Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correr na Cidade

Review: Kalenji Kiprun SD M

 DSC_0366.jpg

Pedimos ao nosso amigo João Gonçalves para testar as Kalenji Kiprun DS, este é o seu veredicto:

 

Por João Gonçalves:

 

“Que sapatilhas são essas?  São uma Kalenji. E isso é bom?

 

Se acreditamos que usar uma t-shirt ou uns calções de uma marca menos main stream não vai prejudicar a nossa performance ao longo das nossas corridas diárias, quando se trata de um par de sapatilhas, o caso já muda de figura – acabamos sempre por desconfiar um pouco, antes de acreditar.

 

Se estás desconfiado também, fica mais um pouco e descobre nesta review qual a opinião sobre estas sapatilhas desta marca francesa.

DSC_0371.jpg

Anunciadas pela marca como umas sapatilhas para distâncias curtas de cerca de 10/15km para corredores de passada neutra, estas sapatilhas apresentam como especificações técnicas um peso de 270 gramas (tamanho 43), um novo conceito de amortecimento chamado K-Ring que propaga o impacto ao longo da sola de uma rápida de eficaz e uma uma nova tecnologia denominada de Up’bar que proporciona uma maior retorno de passada criando assim mais dinamismo.

 

Mas afinal, qual é que é minha opinião?

 

Design

 

Falando primeiro de design meramente estético, quando vi as sapatilhas pela primeira vez, pensei  - “Até têm pinta!” - mesmo não sendo um adepto do amarelo limão, confesso que gostei da combinação deste com o lilás, bem como da utilização de parte do logótipo da marca em elemento reflector dimensão generosa que proporciona uma maior segurança ao corredor situação de corrida nocturna.

 

Falando de design de construção, estas sapatilhas apresentam umas costuras sólidas e bem executadas que demonstra alguma atenção ao detalhe e o facto de terem palmilhas removíveis permite uma maior facilidade de limpeza e a substituição das mesmas é para mim sempre um ponto a favor.

DSC_0365.jpg 

Conforto

 

Como indicado pela marca, estas sapatilhas foram construídas para corredores neutros com peso até 75kg, permitindo conforto para distâncias curtas.

 

Enquadrado dentro destes parâmetros ao calçar as sapatilhas sente-se que não saímos defraudados, são confortáveis, oferecem um encaixe seguro para o calcanhar e uma parte dianteira suficientemente larga que permite abrir os dedos dos pés sem qualquer problema, para além disso apresentam a toda a sua volta bons níveis de respirabilidade permitindo permitindo um maior conforto para os pés.

 

Como já referi estas sapatilhas são desenhadas para distâncias até 15km, mas sendo uma pessoa que gosta de puxar um pouco pelos limites, resolvi num dos treinos que fiz com as Kiprun SD ir um pouco mais longe e sentir qual era o ponto onde estas começam apresentar alguns sinais de desconforto, acabando por fazer uma distância de Meia Maratona, confesso que perto do final se começa a sentir alguma rigidez na passada, mas acabam por cumprir a distancia sem desconforto de maior para quem as calça.

 

Amortecimento

 

Associado ao alto nível de conforto, está a tecnologia K-Ring que a Kalenji inseriu neste modelo – O que é está tecnologia? - Basicamente é um “donuts” feito de um material que oferece um excelente amortecimento situado na zona do calcanhar e confesso que fiquei surpreendido pela positiva, pois funciona na perfeição, proporcionando um elevado nível de conforto na passada quando de ataca o solo com esta parte do pé, contundo esta sensação de conforto fica um pouco à quem na parte da frente da sapatilha apresentando-se bastante rígida até – fica aqui um ponto de melhoria.

 

Estabilidade

 

Como já referi estes Kalenji KIPRUN SD, são sapatilhas para corredores neutros apresentando um peso de 270 gramas para um numero 43 – Sim, existem sapatilhas de estrada mais leves – mas menos assim são leves e sentem-se leves e bastante rápidas na transição da passada garantido uma boa estabilidade e confiança.

 

Tendo efectuado os treinos em ambiente citadino no meio das ruas de Lisboa, onde é necessário serpentear para além de alguns obstáculos as pessoas que circulam no passeio, efectuando mudanças de direcção rápidas, senti que a estabilidade lateral das sapatilhas podiria ser melhorada, pois sente-se que as sapatilhas não “abraçam” o pé lateralmente como seria desejável.

DSC_0370.jpg

Preço

 

O preço de venda ao publico anunciado no site na marca é de €69,95, contudo apresenta-se de momento com uma baixa de preço que permite adquirir os mesmo por €49,95.

E por este ultimo preço, a relação da qualidade do produto com o valor que se paga é no meu ver boa, permitindo adquirir um bom produto, a um preço reduzido.

 

Conclusão

 

O que gostei mais destas sapatilhas foi a “verdade” das mesmas, ou seja, tudo aquilo que é anunciado pela marca é de facto aquilo que leva calçado nos pés, umas boas sapatilhas neutras, rápidas, capazes de cumprir distâncias curtas com todo o conforto.

 

Avaliação final

Design: 16 / 20
Conforto: 15 / 20
Amortecimento: 15 /20
Estabilidade: 15 /20
Preço: 17 /20

TOTAL: 78 /100

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D