Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correr na Cidade

Review: PUMA Faas 300 v3 WN

 

 

PUMA combina equipamentos de alto desempenho com designs exclusivos. Concordo. A marca alemã está progressivamente a conquistar lugar no mundo da corrida. A família Faas tem sido o grande motor desta conquista. Perfeitos para qualquer corredor, projetados para oferecer eficiência, cada membro da família Faas proporciona uma caminhada suave. Com modelos para todos os tipos de corpo e formas de andar, a família Faas oferece opções para todos.

 

O site da PUMA tem uma aplicação interativa para definir qual o membro da família Faas mais indicado para cada corredor. Penso que esta aplicação é muito útil e funcional. Começa por definir qual o nível de amortecimento pretendido. A escala de amortecimento FaasFoam, de 100 a 1000, irá ajudá-lo a escolher o calçado ideal para você. Para uma corrida minimalista, selecione um número mais baixo de amortecimento FaasFoam. Para uma caminhada com mais amortecimento, selecione um número mais alto na escala FaasFoam.

 

Eu selecionei o 300, pois gosto de ténis mais minimalistas mas ainda estou numa “fase de aprendizagem”. Na gama 300 há 3 modelos, tanto para homem e para mulher: o “neutro” (os meus), o “trilha” para trilhos e o novo modelo “estabilidade”. Nesta gama não existe o modelo “corrida” que existe noutras gamas.

 

Assim que calcei os ténis pela primeira vez, notei o drop relativamente elevado para sapatilhas designadas minimalistas, pois é de 8mm. Esta sensação do drop demasiado elevado persiste e tem me causado algum desconforto na planta frontal do pé em treinos mais longos (deve ser do drop elevado em combinação com pouco amortecimento). Curiosamente, o modelo “estabilidade” tem um drop muito mais reduzido, de apenas 4mm.

 

O revestimento da sapatilha é muito moderno e o facto de ser sem costuras permite “perfeição e leveza no suporte e um melhor ajuste”. Concordo com o ajuste mas parece-me que esta tecnologia pode por em causa a durabilidade do revestimento que já apresenta algum desgaste. O futuro o dirá. Os Faas 300 têm algumas especificidades para mulheres: parte dianteira do pé assimétrica desenvolvido para um ajuste melhorado e mais elegante e a área do joanete tem menos camadas para acomodar melhor os joanetes. Concordo.

 

Tenho vindo a usar os Faas em treinos de séries e rampas, no ginásio e, após alguma habituação, também em treinos mais longuinhos. Assim, atrevi-me a experimentá-los em prova; nos 15km da Corrida das Fogueiras. Comportaram-se muito bem, fiz um bom tempo e não me causaram bolhas, apenas a tal impressão na planta frontal do pé, que foi acentuada devido ao piso irregular (os troços de alcatrão em mau estado e calçada não ajudaram). Gostei da experiência e por isso usei-os num treino de quase 20km há duas semanas, onde mais uma vez, apenas persistia a queixa da planta do pé. Acho que me vou ficar por treinos até os 10km… na verdade, é para isso que estes ténis foram desenhados.

Na Corrida das Fogueiras, reparem nos refletores na imagem da esquerda (fotos por: António Luís

Segue o meu veredicto final, sem entrar em grandes especificidades técnicas (que podem ser detalhadamente consultadas aqui).

 

Pontos positivos:

# São realmente leves e rápidos;

# Dão-se muito bem com o calor, pois respiram bem;

# São muito flexíveis;

# Os refletores, em toda a sapatilha, são excelentes para sermos vistos em treinos durante o final de dia, como costumo fazer;

# Este modelo feminino é realmente feminino, ficando muito elegante no pé. São os únicos ténis que também uso em contexto casual.

 

Pontos negativos:

# Por mim, o drop poderia ser mais reduzido. Os 8mm contrariam um pouco o “natural running” que este modelo ambiciona proporcionar com pouco amortecimento;

# Muito confortáveis, mas na calçada portuguesa e pisos mais irregulares podem provocar uma sensação menos agradável no contacto com o solo na planta frontal do pé;

# Os cordões são excessivamente compridos;

# Tenho algumas dúvidas em relação à durabilidade do revestimento da sapatilha que já apresenta algum desgaste enquanto a sola Faas se encontra quase novinha;

# O estilo “natural running”, não necessariemente o ténis em si, não é para todos. Para corredores habituados a ténis com maior amortecimento e controle de estabilidade ou mais pesados, a adaptação a este tipo de sapatilhas deve ser gradual e cuidadosa. Felizmente a família Faas tem opções para todos!

 

Após a boa experiência com estas sapatilhas fiquei com coragem e curiosidade de “minimalizar” ainda mais a corrida e aventurar-me nos Faas 100 com um drop de 0mm. Aguardarei os saldos! :) 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D