Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correr na Cidade

Review: Palmilhas FootBalance

 

Por João Filipe Figueiredo:

Quando pegas numa caneta e escreves qualquer coisa, o resultado é único: a tua caligrafia. Não é por acaso que os documentos mais importantes que te ligam à sociedade onde vives, têm a tua assinatura. O que fazes com as tuas mãos denuncia-te, identifica-te e é único. O mesmo se passa com os teus pés.

 

O teu passo, a andar ou a correr, é único. A tua passada, a forma como distribuis o teu peso na planta dos pés, o teu impacto no chão, o ângulo de inclinação das pernas, são características tuas, únicas e inimitáveis.

 

Há uns anos atrás, quando decidias comprar umas sapatilhas tinhas apenas uma opção personalizável: o tamanho do ténis para coincidir com o tamanho dos teus pés. Actualmente já existem no mercado modelos para os vários tipos de passada: pronadora, neutra ou supinadora. Cada modelo é produzido em série, em larga escala e seguindo um padrão. Mas para chegares à tua “sapatilha perfeita” terás de submeter os teus pés a inúmeras experiências – algumas das quais muito dolorosas. Para te ajudar a chegar ao “estado perfeito” de conforto e ausência de lesões surgiu algo inovador, no vasto e “infinito” mundo do calçado desportivo.

 

Desde o mês de Junho de 2014, e através da 4moove, temos no mercado Português as palmilhas personalizáveis da FootBalance, que podem ser usadas para fins desportivos ou simplesmente para andar, em qualquer tipo de calçado.

 

A Crew “Correr Na Cidade” convidou-me a experimentar estas palmilhas.

 

Primeira fase: a moldagem;

Segunda fase: usá-las em corrida;

 

Aqui fica o meu testemunho:

 

Moldagem das Palmilhas FootBalance:

Fui à Sport Zone do Centro Comercial Colombo e dirigi-me à área FootBalance, já lá estava o Diogo Roquette Osório da 4moove que é o representante no nosso país da marca Finlandesa: a FootBalance, empresa esta que criou estas palmilhas, em parceria com médicos e fisioterapeutas.

 

No meu caso foi o Diogo que moldou as minhas palmilhas, mas alguns colaboradores da Sport Zone tiveram formação específica neste processo, por isso basta vocês dirigirem-se ao pessoal da Sport Zone que eles depois tratam de vocês.

 

O processo inicia-se com o aquecimento das palmilhas e, enquanto estas estão no “forno” eu tenho de fazer uma serie de testes para analisar a minha postura: formato do pé, distribuição do peso, ângulo de inclinação da perna – parece complicado, mas não é. O equipamento computorizado da FootBalance que faz toda esta análise é bastante simples e temos á nossa frente um ecrã que nos vai mostrando todos os resultados da analise: pressões plantares, alinhamento dos pés/tornozelos em diferentes posições e qual o melhor apoio à arcada plantar para o nosso caso.

 

Depois subimos para umas almofadas e colocamos os nossos pés em cima das palmilhas quentinhas e é assim que estas são moldadas, com muita precisão, aos nossos pés. As palmilhas depois de moldadas ficam permanentemente com essa forma, não há risco de se deformarem mais – a não ser que as submetam a elevadas temperaturas.

 

O processo de moldagem dura no máximo 10 minutos. Depois de feitas as palmilhas eu estava ansioso por testá-las.

 

Teste em corrida das palmilhas FootBalance:

Algumas horas depois de moldar as palmilhas, fui experimentá-las.

Coloquei-as numas sapatilhas de passada neutra – as palmilhas FootBalance podem ser colocadas em qualquer tipo de calçado – e fiz-me à estrada.

 

A primeira impressão e ainda a caminhar apenas, foi de sentir um apoio, em toda a arcada plantar, sem ser incomodativo. Depois comecei a correr e tentei esquecer-me que tinha as palmilhas debaixo dos pés. Fiz 11,5km em estrada: com zonas planas, subidas e descidas – algo acentuadas. No fim e quando estava a chegar a casa não senti os pés doridos, não tinha nenhuma bolha nem tinha qualquer ferida. Mesmo depois do duche e de algum tempo sentado, quando voltei a andar não senti qualquer fadiga nos pés.

 

No dia seguinte fui para a zona ribeirinha junto ao Tejo e “estiquei a corda” para uma meia maratona em modo de treino. Nos primeiros 10,5km puxei pelas pernas, pelos pés e pelas palmilhas. Não senti nada de especial. Não senti fadiga nos pés, nem nos tornozelos. Arrisquei atirar os pés para as arestas dos pequenos degraus que encontrava pelo caminho e não senti nenhuma dor na planta do pé – as palmilhas Footbalance têm no meio (midfoot strike) um plástico com uma maior dureza do que no resto da sapatilha. Os segundos 10,5km foram corridos mais lentamente, tentei saborear as passadas nos diversos tipos de terreno: na relva, na gravilha e na calçada portuguesa mais irregular possível.

 

No fim dos 21km senti as dores normais do corpo e senti algo curioso. Sentei-me durante cinco minutos, descalcei-me e confirmei que as palmilhas mantinham a sua integridade, retirei-as das sapatilhas e vi que não tinham qualquer dano, apresentavam as mesmas curvaturas com que tinham saído da loja. Voltei a calçar-me e senti aquela dor característica nos pés de quem acaba de fazer 21kms: os músculos duros, tensos e a resistirem aos movimentos. Mas, e aqui é que reside a curiosidade, dei alguns passos e senti rapidamente o efeito regenerador das palmilhas. Dei umas voltas apenas a andar, e o efeito foi mágico. Os pés desentorpeceram rapidamente e as dores desapareceram, foi incrível!

 

No 3º dia de testes fiz 11,5km, mas agora com mais velocidade. Durante a corrida esqueçi-me das palmilhas e concentrei-me apenas em correr. Só me lembrei das palmilhas no fim do treino, quando supostamente os pés deviam estar cansados e a sentir dores. O efeito das palmilhas sente-se nesta altura: os meus pés estavam impecáveis e não senti qualquer incómodo na arcada plantar ou nos tornozelos.

No 4º dia de testes voltei aos 11.5km, mas agora numas sapatilhas mais minimalistas. O resultado foi ainda melhor do que no dia anterior.

 

Depois de correr 55.5km com as palmilhas Footbalance o meu veredicto é que os objectivos principais de proporcionar Conforto e Prevenir Lesões, são atingidos.

 

Usar estas palmilhas ajudam-me, realmente, a correr melhor. Sem dores nos pés, nas pernas, nos joelhos e nas costas. O facto de se moldarem às nossas características únicas, corrigindo as imperfeições e potenciando as qualidades, faz destas palmilhas um produto, na minha opinião, bastante bom.

 

Nota final: Queria agradecer  à crew “Correr Na Cidade” por me proporcionarem este desafio de testar as palmilhas FootBalance e de fazer esta review. Tive total liberdade para a escrever, tanto na forma como no seu conteúdo. Foi uma experiência nova para mim e gostei bastante. Muito obrigado.

 

 

      

 

  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D