Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correr na Cidade

O Yoga como complemento certo da corrida

13055803_10156795256210453_2663927798147513174_o.j

Todos nós, em algum determinado período da nossa vida, ouvimos falar de Yoga. Eu, confesso, nunca tive grande curiosidade. Aliás, tal como nunca tive muita curiosidade pela natureza - com exceção da praia, claro! Sempre fui uma pessoa muito urbana e sempre me senti bem na confusão, nas luzes, nas ruas, junto aos barulhos típicos de cidade. Aliás, este blogue não se chama Correr na Cidade à toa. Contudo, tudo isto tem vindo a mudar. E sem eu querer ou fazer por isso.

Com a corrida tenho descoberto os trilhos, e noto que estes me equilibram o dia-a-dia. É um facto que já assumo: tenho cada vez mais “necessidade” e vontade de correr no meio da natureza.

Ora, com o Yoga tem acontecido o mesmo. Cada vez que oiço falar, desperta-me a curiosidade. Muito. Se está ligado ou não com esta “necessidade” de correr nos trilhos, é algo que não sei. Mas, foi através da corrida que tenho pesquisado sobre Yoga, já que noutros países é algo muito comum ligar estas duas práticas. 

Mais recentemente, todos temos seguido aqui a evolução na corrida da Bo Irik que colocou o Yoga no seu dia-a-dia. E a partir desse momento, parece-me a mim, algo mudou na sua performance. E pensei logo: “também quero isto para mim!!!”. Sendo que, no momento imediato, duvidei desse desejo. Terei eu “sensibilidade” para o Yoga? Será que algum dia junto a meditação, o Yoga e a corrida? Será que fui talhado para isso? Não é apenas para pessoas que gostam do lado místico das coisas?!

 

Com a vida frenética do nosso dia-a-dia. Os prazos, o stress e os ecrãs que nos acompanham para todos o lado desde que acordamos até que nos deitamos – e muitos os usam mesmo já deitados -, somos a primeira geração de pessoas mais artificialmente “eletrizada”. E sinto, por vezes, a necessidade de parar, fazer uma pausa, sorver uma energia mais natural, mais pura. Regressar, de alguma forma, às origens. Acalmar.  

13.jpg

Algumas destas perguntas ficaram respondidas no passado domingo quando tivemos a oportunidade de juntar o Yoga e a Corrida num workshop e aula de Yoga para corredores que organizamos em conjunto com o professor de Yoga (e também corredor) Luís Marques Matias e com o Bruno Rodrigues (profissional de desporto de alto rendimento) nas instalações do Sport Algés e Dafundo.

 

Acabo já com a vossa expetativa: foi um workshop muito interessante e muito útil. E não digo isto porque fomos nós, Correr na Cidade, a organizar. É algo que digo a todos: experimentem!!! Mas com quem sabe.

13015199_10156792739095453_8475111999665873393_n.j

A primeira parte foi uma palestra de como a corrida trás benefícios para o corpo mas também como nos desequilibra se só corrermos. Assim, o complemento do Yoga na corrida ajuda-nos a encontrar esse equilíbrio perdido, não só através do trabalho físico mas também para trabalhar a respiração, e as tais partes do corpo que são menosprezadas pela prática da corrida.

Depois da completíssima explicação do Bruno Rodrigues, foi a vez do Luís Marques Matias iniciar a aula de Yoga. Começou por dizer que o Yoga não é apenas para pessoas flexíveis. E explicou, resumidamente, como o Yoga tem contribuído para o seu bem-estar e para uma vida com poucas ou nenhumas lesões. Aqui, confesso, senti uma inveja positiva! E mais uma vez pensei: “Quero isto para mim!”

12967310_10156795255215453_3828891453618075476_o.j

12983807_10156795255800453_4995656624698172011_o.j

A aula, propriamente dita durou cerca de uma hora que para mim pareceram 10 minutos. Fizemos várias posições tendo em conta que corremos frequentemente e que há músculos em défice de serem trabalhados. 

No final dos exercícios, a cereja no topo do bolo. Uns minutos de relaxamento. Incrível como a voz do Luís e a música que acompanhava nos ajudaram a relaxar e a viajar dentro do nosso corpo mesmo num local inóspito e pouco zen como uma sala de aula ampla de um ginásio. Não, não estávamos num local zen, com incensos e barulhos de espanta-espíritos ou sinos tibetanos. Era um local prático mas que funcionou muito bem e que foi muito bem trabalho por estes dois professores.

13047851_10156795255455453_5306974358834032777_o.jDepois deste “banho” de energia positiva para o corpo e para a mente, voltamos às técnicas de corrida onde o Bruno Rodrigues nos ensinou para melhorarmos a postura e a passada. Algo que, no meu caso tem sido uma aposta e sobre o qual irei escrever aqui no blogue em breve para ajudar quem nos lê. O Bruno e o Luís fazem uma dupla dinâmica e vencedora. Tal como o Yoga como a Corrida em conjunto

 

Confesso que tanto a sessão de Yoga como as explicações de técnica de corrida ainda perduram tanto na minha mente como no meu corpo. Senti necessidade de mais e adorava repetir com regularidade esta experiência. Agora consigo perceber a evolução da Bo. E até consigo perceber esta minha necessidade de equilibrar a vida super agitada, citadina, cheia de ecrãs, com o Yoga e a corrida nos trilhos. Fiquei fã, como se nota, e recomendo.

 

Namastê.

12.jpg

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D