso, que a sola é algo dura, mas isso dá-me alguma confiança para  pisar algumas pedras mais salientes. Aconteceu-me ter enfiado um parafuso inteiro no pé, espetado – provavelmente nos trilhos de Bucelas, e não senti nada. A dureza e resistência das solas tem destas virtudes.

 

Nuno: Como já referi no conforto, a rigidez da sola é muita, transmite segurança e bom amortecimento, nota claramente positiva neste aspeto. Apesar disso, após 3 utilizações tive a infeliz coincidência de ter pisado mal uma pedra e ter ficado dorido na planta do pé durante bastante tempo. Na altura associei aos ténis, mas após tratamento e debilitação do problema já voltei a correr com os Puma algumas vezes sem qualquer problema e voltei a ganhar confiança no nível de amortecimento.

 

Pedro: Para mim este é o ponto forte dos Puma, aleado a um drop de 4mm, têm um amortecimento exatamente como gosto, ou seja algo duro mas presente (odeio o efeito “pantufas”).


ESTABILIDADE

Filipe: Não são sapatilhas para corredores que necessitam de estabilidade como eu. Por isso tenho de lhes meter palmilhas, como já indiquei. Apesar do modelo se ajustar perfeitamente ao pé, os atacadores (atilhos) são fortes e interessantes, mas noto que à medida que vou correndo mais com os ténis eles vão perdendo um pouco a sua forma inicial e estão a ficar um pouco mais “largos” no espaço da frente do pé – o que pode ser uma coisa boa para conforto para corridas mais longas. De todos os parâmetros aqui avaliados é na estabilidde que acho que falta "algo" a estes Puma.

 

Nuno: Sendo corredor neutro, com alguma tendência para pronação ligeira, em termos de estabilidade achei os ténis adequados, permitindo uma boa amarração, o pé fica bem acomodado sem movimentações estranhas. O espaço para os dedos é bom, não sendo tão à vontade como outros modelos que prefiro neste aspeto.

 

Pedro: Nada de especial a apontar, fazem o seu papel. O pé fica bem ajustado à sapatilha, mesmo após estas ganharem as folgas habituais. Os cordões apesar de no início ter sentido alguma folga no calcanhar, funcionam muito bem e permitem um bom aperto dando confiança para as descidas mais rápidas.

 

17205253_ZcEOK.jpeg

 

PREÇO

Filipe: O preço, PVP de 120 euros, mas atualmente e como estão para ser substituídos na gama, consegue-se encontrar este modelo muito mais barato. No site da Puma estão a 60 euros. Em Portugal, sabemos que se vendem do El Corte Inglés e também aí devem ter tido uma baixa no preço inicial, uma vez que o novo modelo deverá chegar ao mercado nacional em finais deste mês (Março). A este preço são ténis muito recomendáveis para corredores dos trilhos até provas de 50km, na minha opinião, não deixam nem os mais inexperientes nem os mais experientes descontentes.

 

Nuno: Não são um modelo de referência em Trail para o PVP com que entraram no mercado (120€), embora com boa qualidade deveria ter existido uma aposta da marca em valores mais competitivos. Nesta fase que já se conhece o novo modelo, estão com desconto de 50% na própria marca, o que já possibilita uma boa aposta para quem ainda os adquirir.

 

Pedro: O PVP de 120€ podem nos levar a optar por outras marcas mais estabelecidas ou por modelos mais conceituados.

 

Conclusão:

Filipe: São o modelo que me têm acompanhado nos trilhos e na preparação para o Ultra do Piodão. Se no início tinha algum receio que não fossem os ténis melhores para esta preparação e para esta prova, porque a Puma não é uma marca que aposta muito no trail running, por enquanto, hoje estou seguro que são capazes de me ajudar a fazer os meus 50 kms confortavelmente.

Nuno: Tive a sorte de ficar com este modelo porque o Filipe estava a testar mas o tamanho era demasiado grande e era exatamente o meu. Foram os meus segundos ténis de trail e os primeiros que pude comparar com os primeiros que tive e continuam a ser dos meus preferidos, apesar de nesta fase já ter testado mais alguns modelos. São uns ténis que uso regulamente para treinos pequenos, e gosto, mas não são a minha aposta para provas maiores.

Pedro: Com o tempo seco, foram sapatilhas que me deram confiança em todos os tipos de terreno, inclusive rocha. Com tempo molhado (nunca os usei com lama nem com chuva torrencial), a sola parece barrada em manteiga, sendo que tanto faz entrar de ponta ou de calcanhar que o resultado vai ser o mesmo. No entanto, e apesar disto ressalvo que a estabilidade o amortecimento destas sapatilhas aliadas a uma excelente construção vão fazer com que as FAAS 500 TR estejam na minha rotação até se desfazerem (o que a ver pelo desgaste atual vai demorar muitos, muitos, muitos km a acontecer).

 

 

VOTAÇÃO FINAL FILIPE

Design: 17 / 20
Conforto: 17 / 20
Amortecimento: 17 /20
Estabilidade: 17 /20
Preço: 16 /20

TOTAL: 84 /100

 

VOTAÇÃO FINAL NUNO

Design: 14 / 20
Conforto: 15 / 20
Amortecimento: 16 /20
Estabilidade: 14 /20
Preço: 13 /20

TOTAL: 72 /100

 

VOTAÇÃO FINAL PEDRO

Design: 14 / 20
Conforto: 17/ 20
Amortecimento: 19/20
Estabilidade: 18 /20
Preço: 13 /20

TOTAL: 81 /100

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D