Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correr na Cidade

Corredor do BUS: diferenciador e marcante. Saiba porquê.

O "corredor do BUS" original, na Praça da Figueira em Lisboa

 

Deverão existir poucos corredores, experientes ou novatos, em Lisboa e arredores que não se tenha cruzado com o João Campos. É quase uma figura meio mítica que não perde uma boa corrida (e um bom prato). Mesmo com o nascimento da sua primeira filha, não abrandou na sua presença nas corridas e treinos, pelo contrário a sua veia criativa levo-o a criar o projeto "Corredor do BUS". Uma ideia que o blog Correr na Cidade apoia desde a primeira hora. Conversamos com o João sobre o "BUS" e sobre outros assuntos relacionados com a corrida.

Entrevista por Filipe Gil

 

Em primeiro lugar a pergunta que tem de ser feita: como e porquê nasceu o projeto Corredor do BUS?
O projeto "corredor do BUS" nasceu da necessidade de fazer algo diferenciador e marcante a nível da corrida. Estava um dia a correr, e a pensar no que poderia fazer de diferente, e lembrei-me de criar o "corredor do BUS", cujo mote é "Percorrer, a correr, todos os percursos de todas as redes de transportes públicos existentes". Para já, em Lisboa, Portugal, para começar, depois no Mundo para continuar.Desta forma, sempre que for a uma vila ou cidade estrangeira, poderei juntar percursos à caderneta.

Qual o objetivo principal deste treino?
Permite-me a correção mas, o conceito do "corredor do BUS" não é de fazer treinos mas sim, percorrer percursos.Um dos problemas, no meu entender, com os treinos no geral, pelo menos na cidade onde moro, é serem por vezes em percursos repetitivos, onde a correr já não encontramos nada de novo. Assim, seguindo percursos de transportes públicos, a hipótese de fazer vários percursos diferentes é bastante maior (só em Lisboa existem 78 carreiras da Carris).Para além disso, através da descrição do percurso de um ponto de vista pessoal e na primeira pessoa, pretende-se impulsionar os cidadãos a utilizarem a rede de transportes públicos da sua cidade ou região, bem como promover hábitos de vida saudáveis, dando a conhecer em simultâneo partes da cidade e da rede desconhecidas ou esquecidas, quer a nível de acessibilidades, quer a nível histórico, cultural e social.

O grupo antes da partida, na Praça da Figueira, em Lisboa


Como correu o primeiro percurso. Como foi a adesão?
O primeiro percurso, o da carreira da Carris "15E", correu extremamente bem. Foram 33 participantes e tivemos a presença da RTP a entrevistar os participantes, e a acompanhar o percurso do início ao fim. Este percurso, foi escolhido propositadamente pelo seu comprimento e altimetria acessíveis ao "corredor comum" e iniciado, 10km e plano, e a ser numa zona de contraste habitacional elevado (Baixa de Lisboa, Alcântara, Belém, Pedrouços e Algés).
O relato completo pode ser encontrado aqui.

O que mais diferencia estes percursos de outros treinos?
O factor diferenciador encontra-se no conceito base. Começa por não ser um "treino" na sua génese mas sim o percorrer de percursos de transportes públicos. Pegando neste conceito, e supondo que vamos a uma cidade estrangeira e não sabendo onde ir correr, é só escolher a carreira e seguir.
Para além disso, a ideia é fazer também uma cobertura das zonas esquecidas das cidades. Muitas vezes, enquanto andamos no autocarro, o que fôr, vamos embrenhados nos nossos pensamentos, ou a ler, ou a interagir com o nosso smartphone, e fechados dentro de uma cápsula que não nos deixa ter contacto na primeira pessoa com o que circunda os itenerários dos percursos.

 

Jardim não arranjado na Avenida 24 de Julho

 

Quando ser irá realizar o próximo?
O próximo percurso realiza-se no próximo sábado, 19 de Abril de 2014, às 17h00, e vai percorrer o percurso da carreira da Carris "734". O ponto de encontro é no Martim Moniz. Devido às particularidades desta carreira (3.600 metros), será feito o percurso de ida, e volta. O blog Correr na Cidade e a sua Running Crew, bem como qualquer participante que pretenda acompanhar o "corredor do BUS", só tem de aparecer no sítio indicado à hora indicada.
Mais informações estão disponíveis no website do "corredor do BUS" aqui.

Como classificas os inúmeros treinos que existem em Lisboa (e noutras cidades do país). E como classificas a adesão dos portugueses à corrida?
Começando pela adesão dos portuguesas à corrida, considero um fenómeno explosivo, sem dúvida. Mesmo não tendo acesso a nenhum estudo acerca do assunto, a percepção quando corro na rua, e quando participo em provas é que o crescimento da prática do desporto é exponencial. Para além disso, vejo novas marcas a aparecer no mercado, com produtos diversificados, o que denota uma certa atenção da sua parte.
Quanto aos inúmeros treinos existentes em Lisboa, considero no geral, pelo menos aqueles que conheço, bem divulgados, com muitos participantes mas, por vezes, sempre iguais ao anterior. Vários grupos correm na zona de Belém, vários grupos correm na zona do Parque das Nações, fazendo sempre o mesmo percurso, treino após treino. É claro que, vão aparecendo alguns treinos mais disruptivos mas no geral, considero-os sempre a direito. Tendo Lisboa sete colinas, porque não aproveitá-las?

 

Um dos vários carros estacionados em cima do passeio, perto do CCB em Belém

 

 Edifício devoluto na Rua de Pedrouços

 

 Fotos da autoria do Corredor do BUS e de Marco Borges.

 

PERFIL:
Nome: João Campos
Idade: 41 anos
Profissão: Web developer
Quantos Km’s corres por semana: Entre 40 e 60
Trail ou Estrada, qual preferes?: Um misto dos dois. Trail se não forem percursos muito técnicos (com muitas pedras, nem muita lama, nem muito escorregadios), embora as subidas não me assustem. Na estrada, venha o percurso que vier, desde que tenha subidas, qualquer um.
Sapatilhas de running preferidas (Estrada e Trail): Para estrada tenhos dois pares de sapatilhas Nike e um par Adidas. Tenho passada neutra, e as sapatilhas Nike são para passada neutra (Pegasus e Vomero). As Adidas, são para pronadores ligeiros, e costumo utilizar para distâncias superiores a 20km. São mais pesadas mas o peso compensa o esforço nos joelhos. Para trail, tenho um par Adidas e um par Asics. As Adidas, já estão em fim de vida, e já fizeram centenas de quilómetros, de Norte a Sul do País, as Asics, ainda estão a meio da sua vida útil. Sou no entanto curioso acerca de marcas, produtos e gadgets, e gostaria de experimentar mais marcas e modelos no entanto, nem sempre é possível fazê-lo.
Provas que sonhas realizar:Há várias, de repente Ultra Maratona dos Caminhos de Fátima, e Comrades Marathon, na África do Sul

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Actividade no Strava

Somos Parceiros



Os nossos treinos têm o apoio:



Logo_Vimeiro

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D