Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correr na Cidade

Review: Kalenji XT5 Kiprun para trail

 

image_6.jpeg

Por Rui Alves Pinto:

 

Vou falar-vos dos sapatos de trail modelo XT5 da linha Kiprun Trail da marca Kalenji.

 

 

Enumerando as suas principais característica, a marca enaltece a “aderência sem concessões, amortecimento à frente e atrás e suporte eficaz: elementos que tornam os XT5 um calçado de trail polivalente por excelência que alia eficiência, prazer e segurança”. Pessoalmente, concordo, porque, de facto, é isso que se sente, quando os levamos para uma volta na serra.

 

Um aviso à navegação: sendo esta a primeira review que faço, e não tendo experimentado tantos modelos de sapatos de trail quanto isso, peço-vos, antecipadamente, desculpas por algumas eventuais omissões que possam, porventura, existir.

 

Esta trata-se, naturalmente, de uma opinião muito pessoal, relativamente ao modelo testado, não refletindo quaisquer ‘guidelines’ emanadas pela marca que o fabrica. O par de XT5 testado foi gentilmente cedido pela Decathlon.

 

Feito o ‘disclaimer’, e com cerca de 150 km nos pés, tenho de dizer que os Kalenji XT5 foram uma agradável surpresa. Senão, vejamos.

 

DESIGN

O modelo testado tem um esquema de cores baseado no azul, conjugado com elementos amarelo lima e preto. A linha amarela que divide a parte frontal da traseira do sapato confere-lhe um ar dinâmico e equilibrado. Quanto a materiais, a sola intermédia é composta por espuma EVA. Já a sola exterior é feita em borracha de carbono, com uns surpreendentes e agressivos entalhes de 5 mm, ‘espaçados para favorecer a aderência e soltar a lama e terra’.

A parte superior do sapato é composta por uma malha arejada e material sintético, que proporciona uma adequada proteção térmica, sem comprometer o conforto, em questões de arejamento do pé.

image_5.jpeg

Uma nota para os atacadores que, com uma textura bastante rugosa, se aguentam muito bem no sítio, durante todo o treino.

 

Não consigo perceber é a localização e funcionamento da bolsa para guardar os atacadores. Situada na parte de cima da língua – e por baixo dos próprios atacadores, quando apertados – dificulta imenso o ato de guardar as pontas soltas destes. Penso que este poderá ser um ponto a rever.

 

Ainda, a inclusão de marcas refletoras, à frente e atrás dos sapatos, confere aos XT5 um elemento adicional de segurança, especialmente em corridas à noite.Existe, naturalmente, o equivalente modelo de senhora disponível no mercado, assim como uma versão deste modelo, com um reforço da componente de impermeabilidade.No geral, o formato do sapato, o esquema de cores escolhido e o desenho da sola, conquistaram-me e estarei atento às evoluções deste modelo, num futuro próximo.

 

 

image_8.jpeg

CONFORTO

 

Começo por mencionar um item que valorizo particularmente e que, na minha opinião, arruína um bom treino ou prova – o conforto na utilização da sapatilha. Devo dizer que o sapato agarra-se bem ao pé e, durante toda a utilização, não se verificaram quaisquer bolhas ou roçaduras, no calcanhar ou na área do tendão de Aquiles. Para mim, isto é ‘meio caminho andado’ para gostar de uns sapatos de trail.

 

Penso que a proteção frontal contra as pedras e ramos é bastante eficaz e ajuda a dar um look agressivo aos sapatos.Não sendo o modelo mais ‘redondo’ que conheço ou experimentei, a ‘toe box’ é mais do que suficiente para deixar os dedos confortáveis e não pensar mais nisto, até chegar a casa, vindo de uma incursão no mato.

 

AMORTECIMENTO

 Confesso que não notei qualquer efeito derivado da introdução do conceito de amortecimento ‘k-ring’, situado no calcanhar do sapato. Talvez se deva este facto às características da minha passada, em que a utilização do calcanhar, na zona de impacto, seja reduzida.

 

Já a anunciada tecnologia/conceito ‘In'Up’, na frente do pé, sente-se e resulta. Talvez esta percepção derive muito do tipo de passada de cada utilizador e da forma particular de cada um de assentar o pé no chão. Para mim, e para a minha passada actual, adequa-se, e, quando se pensa neste componente, à posteriori, verifica-se que está lá.

 

No geral, os materiais utilizados na sola proporcionam um confortável impacto, revelando um compromisso entre comodidade e ‘feel’ do terreno que se explora. Contudo, parece-me que, em utilizações mais longas, acima dos 15/20 km, começa a notar-se uma ligeira ‘dureza’ da sola.image_4.jpeg

ESTABILIDADE

 

O drop anunciado para este modelo é de 10 mm, sendo um modelo pensado para corredores neutros ou com ligeira pronação. Considero que este modelo tem o suporte adequado, e mesmo para um provador ligeiro como eu, não existem quaisquer queixas a reportar, notando-se um bom nível de conforto.

 

De acordo com o fabricante, a introdução, neste modelo, do conceito ‘Bipron’, fornece um suporte de fadiga e favorece o controlo da pronação, a cada passada dada. Desta forma, e segundo a marca, este modelo é desaconselhado a corredores ‘hiper pronadores ou supinadores’. Penso, contudo, que, eventualmente, poderia existir um pouco mais de apoio lateral, na parte média interior do pé. (Bem, assim deixaria de ser um modelo para corredores neutros, não é? Enfim,…)

 

Testei os XT5 em estradões; em subidas pedregosas; em descidas de pedra solta e gravilha; em terrenos duros e secos e em autênticos colchões de caruma de pinheiro – enfim, numa ampla variedade de terrenos e condições atmosféricas. Infelizmente – e digo infelizmente, porque aquela sola monstra deve agarrar-se a tudo e mais alguma coisa,- não os consegui testar em condições extremas de muita lama e chuva. Em qualquer destas circunstâncias, os XT5 portaram-se à altura! Estáveis, com excelente aderência e seguros da sua função.

 

PREÇO

 

Os XT5 estão à venda por € 69,95, (online), o que faz deles, em minha opinião, um modelo a ter em conta, na hora de escolher o novo par de sapatos de corrida a comprar para as memoráveis aventuras em fora de estrada. Comparativamente a muitos modelos disponíveis no mercado, são baratos! (E ainda oferecem os portes de envio!)

 

CONCLUSÃO

 

Em jeito de síntese, enumero alguns aspetos que me saltam à vista, relativamente aos XT5 da Kalenji. Testei este modelo em cerca de 150 quilómetros e devo dizer que isso quase nem se nota, quer na sola, quer na parte de cima do sapato. Estão impecáveis e a pedir novas aventuras na natureza!

O sapato apresenta uma excelente aderência, especialmente em pisos com pedras soltas, o que, especialmente em descidas, nos transmite uma ótima e importante sensação de segurança.

 

Contudo, a sola parece-me um pouco ´dura´, especialmente, quando os levamos para corridas mais longas, acima dos 15/20 quilómetros.

 

Não gostei da bolsa para recolha dos atacadores, que fica na parte externa da língua, o que dificulta, em minha opinião, a acomodação dos atacadores. Talvez este seja um ponto a rever.E, sim, os XT5 têm uma excelente relação preço/qualidade!

 

AVALIAÇÃO FINAL

 

DESIGN: 18/20

CONFORTO: 17/20

AMORTECIMENTO: 16/20

ESTABILIDADE: 18/20

PREÇO: 18/20

 

TOTAL: 87/100

 

Nota: esta review também pode ser lida no blog: Um Dia Corro Contigo.

1 comentário

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D