Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correr na Cidade

E no final, dói tudo!

Por Natália Costa

 

E neste sábado, logo pela manhã, no Estádio de Alvalade, tivemos simpaticamente a Vanessa da Reebok a ser a nossa anfitriã para uma sessão exclusiva de Crossfit para a Crew do Correr na Cidade.

 

Uma vez na Box de Crossfit, e equipados a rigor, com umas t-shirts fantásticas da Reebok, começamos por escrever os nossos nomes na parede. Aliás, todos os exercício dados na aula de Crossfit estão escritos a giz na parede.

 



 

 Após uma breve introdução pelo instrutor que nos acompanhou no treino, ficámos a saber que o Crossfit tanto pode ser praticado por atletas de alta competição como pelo mais comum dos mortais. Claro está, isso irá condicionar a intensidade do treino. 

 

Iniciámos o aquecimento com uns agachamentos e por quatro exercícios diferentes, tudo isto ainda no aquecimento (e já com a língua de fora).

 

 

Em seguida aprendemos o exercício de impulsão da anca, sendo este o movimento mais forte que temos no nosso corpo - segundo o instrutor. 

Exemplo: quando queremos empurrar um objeto pesado é sempre a anca que usamos. 

 

 
Depois passámos às argolas, suspensas por umas fitas presas ao tecto. Tivemos que praticar a implosão da anca agarrados às ditas argolas. Logo de seguida tentamos enrolar o nosso próprio corpo por entre as argolas usando a força dos braços e do peito. Não é nada, nada fácil! O instrutor confidenciou-nos que para conseguir fazer este movimento em quatro tempos levou cerca um ano de treinos…

 

 

 

No final dividimo-nos em equipas, meninas de um lado e homens do outro, e fizemos um treino/competição que passou por: 1200 metros de remo (os homens como tinham mais um elemento, fizeram 1500); saltos para uma caixa; flexões e elevações nas argolas. Estes exercícios foram divididos pelos vários elementos da equipas, tornando o exercício um verdadeiro trabalho de equipa onde tínhamos de nos esforçar por fazer o maior número de exercícios num curto espaço de tempo, porque no final, tudo foi contabilizado. Ganharam os homens…., a meu ver porque fizeram batota!

 

Este texto demorou algum tempo a escrever, porque até estar com o computador no colo a teclar me custa. Dói tudo, até aqueles músculos que nem sabia que existiam. 

 

Contudo, foi muito divertido e recomendamos o Crossfit. Um especial agradecimento à Reebok por nos ter facultado este momento duro, mas muito divertido.

 

 

 

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D