Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correr na Cidade

Race Report - Meia Maratona de Ayamonte

Fez ontem, domingo, precisamente uma semana que o Nuno Malcata correu a sua primeira prova internacional, na vizinha Espanha, mais concretamente em Ayamonte. Este é o seu interessante relato. Vale a pena ler."Rumo à 1ª Maratona – Do regresso à corrida à estreia internacional"Por Nuno Malcata:Depois de muito tempo parado por questões de saúde, masmotivado por um amigo próximo que queria fazer a 1ª Meia Maratona, voltei a correr em Dezembro de 2013. Estava pesado (94Kg) e sem forma. Instalei a aplicação micoach da Adidas no iPhone e comecei com treinos pequenos e leves, entre andar e correr a ritmo lento, num plano de treinos para Meia Maratona.Três meses depois tinha feito os 56 treinos planeados, mais de 400Km. Perdi 6kg e consegui na preparação fazer 1 prova de 10Km já abaixo de 1h e uma prova de 15Km já abaixo da 1h30. Ganhei forma e bem-estar, fiquei mais bem-disposto e menos stressado, a comer e dormir melhor, uma ótima mudança. Fiz a Meia Maratona de Lisboa em Março de 2013 em 2h06m e acabei verdadeiramente FELIZ!Após esta reconquista pessoal, voltei a delinear objetivos e, se no meu histórico fazer Meias Maratonas era algo já conquistado, o próximo passo, mas não lógico para quem pouco treinou em cinco anos, seria fazer uma Maratona. Após uma lesão no tendão rotuliano em Maio na BesRun de Sintra, apenas voltei a treinar em Julho, tendo em Setembro decidido definitivamente me inscrever na primeira Maratona, em Sevilha a realizar a 23 de Fevereiro de 2014.Em 2013 participei em bastantes corridas populares e em alguns treinos organizados pelos vários grupos de corrida que foram aparecendo, e conheci pessoas fantásticas que têm o mesmo gosto, o que permite não só evoluir como andar motivado para correr mais e melhor.Em Setembro, após consulta de vários planos de treino para Maratona percebi que o pouco que sabia não era suficiente para efetuar uma preparação adequada aos 42,195Km. Decidi ir aprender e treinar com quem muito sabe desta matéria e comecei a treinar na equipa do GFD Running, orientado tecnicamente pelo Mestre António Sousa.Inicio dos treinos mais a sério no início de Outubro, e início da preparação para a Maratona no início de Dezembro, a metodologia, carga e variação de treino permitiu em três meses uma evolução enorme relativamente ao que andava a fazer.Fazendo parte do plano de treinos, participei no último domingo, dia 19 de Janeiro, na 29ª Meia Maratona de Ayamonte, tendo sido a minha estreia internacional em corridas bem como da equipa GFD Running, com um resultado fantástico, a vitória coletiva por equipas, o 3º lugar da geral conquistado pelo Mister António Sousa e o pleno no pódio na categoria de veteranos.2-ManhaMonteGordo No dia da prova, apesar da tempestade noturna e ventania que durante a madrugada se fez ouvir no 8º andar do hotel em Monte Gordo onde estávamos instalados, o dia amanheceu sem chuva, o céu estava quase limpo e o sol trouxe boas energias e ganas de uma boa performance para todos.Em Ayamonte o ambiente era típico de corrida local, com muito boa disposição e, como seria de esperar, muitos portugueses a aproveitar a prova perto da fronteira. Mais uma vez as conversas andavam à volta do vento, que soprava forte e se fazia sentir nos mais arrojados que se aventuraram a ir com pouca roupa em pleno Janeiro.Partida para Ayamonte, onde chegamos cerca de 1h antes da prova para levantamento dos dorsais e aquecimento.Aquecimento feito, os corredores agrupam na pista de atletismo do estádio local para a partida. O percurso iria percorrer várias artérias de Ayamonte durante 10Km tendo depois uma deslocação até à Praia da Isla Canela e respetivo retorno aos 15Km, sendo no geral uma prova bastante plana e com previsões de bons tempos pessoais para os corredores.Estando numa fase de evolução, após ter feito cerca de 01h54m na Meia Maratona dos Descobrimentos em Dezembro, tinha como objetivo aproximar-me ou baixar da 1h50m nesta prova.3-MMAyamonte1Início da prova bastante rápido, aproveitando a adrenalina inicial da prova, com o ritmo a estabilizar ao Km 3 para o tempo final a rondar a 01h50m. O vento sentia-se mas entre as ruas de Ayamonte não ajudava nem prejudicava o andamento.Ao Km 10 a prova abandona Ayamonte e faz o percurso entre Ayamonte e a praia da Isla Canela, cerca de 5Km, com o vento a soprar nas costas dos corredores, mas no meu caso sem sentir que ajudava a ganhar alguns segundos, tendo mantido um ritmo certo neste troço do percurso.Ao Km 15 tinha 01h18m20s, estando no limite para cumprir o objetivo inicial a que me propunha. O meu problema e de todos os outros corredores, foi o regresso a Ayamonte a partir do Km 15, para percorrer os últimos 6Km contra um vento que parecia uma parede. Mesmo com um esforço grande extra, o ritmo baixou drasticamente, chegando a perder quase 30s por km entre o Km 16 e o KM 20 o que afastou completamente a hipótese de baixar da 1h50m.6-MMAyamonteRetaMeta  À passagem do Km 20 passei por alguns colegas que já tinham terminado a prova e me deram o alento necessário para um Km final a puxar tudo o que tinha e já não tinha, para pelo menos fazer record pessoal na Meia Maratona.Investi conta o vento, e lá fui ganhando ritmo, lutando contra a dor nas pernas, o coração acelerado e a parede de vento. Entrei na pista para os quase 400m finais com pouco mais de 1h51m, ainda contra o vento, os 200 metros iniciais não passavam. No início da reta da meta olho para o relógio da meta e vejo que já tinha passado o minuto 52, o instinto acorda e sai o possível sprint final para fechar a corrida antes do minuto 53.Quando passei a meta perdi a noção de tempo e espaço. A meta era algo desfocada que ondulava à minha volta. Sabia que tinha terminado e estava satisfeito por ter dado o que podia.7-MMAyamonteMeta A prova não tinha chip para controle dos tempos, existia um código de barras no dorsal que era picado na chegada e imediatamente impresso um ticket com o tempo de chegada e classificação. Recebi cambaleante o ticket e continuei mais uns metros, muito tonto e mal disposto do esforço final. Lá fui assistido pelos assistentes da prova que me deram bebida açucarada e fiquei sentadinho em descanso uns bons minutos até ver o que se passava à minha volta focado.Mais recuperado lá olho para o ticket e confirmo o tempo final, 01h52m58s, e penso “Boa, record pessoal!!!”.8-MMAyamontePodioEquipa 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D